quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Lula solto e o fim da lava jato o mês que vem? - Rafael Brasil

Imagem relacionada


Li agora no saite O Antagonista que está quase tudo certo pra soltar Lula e acabar de vez com a lava jato, mês que vem. A reação do sistema veio com a ameaça da lava jato atingir o judiciário, a começar pelo STF. Ademais o STF é o principal guardião da instabilidade política e institucional que se econtra o país. São uns bandidos, orquestrados pela ORCRIM, um absurdo jamais visto na história. Tudo em conluio com a chamada classe política completamente corrompida por corrupção sistêmica, digamos assim.
Tudo combinado com as forças mais retrógadas do congresso, que quer copntrolar a internet e a liberdade de expressão com  a tal de lei das fake news, a lei de abuso de autoridade, que visa coibir a ação da polícia e justiça contra poolíticos e maganos, e a obstroção monocrática de Toffolli de suspender às investigações do COAF. Tudo combinado com os vazamentos criminosos de conversas ilegais do caso Verdevaldo.
Enquanto isso o governo toma medidas sérias na reforma do estado e da economia. E a economia tem que andar, posto que está parada desde a recessão petista, a maior da história. Resta saber como se comportarão os atores no jogo. E como vai ser a reação popular, num país já bastante dividido? E qual a reação do governo a tudo isso? O bem vai ser criminalizado, com as anulações das sentenças de Moro? Estamos sempre no mundo das inversões? O mal vencerá? Bem estamos apenas no início da batalha, que, como diria Mao Tsé Tung, será uma guerra prolongada. Afinal, o sistema reage como pode, e sempre fez. Mas a história não se repete, já dizia o velho Marx. A ver...

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Frei Chico e sua mesada - Rafael Brasil

Resultado de imagem para frei chico irmão de lula



Segundo o MPF, Frei Chico recebeu R$ 1,1 milhão por meio de uma mesada paga pela Odebrecht entre 2003 e 2015, como parte de um “pacote” de vantagens indevidas oferecidas ao petista pela empreiteira, assim noticiou agora, o saite Antagonista. Com a intermediação do irmão Lula, ele recebia uma boa grana.
Frei Chico era do partido comunista, e tirou Lula da farra pra ser sindicalista. Deu certo? Seria bom  perguntar aos intelectuais e padres de passeata que inventaram tudo isso, claro, montados em velhas teorias totalitárias. Passando por Fernando Henrique, quase três décadas de estagnação, portanto perpetuação da pobreza. 
É sintomático que os melhores períodos foram: o pequeno sopro meio liberal do plano real, e sua manutenção no primeiro governo Lula, com Palocci acalmando o empresariado sempre atrelado ao estado.Nosso capitalismo cartorial, que ademais nem é capitalismo. Uma meia sola, digamos assim.
Também todo o mundo cresceu, e a pobreza diminuiu globalmente, apesar de ampla, na periferia. E na periferia da periferia do capitalismo, como na África, Asia, e algumas regiões da América Latina, como o Haiti, digamos assim.
Aqui, um país quase arrasado, o estado quebrado, e a sociedade dividida, entre os que querem manter os privilégios de sempre, e a patuléia que paga tudo e cada vez recebe menos.
Eis o legado petista, que, como vemos, começou com um pobre militante comunista, imigrante nordestino, bem a história todo mundo sabe. Para alguns permanece a lenda meticulosamente criada, do pobre retirante que chegou à presidência para defender os pobres. Que ficaram mais pobres, mas isso é outra história. É isso aí. A história de move, e também é feita de detalhes, talvez irrelevantes, mas que contam, quem duvida? 

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

A PATÉTICA RESISTÊNCIA DOS ALTOS TOGADOS À JUSTIÇA - RAFAEL BRASIL




Ontem, antes de dormir, ao olhar o celular, me deparei com mais um escândalo do judiciário. A procuradora Raquel Dodge, mandou retirar da delação de Léo Pinheiro, um dos meliantes delatores, menções ao irmão de Dias Toffoli e e Rodrigo Maia, justamente alguns dos milhares de articuladores do establishment, que resistem como podem à polícia e à justiça. É isso mesmo: As altas cortes do judiciário deste país quase devastado, estão com medo da....justiça. O volume das delações mobilizam às altas cortes do judiciário, e, claro, a grande maioria da classe política, há tempos apodrecida pelo que apelidaram de presidencialismo de coalisão.  
E pior: Parece que existe conluios entre essa gente, de fazer um trabalho coordenado, ou seja. Conversas rackeadas, tentativa de desmantelar o COAF, a soltura de Bendine, anulando uma sentença de Sérgio Moro, afrontando a constituição, enfim. Juntos estão a mídia, e o estamento burocrático do estado em todos os níveis, com medo das reformas liberais e desburocratizantes. Na vanguarda, o establishment acadêmico e quase a totalidade do show business, que perdeu o controle total sobre o entretenimento, e o dinheiro do estado, claro.  
Como reação ao tresloucado, porque patético ato da procuradora, que aliás vai deixar o cargo, os demais procuradores da lava jato pediram demissão. Ótimo, afinal, o judiciário, sobretudo às supremas cortes tem que sangrar, pois foram, no mínimo coniventes com toda sujeira do país, desde sempre, é bom frisar. E de crise em crise estamos vivendo, aliás desde o mensalão, a safadeza e a alta ladroagem se tornaram banais nesta república de bacharéis. 
Mas a casa está caindo, bom para o Brasil, afinal ninguém aguenta mais. Se essa gente ganhar, nunca teremos futuro como nação. E a história cobrará seu preço aos coniventes, seja por ideologia, ou mesmo safadeza, pura e simples. E o que nunca faltou no país é pilantra. É o Palhares, personagem inesquecível de Nélson Rodrigues, o canalha fundamental. É isso aí.

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Corrupção diabólica - Rafael Brasil

Resultado de imagem para o diabo na historia


Como bem disse Olavo de Carvalho, existe corrupção em todos os níveis, e é preciuso ter senso de proporções para a busca da verdade. E afinal é melhor ser bom de coração mesmo tendo idéias erradas, do que ser ruim e ter idéias corretas. E o diabo está solto, e se transmuda em tudo o mais. Em poucas palavras, àquela história de quem rouba um banco e uma caixa de chocolate é a mesma coisa, é a mais pura empulhação. Afinal, um não é igual a mil, tampouco a um milhão ou mesmo bilhões. E, como tudo na vida, tem muitas formas de corrupção , umas bem piores, claro.
Desde o paleolítico tem corrupção, dentre outras mazelas. A lei é o reflexo das relações sociais, construída historicamente com todas as suas peculiaridades, como diria Gramsci, ele gostava desta expressão, afinal o diabo pensa, e como! Tem corrupção para o enriquecimento pessoal, da família e dos amigos.  E tem a corrupção comunista, que tudo justifica pela obtenção do poder, se possível o poder total. E o poder total, ou sua busca, foi a maior tragédia da humanidade com os regimes totalitários e guerras horríveis, no sangrento século XX. 
Só o comunismo dizimou cerca de 150 milhões de pessoas onde sua implantação, desastrosa, foi tentada. Como disse o historiador romeno Vladimir Tismaneanu, um sobrevivente do comunismo de Ceausescu, foi o diabo mesmo , literalmente, que tomou conta de povos inteiros, no caso, na pobre Europa Oriental sob Stalin  e seguidores. Todos , regimes corruptos e genocidas. Ceausescu, por exemplo,  tinha 82 mansões enquando o povo romeno não tinha calefação, naquele frio glacial. Fidel era milionário e seus filhos sempre viveram, e vivem nababescamente, enqanto o povo cubano não tem dinheiro nem para comprar ovos ou mesmo papel higiênico. Na pobre Venezuela nem se fala, juntamente com a cubana, a pior ditadura da história da pobre América Latina, de tradição caudilhesca e autoritária, no nosso caso coronelista, digamos assim.
No caso da corrupção petista, não foi só para enriquecimento pessoal, mas para construir e manter regimes sanguinários, como Cuba, Venezuela, Nicarágua, e países africanos como Angola e similares. Na Venezuala foram os principais artífices da ascensão do chavismo. Queriam expandir o esquerdismo no continente através do foro de São Paulo, que congrega cerca de duzentos partidos e organizações terroristas e narcotrafinantes no continente. E aqui tinha um projeto de poder, afinal, quem não lembra de um ensaio de mudanças constitucuionais do tipo bolivarianas durante o primeiro governo Dilma? O resultado foi o desastre da economia, além da brutal corrupção. E o pior: a destruição da educação e da cultura, onde ainda se cultua tipos como Paulo Freire. Agora a difícil reconstrução, mas neste ínterim já se foram pelo menos duas gerações. A reconstrução, se continuar, vai levar décadas, e quem sabe, se desta vez o país se livra do populismo e esquerdismo, muitas vezes travestidos de nacionalismo? O caminho é árduo, mas não existe outro, afinal o capitalismo pode ser o pior sistema com exceção de todos os outros, como diria Churchill. Capitalismo e democracia, pois capitalismo de estado ou autoritário é fascismo, ou economia fascista, mas isso é outra história. Em suma, vamos afugentar nossos demõnios, afinal tudo pode piorar. Vade retro!

terça-feira, 3 de setembro de 2019

Histerias - Rafael Brasil

Resultado de imagem para charges sobre violencia


Um amigo nem tão radical de esquerda me disse perplexo com o aumento da escalada da violência. Ou só agora ele percebeu que no país se mata duas guerras do Iraque por ano, ou não viu que a violência caiu 22% em apenas seis meses de governo. A simples perspectiva de endurecimendo das leis e a ação mais efetiva da polícia e inteligência como o controle do comando do crime de dentro das penitenciárias, t desempenharam o seu papel. Porém caiu, e com  operspectivas de melhoras com o pacote de Moro, que, dentre outras coisas, vai endurecer as penas e modificar radicalmente o que eufemisticamente vinha sendo chamado de política de desencarceramento, com o abrandamento das penas e regalias na cadeia, quase todas importadas da ONU e similares, por eminentes especialisrtas de todas as matrizes. Resultado, sem punição, mais crimes. A impunidade mata, óbvio ululante.
Também não se viu nanhum ataque, mesmo verbal, às tão decantadas injusticadas minorias. Aliás, a respeito, a ministra Damares está reforçando a proteção às vítimas de homofibia e similares, e combatendo a pedofilia e a abjeta sexualização nas escolas. Também, nada contra as mulheres, nem tampouco os negros, numa nação eminentemente mestiça. Ou seja, cadê o fascismo, cadê as falanges nunca existentes de Bolsonaro, aliás as manifestações da direita são um primor de cordialidade, alegria e paz, como é da natureza de nosso povo.
Na verdade, quem reclama é simplesmente porque perdeu o poder, e o pior: a narrativa. Ninguém vai mais nesta conversa de relativismo onde o mal se tornou banal, porque essencialmente fruto de desigualdades sociais, ou outras considerações político ideológicas, como a eterna luta de classes. O fato é que no passado a nação era muito mais pobre, e a violência, ou a banalização da mesma era diminuta.
Mas como disse em outras ocasiões, a parte mais sensível do corpo humano é o bolso. Com a economia melhorando, embora muito longe do ideal, outras pautas como a violência podem ser bem mais tratadas. E temos carradas de reformas a fazer, como da educação, que é de longo prazo, mas é para ontem. Mas isso é outra história. Mas aos histéricos de plantão que vão tomar calmantes, ou mesmo uma boa cerveja, afinal relaxa. 
Mas essa gente nãio quer relaxar, estão cheios de ódio, afinal suas visões, digamos, do mundo, esbarram no velho e bom senso comum. E é o senso comum que está salvando o país, afinal está mais do que provado que o povão sempre foi muito melhor do que nossa elites, sobretudo intelectuais. Estas estão prisioneiras de narrativas dos anos sessenta, século XX,  e simplesmente perderam o bonde da história. Mas que esperneiam esperneiam. Enfim faz parte do jogo.

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

HAJA PESQUISA - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para Paulo guedes, charges


Como de costume, os institutos de pesquisa não param, afinal eles tem que trabalhar. No último, do data folha, diz que o povo é conservador, e o conservadorismo vai perdurar na política nos próximos anos, óbvio ululante. E que o governo Bolsonaro só ganha dos anteriores, dentre os 16 ítens apresentados, no combate à corrupção e à violência. Bem, dentre outras pautas, ele foi eleito pra isso, não? Quando ao fato do povo ser conservador, aliás, saudavelmente conservador, lembre-mo-nos que a principal pauta do petismo entes de chegar ao governo era justamente a luta pela ética na política, e a luta contra a corrupção, já grande na época. 
A economia catapultou o lulismo, aliás economia sempre tachada pelos intelectuais esquerdistas como neo liberal, um eufemismo para nada, como sabemos, mas o petismo surfou no crescimento da economia mundial, com o Brasil vendendo muitas comodittes principalmente a China. Com a economia em alta e o estímulo ao consumo popular, Lula escapou do mensalão. Depois, como sabemos, estourou tudo, aumentando o tamanho e consequentemente o gasto do estado perdulário, com a esquerda no comando da economia, com Dilma, e Mantega, ambos esperando turbulências com a lava jato, que constatou que todas as instituições do estado estavam mais do que apodrecidas. Apodrecidas e falidas, diga-se de passagem. A recessão atingiu em cheio toda  população, pois se o país já vinha crescendo pouco, tivemos a maior queda da economia na república, e estamos sofrendo com ela.
Diante deste quadro desolador, a explosão da violência, o aparelhamento ideológico das escolas e universidades, a chamada política de minorias e o relativismo cultural fez e faz reavivar o conservadorismo da população. Afinal, bandido é bandido, ora bolas. E na violência tivemos a banalização e até glorificação do mal. Aliás, a glamurização da bandidagem já é regra mas artes, teatro, poesia, música e uma certa literatura marginal. Em suma, a cultura e a educação foram arrasadas, numa destruição célere e contínua ao longo de décadas. Enfim o povo acordou, e temos um país pra refazer. Como diria Lênin, o que fazer?
Novas pesquisas virão, mas os acertos na economia deixa o governo com boas perspectivas, dado que a agenda liberal finalmente está avançando. Todos sabem disso, daí o medo da oposição, em parte bandida, e do chamado centrão, que quer ser protagonista, afinal, não conseguiu os preciosos cargos, até agora o estado não foi loteado, em suma, foi quebrado o paradigma do tal de presidencialismo de coalisão. O executivo distribui os cargos, e os políticos votam, o povo é só um detalhe nessa história. Vamos ver até onde o governo vai avançar, e está avançando. Se as reformas capitalistas forem feitas o país vai bombar, como se diz no popular. Aliás, já está melhorando, saindo da inércia. Mas sem reformas, ficaremos como sempre, com vôos de galinha, longe do chamado desenvolvimento auto sustentado. Mas isso é outra história, o bom é que o governo vai bem. 
Vamos ver o pacote de Moro que é um dos sustentáculos do governo. O outro, a economia, e como vimos está funcionando. Menos mal.

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

O STF CONTRA A NAÇÃO INDIGNADA - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para paulo francis e o judiciario


Nunca na história do país uma crise institucional pode ser gerada pelas altas cortes do judiciário, como agora. Claro, em comunhão com a maioria podre do congresso, eleito por um sistema político anti democrático e essencialmente corrupto. Com um sistema desses, como renovar a política? Mas como sempre, a economia é prioritária devido a muitos fatores, dentre os principais, à estagnação econômica. 
Sem creescer, as novas gerações estarão indelevelmente condenadas à pobreza. O Brasil precisa de capitalismo, e de reformas que direcionem a este fim. Liberdade econômica, menos estdo e mais sociedade. Descentralizar às ações, mais Brasil menos Brasília. O governo está conseguindo fazer a sua parte, graças ao presidente e Paulo Guedes. O congresso votou a reforma da previdência e encaminha a tributária.  Alguma reforma terá que ser feita. E em tudo o mais, afinal o país está mais do que esculhambado, na saúde, educação, o escambau, e claro, são soluções de médio e longo prazos. Aí vem o STF, aliado ao sistema corrupto, porque beneficiário dele, assim como as altas elites do estamento burocrático, com medo de perdder privilégios, só pensa em soltar Lula. Mas na verdade ninguém está pensando em Lula, além dos petistas e simpatizantes, claro. Estas elites queremn mesmo é salvar a prória pele, para esta gente, bom é corrupção liberada, tudo dentro dos que muitos chamam de fortalecimento das instituiçlões democráticas, pode? A resiliência do sistemna corrupto é avassaladora, mas como diria Plínio Marcos sempre tem um porém.  O povo está cada vez mais ativo e relativamente informado, tudo pode acontecer. O medo dessa gente é a revolução brasileira em curso. Desde 2013, o povo, sem lideranças nem partidos foi às ruas, e continua ativo, como brasas nas cinzas, meio adormecidas, mas quentes e inflamáveis. Serei um otimista? A ver..,
Mas, como disse certa vez o velho Paulo Francis, eu aceitaria um déspota esclarecido, desde que comprometido com  a restrauração democrática, um perigo, como sabemos, para abrir o caixa preta do judiciário. Mandava abrir todos os sigilos bancários e fiscais dessa turma, aliás eles é que deviam dar o exemplo, não? Afinal ganham fortunas. Botava todo  mundo na cadeia e exproporiava seus bens roubados, doando-os às comunidades pobres. Ninguém suporta mais esta gente. Com um país a reconstruir, a gente já está já cerca de uma década falando desses safados, juntos com os meliantes do tal de sistenma de coalizão "democrática" que compõe nosso sistema político. O Brasil precisa enfim botar essa gente onde merece, o esgoto da história. E reconstruir à nação, afinal nosso povo, amedrondado pela violência e corrupção, está dando o exemplo, muito à frente das nossaas "zelites" econômicas, políticas e acadêmicas. Ou restauremos à república, ou não teremos futuro como país. Alguém duvida?