sábado, 9 de novembro de 2019

Lula sai da cadeia e prega a desordem - Rafael Brasil

Resultado de imagem para discurso de lula em são bernardo hoje

Logo que saiu da cadeia, agora mesmo, Lula prega a desordem, conclamando o povo a fazer como o Chile. Ou seja, o caos, e o terrorismo, afinal é o que sonha  a esquerda, agora sem o apoio da classe média, e fragorosamente derrotada nas urnas. Ruim para a própria esquerda moderada, ou mesmo como figuras como Ciro Gomes, e bom para a direita, afinal, tudo isso justifica sua imediata prisão preventiva, ao atiçar à população contra a ordem.
Claro, tudo culpa do estado completamente aparelhado pela esquerda, sobretudo as altas cortes da justiça, odiadas pelo povo desde sempre, e que , contrariando todos os preceitos constitucionais, o soltaram, assim como milhares de bandidos em todo o país. Porém, o povo quer ordem e trabalho, e mentiras deslavadas não atraem, muita gente. Ademais ele só se elegeu quando deixou o discurso esquerdista radical, lá atrás.
Certo o presidente, que ficou e está calado, só observando os ataques do meliante de Garanhuns, que está disposto a requentar seu discurso esquerdista radical. Não cola mais. E se a esquerda está sem discurso, agora fica pior. Afinal tudo isso une mais o centro à direita, polaaizando ainda mais a política nacional.
Claro os responsáveis por tudo isso são os membros do STF, que tudo fazem para desestabilizar o país, ávido de mudanças, conservadoras. Afinal o povo brasileiro não gosta de radicalismos, e foi enganado pelas esquerdas, antes moderadas e agora voltando às origens. E sobretudo devemos coinsiderar que este tipo de discurso abre margem à decretação imediata de sua prisão preventiva, afinal, só alguns gatos pingados compareceramn ao discurso após a prisão spa, em Curitiba. Espero que desta vez ela vá mesmo para uma penitenciária. Mas vamos acompanhar este circo de horrores que se transformou a política nacional com a cleptocracia petista. 
Quem sustenta tudo isso são os membros do estamenbto burocrático do estado, sobretudo, e infelizmente os professores, e o lumpemproletariado, gente sem eira nem beira. Mas estes estão sem mortadela. Eis o problema. Com a decisão do malfadado STF, a bolsa caiu, o dólar subiu. E o congresso vai parar, e vai ter que votar a prisão em segunda instância. A conferir.

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Alta Cultura E Cultura Popular No Brasil - Flavio Lindolfo Sobral

Resultado de imagem para flavio lindolfo sobral



Alta Cultura E Cultura Popular No Brasil


O que chamamos de “alta cultura” é o produto do trabalho dos grandes gênios da humanidade. Mas a alta cultura não é algo contrário ou oposto à cultura dita popular. Ela está mais para um refinamento e desenvolvimento vertical desta. O substrato desta cultura refinada é composto por fórmulas condensadas de valores, esquemas mentais, perspectivas, métodos e bom senso. Assim, alta cultura não é o mesmo que a mera erudição ostentatória, característica das classes mais altas — principalmente em nosso país. Enquanto naquela pessoas e nações são educadas, na erudição há apenas um verniz, uma ornamentação que não passa da máscara no teatro do beletrismo, do charlatanismo e da arrogância presunçosa. A cultura no seu sentido antropológico ajuda o indivíduo a se transportar para fora da mediocridade e do pedantismo, conectando-o ao seu mundo local e oferecendo insumos para o convívio social, contudo, é a cultura no sentido pedagógico que consegue elevá-lo a patamares de existência, de responsabilidade e de compreensão. Estes patamares são o caminho para que um indivíduo consiga dialogar com os gênios universais e com todas as outras culturas.
No Brasil, contudo, há algo em sua cultura que cria diversos obstáculos, armadilhas e complicações que dificultam incrivelmente o acesso aos valores e saberes universais. Uns dirão que é por causa do gramscismo, já outros alegarão que é culpa do protestantismo rasteiro, enquanto outros acusarão a superficialidade tecnocrática positivista e ainda haverá gente apontando para a Igreja Católica, a Maçonaria e a TV. Só que cada um destes contribuiu decisivamente para nossa cultura e formação. Logo, não são agentes, e sim também pacientes. Historicamente, este mal já era assinalado ainda no século XIX. Se ele tem historicidade e se encontra em vários agentes culturais, é imensa a possibilidade dele ser um fenômeno separado que vai se camuflando. Como um câncer, ele adentra as fontes da nossa cultura, rebaixando-as a mera fábrica de ostentação erudita, de penduricalhos pomposos, de menosprezo e aversão olímpicas ao conhecimento. Em outras palavras, aqueles que possuem a obrigação de ofício, de cargo e de casta de zelar e perpetuar o patrimônio civilizatório são os primeiros a vilipendiá-lo.
Mas algo de pitoresco acontece no Brasil. O povão que deveria ser presa fácil dessa “barbarização dos civilizados” meio que blindou-se. É verdade que recebe e sente as pancadas, porém, consegue assimilá-las e fazer valer a força educadora da cultura popular. É um processo totalmente inverso ao que aconteceu com Roma, em que a elite ainda com senso de alta cultura acabou se transformando na Arca de Noé do legado greco-romano. Aqui, é a plebe supostamente inculta que mantêm um pouco do que resta de valor cultural do Brasil. Entre a religiosidade difusa, os valores sociais, o bom senso prático, o patriotismo, o folclore e o apego à família há ainda sementes daquela grande árvore verdejante da outrora alta cultura brasileira: época que uma Rachel de Queiroz fez uma tradução de segunda mão de Os Demônios de Dostoiévski que ficou tão boa e literária quanto a original, ou que um Villa-Lobos bebia na melodia caipira para criar uma impressionante homenagem a uns doas maiores compositores da música clássica, ou que um Gilberto Freyre elevou a ciência social brasileiro a um grau de pioneirismo, antecipando em décadas estudos revolucionários da vida privada, da alimentação, da ecologia social, do comportamento, das obras literárias, etc.
René Guénon dizia que o qualificativo popular não se refere ao objeto, mas a via que este se utilizava para manter-se e perpetuar-se. Assim sendo, a cultura popular hoje pode ser vista como repositório (e inspiração) do que restou da nossa alta cultura, cristalizada em fórmulas simbólicas transmissíveis. Se a cultura popular é a matriz da alta cultura, seria no mínimo sensato fincar nela os alicerces para qualquer empreitada cultural. A esquerda há tempos tenta fazer isto, mas de forma deletéria e tóxica, desconfigurando-a de tal modo para encaixar no seu traje ideológico. Se os conservadores querem entrar com tudo no combate cultural, é por aqui que eles deveriam começar, resgatando a originalidade da nossa cultura que não é nada mais que o espírito de nosso povo.

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

O que fazer com um STF criminoso? Rafael Brasil

Resultado de imagem para movimento conservador brasileiro


Em ação coordenada, o senado segura a reforma da previdência, de que tanto o país precisa, chantagem pura. Ao mesmo tempo, o STF pratica todo tipo de barbaridade para defender criminosos , sobretudo os da própria corte, um bando de meliantes comprovados, com honrosas exceções. Ao passo o tal do pacote de abuso de autoridade, e o consequente corte aos vetos presidenciais, que visa coibir a ação da justiça contre eles, os bandidos do congresso, a grande maioria, e os membros do STF, que estão sendo atingidos pelas investigações da oparação lava jato. Do outro lado, a nação perplexa, assistindo e brigando nas redes sociais com os fanáticos comunistas que corroboram isso tudo, em nome da salvação do maior meliante da história, que está preso em Curitiba. Estas ações visam não só soltá-lo, mas liberal toda e cleptocracia nacional. Em poucas palavras, legalizar escancaradamente o estado bandido. Afinal, vivemos num país em que bandidos são não só respeitados, mas cantados em prosa e verso. Os honestos que se fodam. Isto é o Brasil, sempre descendo a ladeira, agora como nunca.
Como diria Lênin, com as massas em refluxo, figuras que não dariam nem pra ser vereadores em grotões do país, deitam e rolam. Os Rodrigos Maias, Alcolumbres,  aprendizes de una Renans da vida , deitam e rolam, posando de grande políticos e até estadistas. Dão seu macabro recado à nação indignada, de que, só existe salvação com a manutenção de privilégios para os eternos cupins do estado, eles próprios. O Brasil precisa de uma revolução, mas cadê o partido? Eis a questão. A revolução democrática brasileira está no coração do povão desde as jiornadas de 2013, mas falta organização, militância, em suma de um partido, organizado ideolóigica e programaticamente. Isto pode levar tempo, mas é fundamental que o movimento conservador se espalhe pela sociedade, que é conservadora, mas há décadas não é representada. 
Em suma, o presidente está sozinho, e o que pode e deve salvá-lo é a economia, aliás, quando a economia melhora, o governo faz o diabo, literalmente. Afinal, com o crescimento, vôo de galinha, do primeiro governo Lula, acompanhando a economia mundial, ele não fez o diabo? O mensalão, e depois o petrolão? Não foi o petismo que aparelhou os tribunais superiores?  Eis o resultado, a união de bandidos em todas as esferas nunca foi tão forte. Do STF ao PCC. E agora, o que fazer? Afinal se eles se saproveitaram do boom econômico para fazer o mal, porque não podemos fazer o bem? Ou seja, uma ampla reforma polítca por referendum, e quiçá, uma reforma constitucional, verdadeiramente republicana e democrática. É um sonho, mas é o que deve ser feito, na lei e na ordem. Existe outro caminho? Por enquanto, só veredas....

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Congresso, trama contra a nação - Rafael Brasil

Resultado de imagem para charges sobre corrupção do congresso nacional


Sete integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) votaram na tarde desta terça-feira, 24, a favor da abertura de um processo administrativo disciplinar contra o coordenador da força-tarefa da Operação Lava JatoDeltan Dallagnol. A análise do caso, no entanto, foi interrompida por pedido de vista (mais tempo de análise) do procurador-geral da República interino, Alcides Martins, faltando um voto para o colegiado formar maioria e acolher pedido do senador Renan Calheiros (MDB) para que o órgão investigue Deltan.
Só no Brasil mesmo, ladrão processa a justiça porque está sendo inc0modado com às investigações. Ou seja, abrir um processo contra um procurador que luta contra os maiores corruptos do país , que aliás não são poucos, atendendo os reclamos de um dos maiores bandidos da nação, que aliás é senador. Não devia nem ter participado de eleições, caso fossemos um país decente. Mas é o país em que toda esta canalha quer justamentre deixar tudo como está, ou seja ladrões protegidos pelas leis, enfim um estado cleptocrático institucionalizado.
Ontem mesmo a cãmara de deputados derrubou os vetos do presidente da tal de lei de abuso de autoridade. Uma lei criada justamente para dificultar investigações, punindo quem investiga e quem julga, em poucas palavras, abrandando às investigações dos meliantes, e ainda dando maiores poderes aos seus caros advogados. O congresso é um covil de bandidos e eles fazem tudo nas caladas da noite, e ainda pior: fazem a nação de refém de suas barbaridades, protelando reformas fundamentais para o soerguimento da nação, como a reforma da previdência e o pacote anti crime de Sérgio Moro.
Se tivéssemos um congresso minimamente decente, ele destituiria a suprema corte, completamente corrupta, cooptada por décadas de esquerdismo, de FHC a era petista. Mas o que temos é este lixo, que todos os dias trabalha contra a nação. Até quando, como sair disso sem uma ampla reforma política?

terça-feira, 17 de setembro de 2019

SENADO APRESSA VOTAÇÃO QUE FACILITA O CAIXA 2 - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para ladroes do congresso charges

Mais uma vez o congresso envergonha a nação, desta vez o senado. Como sempre, na calada da noite, vão tentar passar uma lei que facilita o caixa 2, que é crime. É de um descaramento sem par. 
O medo da polícia e da justiça colocou o congresso e as altas cortes como os principais inimigos da nação, há décadas enfrentando o diabo de uma brutal recessão, a maior da história, e ainda tendo que aguentar esta cambada de cabras safados ladrões, dos piores.
O que fazer para barrar essa gente, eleita por um sistema político corrupto em todos os aspectos? Afinal, a filtragem maléfica da política exclui consideravelmente cidadãos de bem que queiram participar da política, que , nunca antes na nossa história, tornou-se uma profissão de cabras safados.
Primeiro o projeto de abuso de autoridade, que serviu para amaciar e punir os agentes investigadores do estado. Depois o arquivamento de propostas de impeachment de meliantes do supremo, marginais do quilate de um Gilmar Mendes. Agora esta tralha jurídica para proteger bandido. Aliás são uns bandidos mesmo. Como lidar com essa gente? O povo quer simplesmente cadeia. Mas com um judiciário a serviço da turma fica difícil. Aliás o judiciário é que precisa de uma grande reforma, também. É isso aí. Nossa república nunca esteve tão apodrecida. Até quando?

OS INIMIGOS DO POVO TRABALHAM - RAFAEL BRASIL



Desde 2013 o povo luta desesperadamente e sem lideranças confiáveis, pela liberdade. Liberdade de ir e vir, o que é básico em qualquer sociedade minimamente organizada. E a mínima garantia de direitos básicos, como saúde, educação, moradia e, claro, trabalho.  Com um sistema político apodrecido, tivemos que optar entre dois bandidos, Dilma e Aécio, e o resultado é um país em pedaços. Crise econômica, com a maior recessão da história, e o mais grave: a estagnação. Há décadas, sacrificamos gerações, sem empregos ou perspectivas maiores, pelo baixo crescimento e pouca produtividade. Em poucas palavras, nossa população é pobre, sobretudo em educação, pouco treinamento, afinal. Se continuarmos nesta armadilha do baixo crescimento, estaremos fadados à pobreza, e sempre vítimas do populismo esquerdista. A Argentina é um exemplo, se bem que por lá, seria o caso de um rico que ficou pobre. Aqui a miséria é histórica, mas tivemos momentos de alguma luz, logo apagada pelos demagogos de plantão.
Então tem-se que cuidar da economia, o que o governo vem fazendo, e muito bem. Se a economia afundar mais, adeus apoio popular, o que querem os poderosíssimos agentes do atraso, ou seja, para que tudo fique sempre como está. Migalhas para o povão, e os privilégios de sempre da nossa nada nobre elite burocrática, capitaneada pelo judiciário em suas mais altas cortes, e por isso agentes da politicalha dominante, e, claro, a classe política, todos com medo da polícia e da justiça.
Como diria Lênin, um passo atrás, dois adiante. Em poucas palavras, não dá para enfrentar tudo e todos ao mesmo tempo, sem mídia,  sem militância e sem partido. É preciso priorizar as pautas econômicas, e em direção ao capitalismo. As pautas do congresso não devem ser desviadas deste objetivo. O STF está mostrando a raiva até patética destes setores defensores do status quo dominante, que apostam justamente no fracasso econômico para enfraquecer, ou mesmo derrubar o governo, desmoralizando-o. E as massas, digamos assim, estão em refluxo, como diria o sempre citado por Gramsci, o corifeu da filosofia da práxis.
Assim a lava toga pode ser uma armadilha. Afinal a reforma da previdência está nas mãos do senado. E CPI da lava toga poderá servir para colocar a CPI contra a lava jato. É preciso , depois de encaminhada às questões econômicas, enfrentar essa gente, enquanto, que,  a reforma do estado provoque o enfraquecimento das corporações estatais, o que está acontecendo, aliás. E tem as privatizações, afinal, desde Roberto Campos, que foi ministro de Castelo Branco, não tivemos um liberal puro sangue no comando da economia. É isso aí.
Enquanto isso os inimigos do povo trabalham, justamente não só para manter o status quo, mas para se livrar da cadeia. Ademais ainda está faltando muita gente por lá, inclusive ministros e maganos das altas cortes, isso sem falar nos estados.

quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Lula solto e o fim da lava jato o mês que vem? - Rafael Brasil

Imagem relacionada


Li agora no saite O Antagonista que está quase tudo certo pra soltar Lula e acabar de vez com a lava jato, mês que vem. A reação do sistema veio com a ameaça da lava jato atingir o judiciário, a começar pelo STF. Ademais o STF é o principal guardião da instabilidade política e institucional que se econtra o país. São uns bandidos, orquestrados pela ORCRIM, um absurdo jamais visto na história. Tudo em conluio com a chamada classe política completamente corrompida por corrupção sistêmica, digamos assim.
Tudo combinado com as forças mais retrógadas do congresso, que quer copntrolar a internet e a liberdade de expressão com  a tal de lei das fake news, a lei de abuso de autoridade, que visa coibir a ação da polícia e justiça contra poolíticos e maganos, e a obstroção monocrática de Toffolli de suspender às investigações do COAF. Tudo combinado com os vazamentos criminosos de conversas ilegais do caso Verdevaldo.
Enquanto isso o governo toma medidas sérias na reforma do estado e da economia. E a economia tem que andar, posto que está parada desde a recessão petista, a maior da história. Resta saber como se comportarão os atores no jogo. E como vai ser a reação popular, num país já bastante dividido? E qual a reação do governo a tudo isso? O bem vai ser criminalizado, com as anulações das sentenças de Moro? Estamos sempre no mundo das inversões? O mal vencerá? Bem estamos apenas no início da batalha, que, como diria Mao Tsé Tung, será uma guerra prolongada. Afinal, o sistema reage como pode, e sempre fez. Mas a história não se repete, já dizia o velho Marx. A ver...