BOLSONARO, ENTRE A PRISÃO E O EXÍLIO - RAFAEL BRASIL


 Com a eleição roubada de Lula, o establishment corrupto que não eceita, nem nunca aceitou um  candidato honesto e com uma pauta de direita, fará de tudo, ou para o tornar inelegível, ou mesmo para prendê-lo. Não importará o motivo, do mesmo jeito que arranjaram uma chicana jurídica para soltar Lula, o maior ladrão da nossa história, vão arranjar qualquer motivo para a impugnação, e para deleite dos mais radicais, prendê-lo.

Afinal, ganhar a eleição fraudada em todos os processos para essa gente não basta: Querem não só desmoralizar, mas até criminalizar a direita, que para essa gente não deve existir. É a democracia apregoada pelas elites que continuam mandando e desmandando no estado que consideram sua intocável propriedade. E o povão? Para essa gente a massa é desprezível, afinal essa gente nunca gostou do povo, apesar dos discursos em contrário. 

Só que sempre existe um porém, como sabemos. Bolsonaro apesar de ser um líder carismático, o maior do país hoje em dia, daí a raiva dessas elites, abriu espaços para novos quadros da direita, se não tão conservadora, liberal, coisa que os caudilhos mais tradicionais não fazem, como um Brizola, Arraes ou mesmo Lula, sem querer desmerecer o velho caudilho gaúcho nem o coronel nordestino, claro. 

Como sabemos a economia vai mal, e tende a piorar, dado a visão estatizante e anti mercado da esquerda. Como aconteceu no primeiro governo Lula, a conjuntura internacional não vai ajudar, com um mundo mais complicado pós pandemia e com a guerra na Ucrânia sem resultados previsíveis. aliás Lula começa com uma taxa de rejeição nunca vista em presidentes em início de mandato,e tudo tende a piorar.

Bolsonaro no exílio poderia muito bem organizar a política da direita nacional, afinal os grandes líderes e as grandes revoluções foram dirigidas a partir do exílio. E lá de fora ele poderia falar o que quiser, sem ameaças do establishment corrupto. Ademais, o Brasil precisa se mobilizar pela liberdade, contra a ditadura togada e as elites que a sustentam.

Afinal, ter feito um grande governo e ser um homem  honestíssimo, não basta para as elites, ao contrário: Bolsonaro se posicionou e muito bem contra elas, e ainda mantém um alto índice de popularidade. Afinal ele não perdeu, roubaram a eleição, até as pedras sabem disso.

Enfim, a luta do povo tem que continuar, e agora reforçada pela luta parlamentar. Afinal é um acinte um país em que bandidos mandem e prendam homens honestos, uns poucos que restam. Bandido tem mesmo é que estar na cadeia, sobretudo os togados, estes é que deveriam servir de exemplo. Mas vivemos tempos difíceis com valores, digamos completamente invertidos, e isto só mudará pela cultura e pela política, e com a participação maciça do povo. Enfim, só o povo salva o Brasil, o resto é farofa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário