ROUBO LIBERADO - RAFAEL BRASIL

  


O STJ estabelece novas diretrizes sobre o roubo domiciliar. Em poucas palavras, se o sujeito tentar roubar sua casa e não conseguir o intento ele está liberado. Se tentar arrombar a porta ou o cadeado isso não implica crime nenhum, mas se você, o dono da casa, reagir, aí sim está lascado. E se matar a “vítima da sociedade” pior, sobretudo se estiver armado e o meliante ser morto por tiros.

Tudo isso faz parte de políticas de abrandamento do crime, partindo do pressuposto de que os criminosos são vítimas da sociedade capitalista malvada. Ou seja, tudo pelos criminosos, nada para as vítimas, que cada dia convivem com os crimes e os criminosos todos os dias, e a impunidade fazendo a festa dos criminosos, afinal, cometer crimes passa a ser um bom negócio.

Com estas políticas de abrandamento adotadas há cerca de trinta anos a criminalidade explodiu no país, chegando a 70 mil mortos por ano, mais do que a guerra do Iraque. No governo Bolsonaro o número de homicídios caiu 20%, e agora tende a subir, dado o carnaval que os criminosos de todos os tipos fizeram com a vitória de Lula e sua quadrilha, na maior fraude eleitoral da história do país.

Esta semana mesmo, o ministro Lewandovski, disse que um dos problemas do país é o encarceramento. Ele quer justamente abrandar mais as penas de modo que centenas de milhares de criminosos sejam soltos. Claro, ele , assim como os demais ministros andam fortemente protegidos por seguranças armados até os dentes, afinal são odiados pela população pelas suas ações contra a liberdade e contra a democracia, dentre outras coisas. Na verdade são a vanguarda da cleptocracia reinante, e agora com mais força porque elegerem um criminoso condenado pela justiça, no roubo, para presidente.

Por essas e outras o povo está mobilizado em frente aos quartéis, enquanto a cleptocracia reinante tenta se proteger do populacho com leis que os protejam cada vez mais de quaisquer críticas. E os milicos até agora nada fazem, além de soltar notinhas para enganar os Manés , a grande maioria da população de um país cada vez mais dividido entre  essas elites e o povo. Fica a pergunta: Até quando?


Nenhum comentário:

Postar um comentário