quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

OLGA BENÁRIO, PRESTES, E OS COMUNISTAS - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para OLGA BENÁRIO AGENTE DO COMINTERN"


STÁLIN E O ÓDIO AO OCIDENTE



Quando li Origens do totalitarismo de Hannah Arendt, fiquei chocado ao saber que muitos soldados e oficiais soviéticos que tinham mantido contatos com povos do ocidente, foram mandados para os gullags soviéticos, e a maioria, claro, assassinada. Stálin tinha um visceral ódio pelo ocidente. Depois da guerra, muitos soviéticos que tinham qualquer relação com a cultura ocidental era tido como um potencial inimigo do estado. O povo temia ter contatos com estrangeiros, afinal isso poderia significar, se não a morte certa, o envio aos campos de concentração, com trabalho escravo. No final da vida, com dentes amarelados, e a cara marcada pela bexiga, parecia um monstro que realmente era. Até seu mordomo de confiança ele mandou matar, e desconfiava que até o ar que respirava estava contaminado pelos espiões adversários. O monstro morreu de derrame em 1953. O sistema repressivo continuou, só que de uma forma atenuada. Em 1956 seus crimes foram em parte denunciados no XX congresso do PCUS por Nikita Kruchev, mas para esconder os crimes da nova nomenclatura do que para acabar com o sistema repressivo. Aliás quem participou do seu governo, era criminoso também. O trabalho escravo na ex União Soviética, continuaria até a a extinção do comunismo. Seu professor de história já falou isso?


AGILDO BARATA E OS CRIMES DE STÁLIN


Agildo Barata foi um ativo revolucionário comunista. Como todo comunista tinha uma concepção religiosa do partido e da revolução, tal qual Prestes, o denominado cavaleiro da esperança. No seu livro de memórias, ele relata que, ao saber dos crimes de Stálin no XX congresso do PCUS, não acreditou, afinal a notícia tinha sido publicada no então jornal burguês O Estado de São Paulo. Correu para uma reunião do partido, que estava na semi clandestinidade, quando tudo foi confirmado. Sua decepção foi tanta que ele teve uma crise de vômito. Seria como um cristão saber que Jesus era mau, ou coisas similares. Agildo Barata era pai do grande humorista Agildo Ribeiro. Foi nessa época que houve um racha no partido quando fundaram o PC do B. O PC do B, continuou stalinista, depois apoiaria Mao Tsé Tung, o maior genocida da história. Hoje ainda posa de bacana, progressista, etc. Esteve sempre com a cleptocracia petista, agora vai mudar de nome pra ainda enganar os bestas, que não são poucos neste país. Sempre tiveram um DNA genocida, e são tão bandidos quanto os petistas. Um dos seus membros, o alagoano Aldo Rebelo foi ministro da defesa, ou seja, os milicos batiam continência pra ele. A que ponto chegamos? Vade retro satanás!


OLGA BENÁRIO, PRESTES, E OS COMUNISTAS


Olga Benário era agente do comitern, a internacional comunista, que na década de 30 empreendeu inúmeras ações revolucionárias mundo afora. Era uma comunista treinada para a luta revolucionária, e foi escolhida como mulher de Prestes, recém convertido ao comunismo, depois de ter participado do movimento tenentista e da coluna que levaria seu nome que percorreu o país. Queriam tomar o poder através de um golpe militar comunista. Prestes se apaixonou, coisa considerada atitude pequeno burguesa para os comunistas. O golpe deu errado e Vargas esmagou os golpistas com uma brutal repressão, abrindo caminho para a ditadura do estado novo, a mais violenta da república, de tradição autoritária. Olga, judia e comunista foi entregue covardemente por Vargas a temível Gestapo a polícia política de Hitler, sendo depois enviada para a Alemanha e morta num campo de concentração nazista. Se voltasse pra União Soviética, seria eliminada por Stalin, mas isso é outra história. Depois, na eleição de Vargas, em 1950, o partido comunista se aliaria a Vargas tendo Prestes subido no palanque do mesmo. Desde então a aliança dos comunistas com o varguismo perdurou até os dias de hoje. Na época, para um comunista, o partido estava acima dos sentimentos pessoais, tidos como pequeno burgueses. Depois Olga foi idealizada como uma mulher meiga e frágil. Dizem que ela desdenhava o sentimentalismo de Prestes, e claro, nada tinha de meiga, afinal era uma agente do temível comitern. Coisas da história do comunismo tupiniquim. Olga sabia manejar quase todas as armas, e pilotava aviões. Prestes morreu de velho, e continuou ortodoxo como sempre. Ortodoxo e burro, convenhamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário