terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

NO PT NÃO HÁ LIMITES PARA O CINISMO, NEM PARA O RIDÍCULO - ALTAMIR PINHEIRO


NO PT NÃO HÁ LIMITES PARA O CINISMO, NEM PARA O RIDÍCULO,


Dá para tolerar: Lula, Dilma e João Santana?!?!?! Humanamente impossível, CHEGA!!! Pois bem, Este é o “retrato escrito” desta malfadada pátria amada de joelhos, pedindo ajuda aos céus. O que lemos e vemos diuturnamente em letras luminosas e garrafais em caixa alta, a miséria, a ruína, o estado de putrefação das instituições republicanas de Executivo; Legislativo; Judiciário – este ainda preserva raras e honrosas exceções em alguns Tribunais independentes que resistem em deixar o país acabar numa eterna cambulhada na terra de ninguém - Uma montanha de entulho de incompetência, delinquência, estupidez com atraso mental já em estado encefálico, desgovernado e grotesco, tem de ser removida. A horda, a súcia de ladravazes que encampou o governo usando de meios, politicamente e financeiramente fraudulentos, não nos deixa outra opção, senão que seja banida, o mais rápido possível, toda a cúpula e amputados seus membros corruptos, para que seja salva a lavoura. Depois, fazer nova semeadura, com boa semente, e aguardar, com muita esperança, o tempo de colher bons frutos. Que os anjos digam amém!!!

Pelas últimas presepadas que o Ratão de São Bernardo aprontou e vem aprontando, confirma-se que aquele POBRINHO lendário é muito diferente do RIQUINHO real. Faz inflamados discursos sobre a perversidade das “ZELITES” e sua inveja diante de seu sucesso político, mas, ato contínuo, aceita, sem maiores problemas de consciência, os favores que lhe são prestados por essa mesma turma de ricaços, por essa mesma gente que minutos atrás ele açoitava implacavelmente. A evidência da disparidade entre a figura pública e o homem privado vem fazendo despencar sua popularidade. É isso o que vem minando dia a dia seu capital político, esse capital que por um bom tempo esse palanqueiro cafajeste julgou ser inesgotável, podendo ser esbanjado como bem lhe conviesse. O camelô de empreiteiras finalmente começa a se dar conta de que não é uma lenda. É um homem de carne e osso que carrega as suas servidões e deve responder pelos seus atos. Leia-se CADEIA!!!

Quem se lembra do personagem de gibi, Riquinho (o pobre menino rico), Ele era triste porque tinha tudo, menos amigos. Pois, agora surge o palestrante de bordel, o rico menino que já foi pobre. Ele é infeliz, ao contrário da ficção, porque tem amigos demais; Amigos que reformam sítios de outros amigos; Amigos empreiteiros; amigos pecuaristas; amigos que compram móveis caros e reformam apartamentos… Por isso é que amigos é pra se guardar dentro... do bolso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário