terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

A VEEMÊNCIA DE SÉRGIO MORO - RAFAEL BRASIL

“Excepcional não é a prisão cautelar, mas o grau de deterioração da coisa pública revelada pelos processos na Operação Lava Jato, com prejuízos já assumidos de cerca de seis bilhões de reais somente pela Petrobrás e a possibilidade, segundo investigações em curso no Supremo Tribunal Federal, de que os desvios tenham sido utilizados para pagamento de propina a dezenas de parlamentares, comprometendo a própria qualidade de nossa democracia”, escreveu Moro no despacho em que mandou prender o publicitário João Santana, marqueteiro do ex-presidente Lula e da presidente Dilma.

Esta é a declaração veemente de Sérgio Moro a respeito da prisão do marqueteiro do PT que recebeu propina do grande esquema de corrupção da petrossaudo que devia ser imediatamente privatizada.
Aliás, ninguém, nem os liberais levantam esta bandeira, estranho, não? Tem medo das privatizações? Que coisa!
Embora o PT esperneie, a operação lava jato está provando que o PT é uma quadrilha com um safado e confuso projeto de poder socialista.
Ainda não pegaram Lula, mais por medo do que por indícios, que são mais do que evidentes. Ele tem que ser finalmente investigado, mas está dando um recado perigoso: A arregimentação das falanges fascistas do partido, geralmente ligados aos sindicatos e as tais de entidades sociais devidamente controladas pelo partido e financiada pelo governo, isto é por nós os idiotas de sempre.
Que o PT e Dilma estão acabados todo mundo sabe. Mas jogam na tese do quanto pior melhor. Em poucas palavras, a política de terra arrasada. Querem afundar com o país junto. Mas não passarão! Aliás, passarão para a lata de lixo da história!

Nenhum comentário:

Postar um comentário