JUSTIÇA PRETENDE SOLTAR ADÉLIO BISPO - RAFAEL BRASIL

 


Vi agora no Diário do poder do jornalista Cláudio Humberto, que o terrorista do PSOL,  Adélio Bispo, deve ser solto pela justiça rapidamente. Vão fazer um laudo que possivelmente comprovará sua sanidade para logo depois soltá-lo. 

Passados quase quatro anos da tentativa de assassinato do então candidato Jair Bolsonaro, fizeram várias chicanas jurídicas, primeiro para torná-lo inimputável, e agora para soltá-lo. 

Neste ínterim, não foi possível tirar o sigilo telefônico dos advogados, contratados por ninguém sabe lá por quem, e por quantias sabe-se que milionárias , posto que os advogados usavam jatinhos e outras mordomias mais. Portanto fica a simples pergunta: Quem pagou tudo isso?

A soltura de Adélio, ex militante do partido de extrema esquerda PSOL, vem justamente na época da eleição presidencial, a mais importante do conturbado século XXI. E agora estamos assitindo a partir das delações do antigo operador do mensalão Marcos Valério, a introdução da monumental roubalheira petista que desaguou no petrolão, as ligações do PT com o crime organizado o famigerado PCC. 

Adélio solto pode ser facilmente morto como uma queima de arquivo, afinal nunca o Brasil esteve submetido a uma organização criminosa como o PT.

Enfim o sistema resiste com seus militantes cada vez mais destemidos encastelados no coração do estado, mais especialmente no judiciário e no STF, a vanguarda da bandidagem nacional. Por essas e outras querem de todo jeito roubar a eleição. E se a esquerda ganhar com seu bandido mor, aí a bolivarianização será completa com a transformação do país definitivamente em um narco estado. Que Deus proteja o povo brasileiro.

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. "Por essas e outras querem de todo jeito roubar a eleição". Nada a comentar!

    ResponderExcluir
  3. Amigos dê o que tem que dar faça chuva ou faça sol Bolsanaro ja esta eleito e, DEUS nos livre dessa corja que se chama PT

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir