terça-feira, 17 de março de 2015

Mais 5 motivos para o impeachment de Dilma Rousseff e a extinção do PT - POR FELIPE MOURA BRASIL


Lula-e-Dilma-em-Salvador
Tchau, hein!
Dilma Rousseff é uma presidente ilegítima, eleita de maneira criminosa, e tem de cair. O PT é uma gigantesca lavanderia de dinheiro sujo e tem de ser extinto.
As novas denúncias dos delatores da Operação Lava Jato confirmam ambas as teses de 2,2 milhões de brasileiros que foram às ruas, enquanto a oposição dorme e jornalistas se perdem em irrelevâncias.
Os 300 milhões de dólares roubados pelo PT na Petrobras já eram 300 milhões de motivos para o impeachment de Dilma.
Agora temos mais 5:
1) 
O tesoureiro do PT pediu mais de 10 milhões de reais de propina à Camargo Corrêa em 2010.
denúncia foi feita pelo vice-presidente da empreiteira, Eduardo Leite, em seu depoimento de delação premiada à força-tarefa da Operação Lava Jato.
vaccari-sergio-castro-estadao-1024x683João Vaccari Neto, segundo Leite, cobrou-lhe um valor “superior a 10 milhões de reais” de propinas atrasadas e sugeriu que elas fossem pagas por meio de doações ao PT.
Ou seja: depositadas diretamente no caixa do partido.
O testemunho demonstra que o PT usou as doações legais das empreiteiras para lavar o dinheiro roubado da Petrobras, o que ridiculariza o argumento petista da legalidade:
Eram doações legais de dinheiro ilegal - e “Vaccari tinha consciência” disso, como disse o procurador Deltan Dallagnol, da Lava Jato.
Detalhe: a delação do presidente da Camargo Corrêa, Dalton Avancini, será concluída na sexta-feira, devendo incluir ainda episódios “estarrecedores” como o dos 100 milhões de reais de propina na usina de Belo Monte – ou o ‘belo monte’ de 100 milhões de reais do PT.
Relembre AQUI.
2)
A distribuição das doações da Camargo Corrêa em 2010 está disponível no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
chovendo-dinheiroDilma Rousseff recebeu 13 milhões de reais, enquanto o candidato tucano José Serra recebeu menos da metade: 6 milhões de reais.
Nas campanhas locais, como mostrou O Antagonista, o PT também arrecadou mais do que os outros partidos.
Veja a lista dos maiores beneficiários petistas:
Aloizio Mercadante: 4 milhões de reais;
Marta Suplicy: 2 milhões de reais;
Tarso Genro: 2 milhões de reais;
Angela Portela: 2 milhões de reais;
Fernando Pimentel: 2 milhões de reais;
Jaques Wagner: 1,5 milhão de reais;
Lindbergh Farias: 1 milhão de reais;
Humberto Costa: 1 milhão de reais;
Gleisi Hoffmann: 1 milhão de reais.
3)
Os procuradores do Ministério Público Federal, em suas denúncias contra Vaccari e Renato Duque, explicaram como a propina das empreiteiras foi contabilizada como doação legal ao PT:
“A vinculação entre as doações políticas e os pagamentos feitos pela Petrobrás aos Consórcios Interpar e Intercom pode ser comprovada pela comparação entre as datas em que a Petrobrás pagou os consórcios e as datas, subsequentes, em que empresas controladas por Augusto Mendonça promoveram a transferência de propina disfarçada de doações oficiais para partido político”.
O MPF fez uma tabela cruzando os dados sobre os desembolsos da Petrobras e as doações das empreiteiras ao PT.
Para derrubar Dilma e extinguir esta gigantesca lavanderia de dinheiro sujo chamada PT, só falta a oposição cruzar a tabela do MPF e a vergonha na cara.
tabela-comparada-doações-e-pagamentos
Lula 54)
Dilma Rousseff e a cúpula do PT, “em conversas reservadas”, pressionam Vaccari a deixar o cargo de tesoureiro do partido, segundo o Estadão.
A estratégia repete a do auge do mensalão, em 2005, quando o PT expulsou o tesoureiro Delúbio Soares para tentar acalmar a opinião pública.
Em julho de 2011, no entanto, Delúbio foi readmitido nos quadros do partido, como era de se esperar do PT.
Quando Vaccari teve de largar a boquinha de R$ 21 mil por mês na Itaipu Binacional para comparecer a seis reuniões por ano, escrevi aqui:
“Como nenhum petista fica desempregado – ou sem receber pelo devido silêncio -, resta a pergunta enquanto o impeachment da presidente não vem:
Quanto será que o PT vai arrumar para Vaccari agora?”
Não sei. Aparentemente, a contrapartida para o silêncio do tesoureiro segue em negociação e ainda não foi quantificada.
5)
Na véspera da eleição de 2010, o operador de propinas da SBM, Júlio Faerman, deu 300 mil dólares à campanha de Dilma.
size_590_pedro_barusco
Barusco na CPI
A denúncia foi feita na CPI da Petrobras pelo ex-gerente da estatal Pedro Barusco.
Um documento divulgado pela Folha confirma a autorização da SBM para um repasse de 311,5 mil dólares de uma subsidiária da empresa nas Ilhas Virgens para uma empresa de fachada de Faerman, justamente na véspera da eleição de 2010.
Condenada por um tribunal holandês, a SBM admitiu que distribuía propinas no Brasil.
Um diretor definiu Faerman, em e-mail interno da companhia, como o “mais fedorento de todos os fedorentos”. E acrescentou: “Não se pode excluir que os pagamentos no Brasil tenham financiado partidos políticos”.
Outro diretor da SBM, empenhado em acobertar a corrupção, escreveu: “Enquanto não houver evidência de movimentação de dinheiro através de contas bancárias, não há como provar os pagamentos”.
Falta apenas, neste caso, encontrar essa evidência para entender como os 300 mil dólares da empresa de fachada de Faerman chegaram ao caixa da campanha de Dilma. Assim, abre-se caminho também para a extinção do PT, com base na lei nº 9.096:
“Art. 28. O Tribunal Superior Eleitoral, após trânsito em julgado de decisão, determina o cancelamento do registro civil e do estatuto do partido contra o qual fique provado:
I – ter recebido ou estar recebendo recursos financeiros de procedência estrangeira”.
*****
Enquanto isso, o povo canta nas ruas:
“Dilma, vai embora que o Brasil não quer você / E leve o Lula junto e os vagabundos do PT”.
Felipe Moura Brasil ⎯ http://www.veja.com/felipemourabrasil
Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Nenhum comentário:

Postar um comentário