terça-feira, 2 de agosto de 2011

FUTEBOL

O fiasco do futebol brasileiro na copa América, não representa a decadência do nosso, mas a evolução do esporte por todo o mundo, mais espcialmente na América do Sul. Antes, só ganhavamos de goleada, agora a conversa é outra. O Uruguai está de volta. com a mescla do seu velho estilo guerreiro e clássico, a Bolívia é um time fechadinho e compacto, o Equador e a Colômbia, sempre dão trabalho, e o Paraguai tem muma retranca de doer. Além da Venezuela, sempre considerado um dos piores do continente, hoje dá trabalho, e ganha partidas. Além de Chile e a poderosa Argentina, duas forças tradicionais da parte sul e também latina do continente. Que adora futebol, com exceção de Cuba e da própria Venezuela, que preferem o beisbol. Portanto, na copa, ninguém vai encontrar moleza. Tem que se fazer um time. Brasil e Argentina se constituuiem num amontoado de bons e médios jogadores. Uns excepcionais, como Messi e Neymar. Porém, a choradeira vai sr grande se o Brasil perder. E se for para o Uruguai?

URUGUAI

Tenho a maior simpatia pelo Uruguai. Tem pelo menos a metade da popúlação de Pernambuco, e já foi considerada s Suíça da América do Sul. Tem forte tradição democrática mas também caudilhesca. Pelo menos metade da população vive na capital, Montevidéu, que é uma bela cidade, culta e cosmopolita. Tal qual a Argentina o nível de vida da população ainda é um dos melhores da América do Sul, embora se a grande decadência do vizinho. Foi uma província brasileira, e fizeram certo em se desvincilhar deste grande e complicado país de lingua portuguesa. Depóis de uma grande decadência, volta como um dos maiores protagonistas do futebol no continente, ganhando merecidamente a Copa América.

OBDÚLIO VARELLA E A RAÇA URUGUAIA

Na decisão da copa de cinquenta, antes dojogo nos vestiários, chega o embaixador do Uruguaiu, fazendo um discurso derrotista, aseverando a todos a importância do vice campeonato, e de competir, o que para ele era realmente o que importava. Comno o Brasil era gigante, não era vergonha perder a decisão. Logo depois que ele saiu, o capitão da celeste, Obdúlio Varella, chamou os companheiros e disse: "Nada de competir. Vamos mesmo é comer grama se possível para ganhar! " Deu no que deu. Sobretudo no futebol, ninguém morre de véspera. Ainda mais em copa do mundo.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário