domingo, 26 de janeiro de 2020

BALBÚRDIA NA OLIGARQUIA DOS DEFUNTOS - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para briga da família arraes em pernambuco"



Como bem ressalta Olavo de Carvalho, as piores oligarquias são as de esquerda. Afinal os comunistas querem acabar com aa famílias dos outros, claro, sobretudo do povão. Teorias mais estapafúrdias a respeito pululam nas nossas academias, resultando nestas militâncias malucas que vemos todos os dias para fabricar novos modos de família, e absurdos similares. E, claro, afrontando não só o senso comum, como também o que se chama de ciência ao dizer que homem não é homem nem mulher mulher, e outras idiotices mais.
Fidel, Ceausescu, King Jon, e outras famílias comunistas foram as mais oligarcas. Aqui na província, nunca tivemos uma oligarquia familiar tão resiliente como a de Arraes, e pior: Uma oligarquia de defuntos, afinal o velho morreu quase aos noventa e o neto de um ainda não explicado desastre de avião, que pode ter as impressões digitais da ORCRIM petista, de quem o clã era aliado mas ameaçou romper, ao ser candidato à presidência, ameaçando a hegemonia vermelha, que ainda persiste nas escolas, universidades, mídia, show business e demais repartições públicas.
Como dia um velho ditado, casa que falta pão, todos brigam e ninguém tem razão. No caso de Pernambuco, a questão é o excesso de pão, e deixaram alguém da oligarquia sem comer, no caso, o irmão de Eduardo Campos o Antônio. Afinal quem manda na quadrilha é a viúva do ex governador Eduardo Campos, e na briga, a filha, conselheira do TCU Ana Arraes, ameaça ser candidata a governadora. 
João disse o que até as pedras sabem que a corrupção da família faria a corrupção do ex governador da Paraíba, o tal de Coutinho, apontado como o Sérgio Cabral do nordeste, ser brincadeira de criança. 
Vamos ver a dissecação das entranhas desde cancro que dominou, atrasou, e ainda está atrasando o estado desde então. Afinal Pernambuco não merece mais essa gente. Aqui fica a pergunta: Pernambuco não tem mais homem não? Nem uma mulher de coragem e de preferência vingativa? Na capital desponta a delegada Patrícia Domingues, e aqui para derrubar oligarquias tudo começa pela capital. Alô, Recife, tu não eras cantada em prosa e verso como a cidade rebelde? A conferir, mas as coisas estão mudando e, claro a história se move. Saravá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário