sexta-feira, 3 de novembro de 2017

NAS UNIVERSIDADES AINDA GLORIFICAM O COMUNISMO. PARECE PIADA - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para rodrigo jungmann


O nada magnífico reitor da federal, que envergonha Garanhuns pela sua estultice comunista, proibiu a apresentação do filme Amarga Colheita, que trata sobre o genocídio na Ucrânia em que Stálin tirou a comida dos camponeses, matando cerca de 7 milhões de pessoas no triste ano de 1932. Vi o filme ontem em casa, triste, claro, mas os comunistas fizeram coisas bem piores, sobretudo na coletivização forçada de Stálin na qual morreram cerca de 15 ou vinte milhões de camponeses na fatídica década de trinta, quando surgiram os regimes totalitários. 
Aqui no Brasil, Getúlio Vargas era um fã do fascismo. No Estado Novo, de 1937 a 1945, matou, prendeu e torturou mais do que nos vinte anos do regime militar. Isto ninguém fala, porque, dentre outras coisas, e apesar do massacre varguista aos comunistas em 35, quando eles tentaram um golpe para tomar o poder, os comunistas se aliaram a ele nas eleições de 1950, quando Prestes subiu no palanque varguista. Apesar de Vargas ter enviado sua mulher Olga Benário , comunista e judia, aos nazistas, e ela foi assassinada. Mas Olga não era uma santinha não. Ela era uma agente comunista que sabia manusear muito bem metralhadoras e pilotar aviões. Bem diferente da visão edulcorada apresentada depois pelos comunistas, e no filme Olga, baseado num livro de Fernando Moraes, outro comunista de carteirinha.
A ideologia comunista tachava os sentimentos , o amor, a família , como sentimentos pequeno burgueses. Coisas pequenas, diante das tarefas supostamente redentoras da revolução e do partido. Ademais quem matou mais comunistas foram os próprios. Stálin matou TODA a velha guarda revolucionária bolchevique, inclusive seus principais amigos e colaboradores. Lênin era implacável com seus adversários, e impôs o chamado centralismo democrático, que não permitia dissidências à esquerda. Quem era contra era assassinado. Gente boa, né?
O pior é que em pleno século XXI ainda tem gente, e muita, que comunga estas maléficas idéias. E aqui, um dos maiores baluartes do comunismo são as universidades e as escolas. Claro o comunismo mudou, agora é o chamado marxismo cultural. Ocuparam as escolas e universidades e toda a mídia, em projetos de destruição da família e da tradição católica, judaica e cristã. Daí esta confusão de gaysismo, ideologia de gênero e o escambau. Aliás, no passado os comunistas eram os que mais perseguiam homossexuais. Os comunistas das antigas não permitiam gays em suas fileiras, pois achavam que o homossexualismo era uma perversão da sociedade capitalista e burguesa.
Por essas e outras nossa educação está entre as piores do mundo, e nossas universidades, apesar de rios de dinheiro que são gastos, continuam nos últimos lugares e decaindo. Uma desgraça. Uma universidade que não admite o contraditório, a pluralidade de idéias deveria ser simplesmente fechada. E um  reitor que, quando da ocupação e depredação de gabinetes de professores de direita não deu uma palavra sequer, não passa de mais um crápula. Mas tem tudo a ver com sua ideologia. 
O Brasil precisa de uma virada conservadora. O povo está acordando. Antes tarde do que nunca. Devemos parabenizar o excelente trabalho do professor Rodrigo Jungmann que heroicamente tem enfrentado toda esta corja, verdadeiramente institucionalizada. Cabra macho! Precisamos de homens assim. Temos poucos, mas é sempre bom começar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário