terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Sessão do CNMP teve buzinaço livre e fome de Janot - 14 a 0 CONTRA LULA


 - Atualizado em 
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot(Ueslei Marcelino/Reuters)
A sessão do Conselho Nacional do Ministério Público que confirmou nesta terça-feira o nome do promotor de Justiça Cássio Conserino à frente do inquérito sobre a reforma de um tríplex em Guarujá (SP) para o ex-presidente Lula e a ex-primeira-dama Marisa Letícia foi marcada por protestos do lado de fora do prédio, em Brasília. Em dado momento, um dos conselheiros interrompeu a sustentação oral do advogado de Lula, Cristiano Zanin, porque não conseguia se concentrar na fala. Ele pediu que o procurador-geral da República e presidente da sessão, Rodrigo Janot, mandasse cessar o buzinaço promovido por antipetistas. Ouviu como resposta que nada poderia ser feito, porque eles ocupavam um espaço público. Cogitou-se inclusive suspender a sessão. Na semana passada, a entrada do fórum em São Paulo onde Lula e a mulher iriam depor virou campo de batalha entre petistas e grupos contrários ao governo Dilma Rousseff. Quando o relógio marcava quase 13h30, Janot pediu aos conselheiros que votassem de maneira sucinta, preocupado com o horário de almoço: "A fome bate a nossa porta". De maneira rápida, todos os conselheiros acompanharam o relator na íntegra, num expressivo catorze votos a zero, desfavorável a Lula. (Felipe Frazão, de Brasília)

Nenhum comentário:

Postar um comentário