quinta-feira, 30 de abril de 2015

Greve dos professores: Rafael Brasil





Fui chamado de reacionário filho puta e outras palavras até mais chulas sobre a greve dos professores estaduais. Claro, sou professor da rede, prestes a me aposentar, e gostaria de receber mais. Ademais, os professores de Pernambuco estão entre os que menos ganham no país. Porém, nos últimos anos de gestão socialista, poucos criticaram o sistema de educação integral ou semi integral pomposamente implantada no estado.
 O sistema é caro, e não toca no principal, que seria colocar na lata de lixo o tal de sócio construtivismo, e da necessidade de DESBUROCRATIZAR a função do professor. Afinal, a função do professor é ensinar. A burocracia emburrece e afasta o professor do conhecimento que nunca deve ser negligenciado.
 Também é importante a implantação da disciplina nas escolas sem a qual nada anda. Quanto aos salários, bastava dar um aumento geral e adicionalmente, por produtividade tanto no sentido individual quanto coletivo. Para que chamadas incessantes, e a tal das cadernetas inúteis? Também a rede deveria TER UM CURRÍCULO MÍNIMO E BASTANTE ENXUGADO. Está provado que seis horas diárias são suficientes para um bom aprendizado. E o contato permanente com as famílias. Mas nada disso foi discutido ou mesmo questionado.
 Enquanto um charlatão como Paulo Freire for o patrono da educação nacional e do estado, ficaremos na ignorância total. No caso só dinheiro não resolve. Faço um desafio aos ditos "pedagogos" de plantão: Qual a cidade, ou escola, que prosperou com tais "pedagogias" que nada mais são do que doutrinação ideológica, e das mais fajutas? Quem encontrar a resposta ganha um bolo de mandioca de presente , pois como sou professor da rede só posso ofertar tal prêmio. O desafio está lançado. E, ademais, os professores não votaram em Lula , Dilma, e os socialistas estaduais? Quebraram o país e o estado. A farra populista acabou. Agora pagamos as contas. Saudações democráticas e cristãs. Saravá!

Nenhum comentário:

Postar um comentário