quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

"Vai para Cuba, Cardozo!" Com Blog Rodrigo Constantino - Veja


Cardozo Foro SPO juiz responsável pela Operação Lava-Jato, Sergio Moro, disse que é “intolerável” a reunião do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, com advogados das empreiteiras investigadas no escândalo do petrolão. O uso do termo faz coro ao que o ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa, havia dito antes, pedindo a demissão imediata de Cardozo. É tudo muito absurdo, muito republiqueta das Bananas, algo que tem a cara do PT no poder. Mas nada disso pode ser surpreendente.
Ao menos não para quem acompanha o PT nos últimos anos e já escutou falar, por exemplo, do Foro de São Paulo. O PT é um partido que oficialmente defende ditaduras, ou seja, não acredita na democracia representativa de fato e, portanto, cospe no conceito de República e divisão de poderes. Para os petistas, o governo fazer uso do estado para beneficiar o partido é a coisa mais natural do mundo, quase uma obrigação dos “companheiros” pela “causa” (perpetuar-se no poder). É como o PT funciona.
Logo, ninguém que conhecesse essa reportagem da Veja.com, por exemplo, pode ficar espantado com a ação de Cardozo agora. Ele estava lá, na reunião do Foro, enaltecendo o regime cubano, tecendo loas a um ditador assassino, ao lado de terroristas e sequestradores narcotraficantes da Colômbia. Cardozo atacava os Estados Unidos, uma República como poucas, com ampla liberdade individual e sólido império das leis, enquanto babava o ovo do decrépito “El Coma Andante”, que transformou Cuba em um feudo particular, em uma fazenda que, em vez de gado, tem escravos humanos. Vejam:
Pergunto: um defensor de Cuba, sócio das Farc no Foro de SP, teria escrúpulos “pequeno-burgueses” democráticos para não usar o estado em prol do partido e passar por cima das nossas leis, mesmo sendo o representante da Justiça? Pergunto, ainda: o que diz desse país o simples fato de alguém com tais credenciais, com tal passado recente, com tal discurso, ter se tornado o ministro da Justiça?
Sim, Cardozo deve ser demitido, imediatamente. Afinal, democratas legítimos não podem tolerar essa simbiose nefasta entre estado e partido, como se a “coisa pública” fosse uma “cosa nostra”, típica da máfia. Mas isso é muito pouco. Cardozo deveria mesmo é ir para Cuba (e levar o PT junto), pois pessoas assim não são bem-vindas em regimes republicanos, muito menos como ministro da Justiça.
E pensar que ele ainda é cotado para assumir a vaga de Barbosa no Supremo! No que o PT transformou o Brasil?

2 comentários:

  1. Caro professor, aqui estou eu outra vez pedindo passagem para comentar o Roberto Almeida. Eu acho que é para o bem de Garanhuns. Hoje, nem é ele que escreve, ele apenas transcreve o Mino Carta, que não leio desde que ele saiu da Veja e quer se vingar da revista.
    Eu nunca vi um esforço maior para tirar a siringa da bunda de Dilma. Quanto malabarismo para dizer que a Dilma tem culpa mas não tem. Lá pelas tantas o Mino diz:

    “Não falta lenha para a fogueira da corrupção brasileira, cada vez mais abundante e de todas as procedências. Há quem escape, porém, na visão e no uso do poder, ao andamento comum. Em primeiro lugar, neste momento, Dilma Rousseff. O resultado da recente pesquisa Datafolha, pela qual 47% dos brasileiros acreditam que a presidenta está envolvida em corrupção, representa um equívoco clamoroso, adubado pelas ferozes interpretações do jornalismo nativo.”

    Chegando aí eu ia parar de ler mas, com bom garanhunhense eu continuei. E encontrei:

    “O que não há como pôr em dúvida é a honestidade de Dilma. Pode-se alegar sua ingenuidade diante do engano de que foi vítima, urdido por quem lhe era tão próximo. Pode-se alegar falta de experiência para lida complexa, ou da desejável vigilância. A presidenta, além de cultivar as melhores intenções, não daquelas que pavimentam o caminho do inferno, é moralmente inatacável. Ao contrário de Fernando Henrique, por exemplo.”

    Aí, não aguentei mais e parei de ler. É muita bosta para minha fossa. Então temos Dilma, a ingênua. Quanta boçalidade.

    ResponderExcluir
  2. É um absurdo, João, uma picaretagem. Porém, vindo de Mino Carta tudo é possível. Só para quem acredita em Comadre Fulôzinha, ou coisas do gênero, ou mesmo não passa de um pilantra, acredita nessas coisas. Ou o sujeito é doido varrido ou é mesmo picareta. Uns ganham fortunas, outros migalhas, mas todos levam. Todos os áulicos, cheleléus, são pessoas devidamente pagas. Ainda falam mal das putas, porém elas pelo menos oferecem seus milenares serviços. Um abraçço, Rafael Brasil.

    ResponderExcluir