domingo, 30 de dezembro de 2012

CAETÉS; A VEZ DO POVO COM ARMANDO


Caetés, assim como muitos municípios pequenos do interior, sobretudo do Nordeste, teve, nas duas últimas décadas um significativo crescimento urbano. Isto deveu-se primordialmente ao crescimento dos programas sociais do governo desde sua implementação no governo Fernando Henrique, e sua massificação durante o governo Lula.
Milhares de pessoas deixaram a zona rural, e foram morar na cidade. Muitos por medo da violência que se alastrou na zona rural. Outros por comodidades, e possibilidades de prestar serviços na cidade, e inúmeros que vieram de São Paulo, num movimento migratório inverso, com as possibilidades de sobreviver com pequenos negócios. O comércio cresceu, os serviços se diversificaram, e hoje é possível comprar de quase tudo na cidade. 
Todos estes fatos fizeram com que se formasse, digamos uma pequena mas aguerrida classe média, independente da prefeitura, antes a principal empregadora do município. Também, devemos ressaltar o significativo aumento de estudantes universitários, formando cada vez mais uma saudável massa crítica na cidade.
  Com o processo de urbanização, cresceram os problemas, como o desemprego, a violência, o alcoolismo, derivada dos processos de desagregação de  familiar e outros fatores mais. Estes fatores, combinados com o minifúndio de caráter familiar, faz com que o município seja um dos  mais pobres do estado. Tudo isso somado à seca, que dizima paulatinamente com as pequenas criações , aumentando as dificuldades da pobre, e muitas vezes paupérrima população da zona rural. O que uma prefeitura, pobre, dependente quase totalmente dos recursos federais pode fazer para , se não resolver, minorar estes problemas, ou mesmo redirecioná-los para futuras soluções? Ainda mais se considerarmos, o processo de degradação dos serviços públicos e pela massificação da corrupção eleitoral, causando o sucateamento dos serviços públicos? Em outras palavras, a prefeitura está falida além de abandonada.
É preciso urgentemente colocar a prefeitura à serviço da população. Melhorar significativamente os serviços públicos, prioritariamente saúde e educação. Este aliás, é um dos primordiais compromissos de Armando, que está montando equipes competentes para logo de saída , fazer com que estes serviços funcionem IMEDIATAMENTE. Os servidores contratados serão obrigados a atender o povo com educação e cordialidade, sobretudo em respeito ao homem do campo, onde estão os mais humildes e carentes sobretudo de cidadania. 
É preciso buscar recursos, principalmente onde eles não foram competentemente resgatados, em outros termos, por abandono e incompetência, muitos recursos deixaram de vir, também simplesmente     por falta de vontade política. Sobretudo para a agricultura, que precisa ser reformulada, com o incremento de novas culturas.
Também é preciso reconstruir o funcionalismo público, completamente destroçado nos últimos vinte anos. Para isso é urgentemente necessário a preparação criteriosa de um idôneo concurso público, obstruindo a oportunidade de manipulação política coronelística dos funcionários contratados como vinha sendo feito. Além de finalmente, instituir e meritocracia como condição básica para o ingresso no serviço público.
Ou seja, o tempo é de reconstrução. Armando tem mostrado competência e paciência na composição do secretariado, que vão ser exigidos, não só nos volumes de trabalhos, como também nos resultados. Os problemas são grandes, e evidentemente muito mais numerosos do que aqui , neste pequeno espaço , estão sendo enumerados. Mas Armando tem o povo ao seu lado, pois vai governar para todos, respeitando as oposições, democraticamente não desqualificando-as, nem tentando desmoralizar quem quer que seja. O fato agora é que Caetés tem prefeito, que tem comando, e não é manipulado por ninguém, nem pelos áulicos de plantão, nem por quaisquer pretensa liderança no município, interna ou externa. Como homem público vai ouvir , como já está ouvindo a todos, porém a última decisão é sempre sua. O trabalho será árduo. Mas Armando tem a legitimidade do povo, e a constituição ao seu lado. Que Deus permita para que o povo do município tenha dias melhores. E isso vai certamente acontecer, pois todos desejam o melhor. O melhor para nosso pobre e sofrido povo que ainda luta intensamente pela sobrevivência. Que Deus abençoe a todos nós. Um bom ano para todos. 

Um comentário: