quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

CACARECOS IDEOLÓGICOS



Não precisa ser cientista político ou coisa que o valha para dizer que os governos petistas são o supra sumo do conservadorismo contemporâneo. Desde o governo Lula, até este malfadado governo Dilma, que o Brasil está parado. Ou quase. Nada, ou quase nada, se fez em termos de reformas, seja no campo político ou no econômico. Quando falo em conservadorismo, é que o governo insiste no modelo varguista repaginado, digamos assim. E é esta estrutura, basicamente construída com os paradigmas de meados da primeira metade do século passado, que precisa ser devidamente desmontada. Para não dizer destruída. Desde a ditadura militar, que o estado não tem condições de ser o principal indutor da economia. O estado, quanto maior, pior, acaba literalmente engolindo a todos, sem piedade. E empobrecendo também. Até a social-democracia européia sabe, desde metade do século passado, que o estado é um péssimo gerente. Que fabricar coias e proporcionar serviços, é com o capitalismo, ou seja a  iniciativa privada. O estado fica com os setores aonde  iniciativa privada não pode entrar, mas com o controle da sociedade. Isso é fundamental. Ou seja, na questão ecológica, na segurança, na educação fundamental, no panejamento urbano, bem como  parte dos sistemas de transportes de massa, etc. Mas, por preconceito ideológico nada se faz. Ou seja, sem tesão não há solução, já diria Roberto Freire, o finado psicanalista de botequim. E assim patinamos. Até os idiotas na nossa dita social-democracia, não podem fazer tanta oposição ao PT, pois no fundo o PT roubou  plano deles. Ou seja, o PT é o PSDB de ontem, acrescido o aparelhamento ostensivo do estado e da roubalheira contumaz.

ESTADO PATRIMONIALISTA

Apesar do gigantismo estatal, que consome cerca de quatro meses de trabalho dos brasileiros, só sobra cerca de um por cento para investir. E o governo só atrapalha, pois se não consegue fazer, não deixa os outros fazerem.Uma vergonha de desperdício. Aliás, é através das nossas estradas esburacadas, que se perdem cerca de vinte por cento da nossa produção agrícola. Que aliás sustenta boa parte dos nossos tão decantados impropriamente pelas nossas autoridades, superávitis comerciais. Com a maior cara de pau, o governo aplaude nossa crescente e moderna produtividade na agro pecuária, enquanto trata os produtores rurais como bandidos. Como se os mesmos fossem apenas coronéis do campo, tal qual no século XIX, ou na primeira metade do século XX. Financia as invasões de terras pelo lumpesinato, inclusive arregimentado nas periferias das grandes cidades. No Brasil mais de sessenta por cento de tudo é do estado. Que dá dinheiro aos ricos através do BNDES, e aos miseráveis, com o bolsa família e congêneres. Já para abrir uma empresa, como tudo o mais, haja burocracia, Lenta e safada, além de essencialmente corrupta. Os ricos pagam despachantes, ou empresas afins. Os pobres morrem nos cartórios da vida, aonde para cada benefício recebido haja burocracia. E cara feia, para dizer o mínimo. Os governos petistas querem conservar isto que aí está. Por isso, são conservadores. E também reacionários, pois querem controlar a democracia, brigando constantemente contra a imprensa e agora com o judiciário. Logo voltaremos ao assunto. Mas desde já, chega de atraso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário