quinta-feira, 11 de outubro de 2012

E O PREFEITO APARECEU



Depois da derrota, parece que o prefeito de Caetés, Sr. Aécio Noronha finalmente foi liberado de seu "cárcere" no Recife. Apareceu na prefeitura, demitindo algumas pessoas, e prometendo efetivar outras, através de um concurso. Pode?


CIDADE PARALISADA

Caetés está paralisada. Os motoristas-proprietários dos paus de arara que fazem o transporte escolar, estão sem receber, dizem, já faz tempo, causando uma parada da educação quase por completo. Um absurdo. Mais um, dos tantos que ocorrem rotineiramente na cidade. O povo está feliz com a possibilidade der mudança. Todavia, as finanças municipais devem estar em pandarecos. Muita gente deve pagar pelas falcatruas, que não foram poucas. O povo espera com ansiedade pelas mudanças, Mas para consertar os estragos, haja tempo e paciência.

FUNCIONALISMO

O funcionalismo público em Caetés, quase não existe. Poucos são os efetivos, e destes poucos muitos foram encostados por motivações políticas. É preciso refazer o funcionalismo com a realização de concurso público. A previdência municipal foi surrupiada, não tem um tostão. O rombo é de mais de vinte milhões. Alguém tem que pagar pelo descalabro. Afinal, quem, e como operou esta catástrofe nos cofres públicos? Esta vai ser a herança maldita da malfadada oligarquia que dominou na cidade com mão de ferro por mais de vinte anos. O maior retrocesso que uma cidade poderia ter.

CORONELISMO

Centenas de professores , foram obrigados, no sábado, um dia antes da eleição, a fazer panfletagem para o candidato governista. Os que se recusassem, seriam demitidos. Mas muitos votaram caladinhos, sentindo o cheiro de podre no ar. Estes funcionários de cabresto, garantiam a vitória do grupo em eleições sucessivas. Aí é que se encontrava o "poderio" da oligarquia dominante. Mas a história não se repete. Felizmente.

PARALELO ENTRE ELEIÇÕES

Quiseram fazer um paralelo destas eleições, com a de 92, quando da derrota de Rafael Brasil, meu pai. A diferença ficou pouco mais de 150 votos. Só que na de meu pai, a eleição foi roubada. Fiz inutilmente a denúncia na época. O velho Rafael, estava ganhando a parada com mais de duzentos e cinquenta votos, nas últimas urnas, quando, de repente, contrariando todas as estatísticas, em duas urnas, o senhor José Luiz, virou o jogo. Depois de mais de uma década, veio um amigo, fazendeiro da nossa zona rural, dizendo que um pecuarista de Capoeiras confessou que fora ele, juntamente com a esposa, que trocaram as duas urnas. Daí a vitória. O juiz foi no mínimo leniente, e Arraes desejava a derrota de meu pai, o único a o derrotar no agreste, quando candidato a governador. Em outras palavras, meu pai perdeu no roubo puro e simples. Como um time que ganha no campo de jogo, mas perde no tapetão, com a anuência de notórios ladrões. O juiz, ou foi muito leniente, ou participou do esquema. Se quiserem, dou nome aos bois. Não tenho medo de cara feia Só sei que o pecuarista se tornaria secretário de agricultura no governo então "vitorioso". O danado é que o pai do cidadão que operou o esquema, sempre foi um grande amigo e compadre de meu pai. Claro ele não sabia das traquinagens do filho.   



Um comentário:

  1. CORONELISMO?
    Lembra que no governo do seu pai RAFAEL BRASIL, ninguém podia falar mal do mesmo na década de 80 a 90, porque o mesmo e seus puxa-sacos manda o Sr. ARLINDO (SOLDADO) e seus companheiros prender.

    Também o Sr. SEVERINO GERINO DE MELO. Ameaçou com armas de foco muitos professores e o Sr. Padre NELSO, entre 91 e 92 por motivos de protesto por melhores salários?

    Seu pai também ficou muito tempo nesta mesma prefeitura e fez o que em beneficio desda cidade?

    ResponderExcluir