sexta-feira, 1 de julho de 2011

FHC E A POLÍTICA



Mais uma vez Fernando Henrique, mesmo aos oitenta anos, estes muito bem vividos, dá uma demonstração de sabedoria política, ao propor a presidente o diálogo político com o congresso para encaminhar as questões nacionais. Política é a arte do diálogo, e para dialogar não precisa ser aliado. Quem radicalizou a política foi o próprio Lula, ao tentar desqualificar seus antecessores, sobretudo o próprio Fernando Henrique, e com  propósitos autoritários com a intenção de esmagar a oposição a todo o custo. Democracia é dissenso. O jogo de contraditórios.  As oposições são importantes peças do jogo democrático, e como tal, não podem ser desrespeitadas, ridicularizadas, ou mesmo desmoralizadas. Sobretudo agora, em tempos de uma certa obscuridade moral e mesmo intelectual do congresso nacional. Que é certamente o pior da história brasileira. Eis mais um “legado” da era Lula. O aviltamento da política como nunca se viu na história deste país.
NEGUINHO DE CAETÉS
Já foi vereador na cidade pelo PT. Desiludido com a falta de ética da oligarquia de Caetés, tornou-se um dos principais críticos das oposições. Filho de Antônio Jacinto, velho e humilde comerciante da cidade, estudou com muito esforço, sendo membro do corpo de bombeiros, e agora exercendo a profissão de professor e pequeno comerciante.   Um homem extremamente honesto, e idealista, com boas idéias para governar a cidade. É um dos melhores, se não o melhor quadro das oposições, e tem tudo para crescer. É acusado pela oligarquia de liso, o que para um político brasileiro é nada mais nada menos do que um elogio. Ademais, a oligarquia que está no poder, era muito rica antes de tomarem a prefeitura, não? Temos bons postulantes, todos merecem respeito e consideração, mas, digamos assim, Neguinho representa realmente a mudança verdadeira na cidade. O novo contra o velho. A esperança dos homens e mulheres, trabalhadores do nosso município, que há tempos está abandonado.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário