quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

“ARNESTO GEISEL”



Muitos leitores ficaram espantados por elogiar figuras da ditadura. Engraçado, Lula pode, eu, um mísero professor e aprendiz de blogueiro, não. Aliás, a começar pela eleita presidenta, muitos integrantes do governo Lula, quando não o próprio , ( apesar de não entender nadinha de economia), elogiam a política econômica do governo Geisel, sobretudo de substuituição de importações. Lula tem como conselheiro Delfin Neto, o czar da economia nos anos mais duros do regime, o do governo Médici. Que como Lula tinha cerca de oitenta por cento de aprovação popular. Ninguém fala. Já quando elogio e constato que Suape teve como um dos seus alavancadores, digamos assim, Eraldo Gueiros, falam que defendo não só a ditadura, mas a tortura. Quem defende ambas é o pessoal do PT e companhia, ao defenderem a ditadura em Cuba e a do Irã, só para ficarmos nestes exemplos. Aliás, nem todas as figuras do regime militar se envolveram com a tortura. Eis aí o próprio Eraldo Gueiuros, e Marco Maciel e outros muito mais. Meu pai mesmo, Rafael Brasil se ofereceu para econder meu tio Rildo, comunista, em uma das fazendas de um dos seus compadres de Águas Belas. O próprio Marco Maciel, e o conservador D. Eugênio Sales, ajudaram a livrar muitas pessoas da prisão, na surdina, de dentro do sistema. Esta história ainda está para ser contada. Chega de maniqueísmos. Ditadura é chato em todo canto. Sobretudo as de esquerda, que segundo nosso saudoso Roberto Campos, são mais longevas, e muitas vezes mais cruéis. Segundo ele, as de direita são mais, digamos biodegradáveis. Até Pinochet entregou o poder aos civis, embora cheio de salvaguardas. Já Fidel...

GEISEL

Na política, Ernesto Geisel estava longe de ser um democrata. Afirmou certa vez que a democracia era relativa, causando grandes gozações na imprensa da época. Mas foi ele que, de dentro do sistema, afastou os duros, (defensores de um maior endurecimento do regime e participantes ativos dos órgãos de repressão ) demitindo Silvio Frota e companhia, abrindo caminho para a redemocratização. Na marra, e autocraticamente, afastando os duros, os democratas puderam avançar. Homem austero, nacionalista e durante muito tempo um dos dirigentes da prtrobrás, foi eleito por um único cabo eleitoral e votante de fato, o próprio Médici. Segundo ele, só assim um cara como ele chegaria a ser presidente.

“DEMOCRARTIZAÇÃO” DA IMPRENSA

Papo furado essa história de democratização da imprensa de que fala nosso amigo Roberto Almeida. El gobierno só manda dinheiro para imprensa a favor. Chapa branca. Ou blogs. Aliás, a grande maioria da imprensa é claramente governista. Afinal, a grande maioria dos jornalistas da grande imprensa, ou são petistas, ou torcem pelos corruptos vermelhos. Nem Lula nem o PT, gostam de críticas, como aliás todos os seres autoritários. A respeito, quanto el gobierno manda para o jornal do nosso amigo Roberto? Imprensa chapa branca é imprensa morta. O que el gobierno quer é mesmo controlar a imprensa, amordaçando-a. Já estão dizendo por aí que quem é contra el gobierno é doido. Ou doida. Viram aí o vírus do autoritarismo da esquerda nacional? Como são bonitinhos...


                                                   

                                                           ELIANE PARA PREFEITA
É sem dúvida o melhor quadro da cidade nas últimas décadas. Eliane tem capacidade gerencial, como poder de agregação. Além de ser uma pessoa extremamente simpática e muito educada. Seria um prêmio para Garanhuns. Minha chapa para a cidade seria feminina (nada a ver com a indefectível Dilma). Eliane e Aurora Cristina. Duas ótimas pessoas, políticas polidas, e que poderiam agregar o que de melhor a cidade possui que é a bondade e a criatividade de seu povo. Conheci as duas, uma na faculdade de direito quando por lá trabalhei, outra na política regional, quando conquistamos, com a efetiva participação do saudoso médico e meu primo Fernando Resende mais de mil votos em Caetés. é sem dúvida a melhor chapa para Garanhuns. Um aviso: Não peço, nem quero emprego de ninguém. Detesto emprego com apadrinhamento político. Quero mesmo é me aposentar para exercitar minha colossal e duramenre reprimida preguiça. Reprimida por necssidade, é bom salientar. E escrever coisas neste blog, mantido a duras penas. Tentar ser um livre pensador. Se é que isto exista. Um chinfrim, mas pretensamente livre pensador, é bom salientar. Viva a chapa de Rafael Brasil! O povo de Garanhuns agradece. Cá para nós, uma chapa dessas seria um luxo para a cidade, não?

HADRIEL

Está com um fogo danado! Muito bem, estás escrevendo cada vez melhor e com temas considerados tabus, para quem tem a mente bitolada no maniqueísmo esquerdista que domina as universidades deste pobre país. Hadriel é professor de geografia, e dos bons. Saiu de Caetés, porque aqui não teve concurso para professor. Ensinar, bem como quaisquer outra profissão aqui no município, só sendo áulico do prefeito e família. Áulico não, cheleléu, é bom esclarecer.

5 comentários:

  1. Professor, se fosse prudente avaliar um governo apenas pelo aspecto econômico, esse atual comeria poeira dos militares, já que naquela época as taxas eram o dobro dessas. Mas não é tão simples assim. Há muitos e importantes fatores a considerar. Seus escritos são luzes nesse Brasil medíocre.
    Infelizmente, o brasileiro ainda não se deu conta de que é enganado, ludibriado a todo o tempo porque não se permite pensar, interrogar, questionar.
    Pudera, em um país onde até o presidente se vangloria e se orgulha de não ter estudado...queriam o quê?
    Sobre mim, sou apenas um curioso e mais um bobão qualquer. Só não me traio pelo senso comum. Mas ainda continuo com aquele meu velho sonho de que lhe falei por várias vezes: me tornar um burguês, um grande capitalista. Daqueles bem agressivos que montam cartéis, trustes e se espalham pelo mundo afora. Não demonizo a riqueza, só lameto não possuí-la, hehe. Quero sair das barbas dos governos, por mais contraditório que isso possa parecer no Brasil, onde todos sonham em ser funcionários públicos. Nunca simpatizei muito com essa ideia.
    Logo estarei por aí, tenho pessoas especiais em Caetés ainda. Quem sabe não iremos beber uma vodka lá em Venturosa? Ao som de Confortably Numb do Pink Floyd, falando do Sport, dos governos e na presença daqueles amigos de sempre.
    É muito bom poder lê-lo, professor. Pessoas com sua visão de mundo são raras atualmente.

    ResponderExcluir
  2. Confortavelmente entorpecido. É, de uma maneira ou de outra, a sociedade vai está drogada. Ou com as dragas proibidas, que o pink floyd usaram nos anos 60, ou com as drogas lícitas, como a vodka( fique um pouco decepcionado, não poderia ser cachaça?), ou com as intelectualidades. Todas nos tira do senso comum. O que muita gente não sabem, é, que ao saí da senso comum, temos que voltar, se não ficaremos lá para sempre, como Syd Barrett, guitarrista do pink floyd, que como uma alta dose de LCD saiu do senso comum, e não voltou nunca mais. Escrevi esse texto escutando Confortably Numb(Confortavelmente entorpecido) do Pink Floyd. Se Hadriel estivesse citado outra música e outra bebida eu já mais estaria comentando. Pink Floyd com vodka? parecem uma mistura de Adam Smith com Gramsci.
    DOM QUIXOTE

    ResponderExcluir
  3. Dom Quixote, vc tbm gosta de Pink Floyd? Sou um grande fã, som psicodélico, uma viagem...literalmente. Gosto de vodka, meu destilado preferido mas em sua homenagem a gente troca por Ypióca. Das músicas pinkfloydianas gosto de learning to fly, sorrow, lost of words, wish you were here, run like hell, mother, hey you. Ficam perfeitas com uma cachacinha, quase uma regressão. Tem um show deles gravado nos estúdios da BBC que é ótimo...depois lhe passo o link. Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Sempre fui um crítico da educação, mesmo sendo professor. E, a música que mais expressa essa minha crítica é, another brick in the wal "Nós não precisamos de educação. Nós não precisamos de controle de pensamento. Sem sarcasmo sombrio na sala de aula. Professores deixem as crianças em paz. Hey professores! Deixem as crianças em paz. De qualquer maneira você era só um tijolo na parede. De qualquer maneira você é só outro tijolo na parede" Ela me fez pensar o papel de ser professor. É muito fácil ser professor o difícil é ser mestre, e eu só conheço um.
    DOM QUIXOTE

    ResponderExcluir
  5. Gostei do blog, xará! E o Fusca Brasil, da mesma família Brasil, está seguindo o professor.
    Se tiver um tempinho ou quiser ilustrar alguma matéria com as charges do Fusca, é só ir lá no blog www.fuscabrasil.blogspot.com e copiar. Grande abraço e parabéns pelo bom senso!

    ResponderExcluir