segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

VIOLÊNCIA EXPLODE NO AGRESTE - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para aumento da violencia nas pequenas cidades

Como sabemos, a violência tem diversas causas. E no Brasil tornou-se o maior problema nacional. Maior do que a inflação, a desorganização do estado e da economia. Quem quer que seja o candidato vai ter que enfrentar esta questão , que aliás será certamente um dos principais temas da próxima campanha presidencial. Não dá mais para esconder debaixo do tapete a questão, ou mesmo relativizar. 
A violência passou dos grandes centros urbanos para cidades médias e pequenas. O povo está acuado, preso em casas geralmente protegidas por grades, cercas elétricas e o escambau. Ninguém pode sair de casa em segurança, e a arquitetura do medo tornou nossas cidades horrorosas. Casas com muros altos, e até bodegas nas favelas e periferias fortemente gradeadas.
É preciso em primeiro lugar rever o tal projeto de desarmamento. Todo cidadão teria que ter o direito de portar uma arma, pelo menos em casa. Não é possível, o estado através da polícia estar sempre a defender, onipresentemente, o cidadão em quaisquer circunstância. Simples assim.
E a impunidade é o maior estímulo aos criminosos. O sistema prisional tem que ser totalmente  reformado e a justiça mais ágil. Aliás nossa justiça está cheia de marajás, prédios suntuosos,  é uma das mais caras do mundo e não funciona. 
E é preciso também endurecer as penas que envolvem atentados à vida, inclusive instituindo a prisão perpétua. Afinal prisão não é pra recuperar quem tira levianamente a vida, que é um dom divino. Em suma o sujeito tem que ser excluído da sociedade. Ninguém gosta de bandido e assassino.
Aqui em Caetés City, antes nem fechávamos as portas das nossas casas para dormir. Os crimes eram raros, e devido a moral judaico cristã, mesmo rudimentar, o povo era mais temente a Deus e respeitava à vida. Hoje baniram Deus das escolas e das casas. Nas escolas e universidades ser cristão passou a ser careta, coisa de otário.
Claro que o povo não pensa assim. Afinal o povão nada tem a ver com o relativismo cultural apregoado pelas nossas "zelites pensantes", que relativizam a violência como uma forma de luta de classes. Em poucas palavras, se o assassino é pobre ele tem salvo conduto para fazer o diabo. E se é "dimenor" é inimputável. Até os 18 anos o sujeito está livre para fazer tudo o que não presta.
Enquanto escrevo, a população segue aterrorizada. Toda semana tem mortes. Ou de bala, ou de acidentes causados pelo álcool, geralmente. E as principais vítimas são  jovens. A violência é a principal causa da mortalidade de jovens no país. É isso aí. A violência se combate com inteligência, preparo policial e ação comunitária. Ou seja as comunidades devem se preparar para enfrentá-la. E ter direito a portar armas, claro. 
Bandido bom é bandido na cadeia. E sem progressão de pena para quem atenta contra a vida. Em poucas palavras, é uma tarefa para mobilizar toda a nação. Basta de violência. Abaixo o estatuto do desarmamento. Quero ter o direito de ter uma arma em casa, de preferência uma 12, boa para quem não tem uma boa pontaria. para proteger melhor minha casa e minha família. E vocês, preferem ficar soltando pombinhas da paz, e ficar esperando que nosso falido estado faça alguma coisa? Fica no ar a pergunta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário