segunda-feira, 24 de outubro de 2016

O ESTÁDIO DO CORINTHIANS FOI PRESENTE PARA O MARAJÁ, LULA. SÓ NESTA REPUBLIQUETA DE M....- RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para lula e o itaquerão


A era petista deve fornecer muito material para estudiosos deste período. Como um ex operário semi analfabeto comprou todas as chamadas elites do país? A chamada burguesia, sobretudo a financeira, leia-se os banqueiros, e as grandes empreiteiras. Além dos artistas e intelectuais, acadêmicos ou não. Aliás, foram os intelectuais e a mídia esquerdista que criaram o mito. Além da Igreja Católica, es chamados padres de passeata.
Mas o que impressiona é a submissão dessa gente a este cidadão travestido de operário e retirante nordestino. Os chamados por Gramsci de intelectuais orgânicos, desde sempre atrelados ao projeto de poder esquerdista, já ocuparam totalmente as instituições educacionais e a mídia.  Como disse certa vez o historiador Marco Antônio Villa, pela primeira vez em nossa história os intelectuais e artistas ficaram contra o povo. Desde a primeira grande campanha que mobilizou a sociedade civil, a campanha abolicionista liderada por grandes homens como Joaquim Nabuco e pelo negro José do Patrocínio.
Agora leio a notícia de que a Odebrecht "deu" de presente a Lula o estádio do Corínthians. Afinal é o clube do coração do chefe. 
E como nada é de graça, a empreiteira que antes tinha feito contratos na ordem de 17,3 bilhões, passou para 132 bi. Sim, BILHÕES, isso mesmo. Inclusive com associação com a Venezuela e muitos países apoiadores do Foro de São Paulo, organização criada para articular a unidade das esquerdas latino americanas criada por Lula , Fidel Castro e Frei Beto, depois da derrocada do socialismo no Leste Europeu.
Logo sairá a delação dos altos executivos da odebrecht. Muita lama ainda vai correr, mas é demais. Por essas e outras acho que o chefe vai se exilar. O tempo corre contra ele, enquanto o mesmo alimenta pretensões eleitorais. Vai dar tempo de se candidatar a alguma coisa? Quem aposta?

Um comentário:

  1. Após a Folha publicar uma reportagem dizendo que o acordo de delação premiada de Emílio Odebrecht, presidente do conselho de administração da empresa da família, traria a afirmação de que a Arena Corinthians (Itaquerão) seria uma espécie presente para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, torcedor do time, o jornalista Juca Kfouri afirma que o ex-presidente do time Andrés Sanchez "acreditou piamente que o estádio de Itaquera era um presente da empreiteira".

    "Tanto que se apressou em administrá-la sem ter a menor condição para tanto", diz Kfouri em seu blog. "Mas houve uma Lava Jato no caminho, um Odebrecht preso, um impeachment e a festa acabou. O presente virou dívida. A Odebrecht não só perdeu sua condição de dar presentes, como não cumpriu o que ficou de entregar e quer receber pelo que fez mal feito. Nas costas do Corinthians", acrescenta.

    A arena do Corinthians, na zona leste de São Paulo, foi construída pela Odebrecht entre 2011 a 2014 e sediou foi a abertura da Copa do Mundo. Custou R$ 1,2 bilhão, quase 50% acima da estimativa inicial do projeto, de R$ 820 milhões.

    O ex-presidente Lula negou a acusação. "A Lava Jato não conseguiu apresentar qualquer prova sobre suas acusações contra Lula. Na ausência de provas, trabalha-se com especulações de delações. Se a delação já não serve para provar qualquer fato, a especulação de delação é um nada e não merece qualquer comentário", disse o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o petista.

    A Odebrecht, o Corinthians e o deputado Andrés Sanchez não quiseram comentar o relato de que o estádio do time seria um presente para Lula pela suposta ajuda ao grupo.

    ResponderExcluir