quarta-feira, 29 de junho de 2016

Boca Livre para servidores- com O Antagonista


Grampos apontam a participação de servidores do Ministério da Cultura na operação que desviou 180 milhões de reais via lei Rouanet, informa o Estadão.
Um nome citado em documento da força-tarefa é o de Arlicio Oliveira dos Santos, “que ocupava cargos de grande influência na avaliação e acompanhamento e prestação de contas” da Secretaria de Fomento e Incentivo à Cultura, um braço do MinC.
Não poderia ser de outro jeito: não se rouba tanto dinheiro sem “cooperação” interna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário