quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Perda com roubalheira pode chegar a 50% do valor de mercado da Petrobras. Empresa divulga, na calada da noite, balanço sem auditoria, no qual ninguém acredita, e omite corrupção - POR REINALDO AZEVEDO


E a Petrobras divulgou, na calada da noite, o seu balanço trimestral. Sem incorporar as perdas decorrentes da corrupção. Sem pôr na conta a roubalheira, a estatal registrou lucro de R$ 3,087 bilhões no terceiro trimestre do ano passado, uma queda de 28% em relação ao mesmo período do ano anterior. Entre janeiro e setembro, o ganho acumulado foi de R$ 13,4 bilhões, recuo de 22% ante o ano anterior.
E as safadezas? O documento, assinado por Graça Foster, explica: “Concluímos ser impraticável a exata quantificação destes valores indevidamente reconhecidos, dado que os pagamentos foram efetuados por fornecedores externos e não podem ser rastreados nos registros contábeis da companhia”.
E por que divulgar um balanço no qual ninguém acredita? A empresa explica: “A divulgação das demonstrações contábeis não revisadas pelos auditores independentes do terceiro trimestre de 2014 tem o objetivo de atender obrigações da companhia em contratos de dívida e facultar o acesso às informações aos seus públicos de interesse, cumprindo com o dever de informar ao mercado e agindo com transparência com relação aos eventos recentes que vieram a público no âmbito da Operação Lava-Jato”.
O que se estima é que a empresa teria de incorporar uma perda de US$ 20 bilhões — ou R$ 52 bilhões. Sabem o que isso significa? Praticamente a metade do que ela vale hoje na Bolsa de Valores — R$ 107 bilhões no começo deste mês.
Dilma comandou nesta terça, como se sabe, a maior reunião ministerial do planeta. No discurso, ela disse não haver contradição entre o que diz e faz. Num grupo de 192 palavras, repetiu “Petrobras” oito vezes, segundo ela, a “mais estratégica empresa do Brasil”. Defendeu que se investiguem as irregularidades, mas sem enfraquecer a estatal. E seguiu com outras platitudes.
Enquanto a governanta, em suma, anunciava amanhãs sorridentes, a Petrobras, depois de 12 anos sob os cuidados da companheirada, é obrigada a publicar um balanço na calada da noite, sem auditoria, no qual ninguém acredita. É a suprema desmoralização.
Que ironia! Houve um tempo em que o PT fazia terrorismo eleitoral, acusando os adversários de querer vender a Petrobras, o que sempre foi mentira. Se a estrovenga fosse posta à venda hoje, haveria o risco de ninguém querer comprar…
Texto atualizado às 7h05
Por Reinaldo Azevedo

2 comentários:

  1. TUDO, MAS TUDO MESMO O QUE VEM OCORRENDO NA PETROBRAS E NAS ESTATAIS BRASILEIRA, VEM DE MUITO LONGE.

    SE O FHC TIVESSE ABERTO PELO MENOS UMA DAS 16 CPIs DURANTE 8 ANOS DE 1994 A 1998, PROVAVELMENTE, ESSA OPERAÇÃO LAVA JATO TIVESSE PEGO OS GRANDES DAQUELA ÉPOCA QUE MAMARAM NAS TETAS DO ESTADO BRASILEIRO.

    COM A CHEGADA DO LULA NA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA OS POLÍTICOS EM GERAL ADERIRAM AO PT E JUNTOS ROUBARAM A VONTADE: SARNEY-COLLOR-RENAM-MALUF-JÁDER -PEDRO CORREIA-ROBERTO JEFFERSON,ETC. TUDO SOMENTE VEIO À TONA PORQUE HOUVE A ROTATIVIDADE DO PODER. É BOM DEMAIS.

    ResponderExcluir
  2. A ROUBALHEIRA SEMPRE EXISTIU, MAS NUNCA NESTA EXTENSÃO. NUNCA NESTE PAÍS A CORRUPÇÃO CHEGOU A TAIS NÍVEIS. O CERTO MESMO SERIA PRIVATIZAR, MAS NO ESTADO ATUAL DA EMPRESA, FICA DIFÍCIL POIS ELA PERDEU, SÓ NESTES QUATRO ANOS, A METADE DO SEU VALOR DE MERCADO. Rafael Brasil.

    ResponderExcluir