sábado, 2 de março de 2013

CAETÉS: E VIVA A... MERENDA!


Depois de mais de uma década quase sem merenda. a mesma, quando existia, consistia em algumas bolachas ou biscoitos, com no máximo meio copo de refresco ou iogurte, as crianças sobretudo as da zona rural fizeram uma verdadeira festa com a "novidade". 
Muitas ao receberem frutas, iogurtes, achocolatados, biscoitos e bolachas, além de sanduíches afiambrados e de queijo muzzarella, ficaram felizes. Suas famílias também. Ainda mais uma "novidade". Podiam repetir o quanto quisessem. Pois é: Há mais de uma década que eu luto contra este absurdo de roubarem o dinheiro da merenda escolar das comunidades, das mais carentes do estado. Ainda mais agora, com a seca, uma merenda farta, não deixa de ser um grande subsídio para famílias em estado de petição de miséria, como dizia minha avó Georgina Brasil. 
Imaginem o que os antigos "gestores" do município fizeram com o dinheiro? Compraram casas, fazendas, ou mesmo simples automóveis? O que estes criminosos fizeram com o dinheiro da comida dos meninos pobres de Caetés? O povo gostaria de saber. Eu também. Quem rouba comida de criança pobre, merecia não só ser preso, mas ir diretamente para o inferno. Quem faz este tipo de coisa não passa de um pobre diabo. E ainda tem gente defendendo estas pessoas. São larápios também, só que agora choram porque perderam as boquinhas, que não eram poucas. Por isso digo: Não tem moral quem defende essa gente. As oposições, tão necessárias em qualquer sistema político, devem pautar-se no futuro. E não neste vergonhoso passado, que não deve ser esquecido pelo povo do município. Nada como manter acesa a memória coletiva. Ela serve de remédio contra a amnésia popular, e contra os contumazes mentirosos de plantão. Que não são poucos, afinal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário