sexta-feira, 29 de junho de 2012

DILMA DOIDONA



Como falei no início do seu governo, o perigo Dilma é ela achar que pensa. Que, com estripulias econômicas e carões na administração e na política, ela avança, pelo menos na avaliação popular. 
Está baixando o imposto de alguns setores, como o automotivo e dos eletrodomésticos da chamada linha branca, e vai aumentar a tributação sobre as bebidas, inclusive água mineral. Está enfim favorecendo alguns setores, em detrimento dos demais. Segundo especialistas, estes incentivos deveriam ser vinculados ao aumento de produção, redundando em maior competitividade. 
Baixou os juros, tudo bem, e está incentivando o povão a consumir mais, gerando maior endividamento das famílias. A inadimplência sobe às alturas, e a capacidade de endividamento é limitada.
Estas medidas não tocam o essencial. Nas reformas capitalistas que o Brasil tanto precisa. Aí entra a ideologia. Como Dilma e a turma do PT é contra, nada anda. Nada se privatiza, e , ao contrário, o tamanho do jurássico estado só tem aumentado, sobretudo na era Lula, justamente, dentre outras coisas, para a própria Dilma ganhar as eleições.
É preciso urgentemente a estruturação de um partido realmente liberal no país. Ser taxado de liberal ou mesmo conservador no Brasil é sinônimo de palavrão. Isso não pode continuar. O país fica refém de uma chocha social-democracia e de um esquerdismo cleptocrata, reacionário e estatista. E que vende bem, o, digamos, produto do atraso. A defesa intransigente de um estado que só privilegia o subdesenvolvimento, e a manutenção das diferenças sociais. Fatores que as esquerdas dizem combater. Se Marx estivesse vivo, daria, ou gargalhadas ou mesmo uma sonora vaia nesta turma, pois o que impede o desenvolvimento capitalista hoje é justamente o estado. Para ele, socialismo, só depois de superada a fase capitalista. Aqui as forças pré-capitalistas predominam. Afinal, só com uma população pobre e ignorante pode-se manter popular um operário oportunista e ignorante no poder, apoiado por um partido de esquerda anacrônico , e que vai afundando o país, sobretudo pela inação. Ou pior, pela ação do lado errado., Eis o confuso governo Dilma. Que tenta ser uma social-democrata, mas não tem capacidade nem tutano para isso. É isso aí. 


CANDIDATO IRREGULAR EM CAETÉS
Querem porque querem, empurrar o filho do comandante da oligarquia que domina há vinte anos a prefeitura da cidade. Só que ele é inelegível tal qual  na eleição passada. Mesmo irregularmente, ele insiste. O problema é que ele assumiu a prefeitura, sendo diplomado etc. Lá vem outra batalha , não só política mas judicial. O grupo do ex prefeito também poderá contar com o irmão, Mauro Sampaio. O problema é que ele é certamente o cidadão mais chato da cidade. Um tremendo “mala”, que pensa ser irmão da rainha da Inglaterra. Aí fica mais difícil. Gente de fora do clã imperial é que não pode. Mas vamos ver que vão escolher. Esperamos que seja o último suspiro político desta corrupta oligarquia. Bota corrupta nisso.

Um comentário: