sábado, 6 de fevereiro de 2010

AVANÇO DO TRATOR LULA

Debaixo dos seus mais de oitenta por cento de aprovação popular, Lula, desrespeitando a lei eleitoral, vem andando com sua gerente Dilma, e alavancando sua candidatura em eventos marcadamente oficiais. E é o que ele gosta, palanques. Fala sobre tudo ou quase tudo, até se tornou uma espécie de liderança midiática mundial. Os papas do capitalismo o revertenciaram, afinal ele seguiu direitinho todas as regras, tudo bem. Porém , será que Dilma realmente seguirá a mesma estratégia? Ou será que tem uma saída na carta da manga, digamos, meio stalinista, como á comum no desmoralizado PT, que por enquanto segue as ordens do chefe, Lula? Por via das dúvidas, o mercado financeiro está desconfiado. Muitos, mesmo a contragosto, preferem Serra, que é mais previsível.
Lula segue como um trator, conduzindo o partido e os aliados. Estes, quando o barco começar a virar, se isto for acontecer, claro, serão os primeiros a mudar de lado, pois fazem parte da velha politicalha. Nestas alianças, ninguém jamais neste país viu tamanha heterogeneidade digamos ideológica, se é que isto hoje existe. E apesar das dificuldades da oposição, muitas criadas por ela mesmo, e da sua fragilidade no campo político-institucional, Lula promete esmagar quem é contra. Com Jarbas, prometeu vingança. Que mal Jarbas fez a ele? Denunciar a corrupção dentro do seu próprio partido o velho e carcomido PMDB? Não aderir a ele? Estamos voltando aos tempos da ditadura, cujo o slogan era “ame-o ou deixe-o”? Ainda tem a empáfia e a falta de humildade, quendo disse que ele, semi analfabeto, já fez pelo Brasil mais do que todo o mundo no passado, próximo ou longínquo. Imaginem vocês se eu tivesse estudado? No mínimo, para ele, a maior potência mundial. E qualquer macaco amestrado, desde que não seja um analfabeto ou fanático, sabe muito bem que este sujeito é um mentiroso e embromador , com a mais mentirosa campanha publicitária deste país. Aliás, todas as ditaduras começam com grandes e, claro, pequenas mentiras. A única coisa relevante que ele fez foi manter a política macro econômica do governo Fernando Henrique, que ele e seu partido foram radicalmente contra no governo tucano. Cinicamente ainda chamam de herança maldita...Quá, quá quá!
O problema da oposição é que , ela não sabe defender o legado, rico legado diga-se de passagem, do governo Fernando Henrique. E que pode, no sentido mais gerencial do termo, administrar bem melhor este país do que estes stalinistas travestidos de democratas que podem muito bem nos colocar na rota do atraso, como sempre. Precisamos de investimantos, de capitais, ou seja de capitalismo, porém não se chega lá sem educação, por exemplo. Nem tampouco sem empregos e sem eficiência econômica num mundo cada vez mais globalizado. Digo e repito: Serra, com todos os seus defeitos, é sem dúvida, o mais bem preparado homem para dirigir o país. Seria bom para mostrar que o Brasil precisa são bons homens públicos. Santos, ou salvadores da pátria, tivemos ao longo da nossa história, e ainda temos demais. Os demagogos, grandes e pequenos de sempre.

HAITI E MST

Aí está o modelo, pronto e acabado, que o MST, e muitos idiotas da objetividade defendem para o Brasil. O sistema de pequenas propriedades, que só funciona de fato, na Europa, aonde os subsídios agrícolas são os mais altos do mundo. No campo, efetivamente o que funciona é a velha economia capitalista, baseada na propriedade privada da terra, esta voltada para o mercado competitivo. Desde a revolução agrícola na Inglaterra no início do século XVIII, dando impulso ao nascente capitalismo. Na ex União Soviética, menos de cinco por cento das terras eram privadas, e as mesmas eram responsáveis por pelo menos um terço da produção, só para ficarmos neste exemplo. Na China, desde Deng Chiao Ping, que a economia rural é baseada no mercado, isto é, no lucro. Só assim os chineses saíram da grande fome proporcionada pela revolução cultural maoísta. Hoje em Cuba, o governo estuda aplicar instrumentos de mercado na falida agricultura daquele miserável país. No Haiti, dividiram as terras, e, sem uma política de exportações, o povo, destruiu os recursos naturais, porque, principalmente, deixaram uma economia pré-capitalista, dos tempos dos colonizadores, por uma economia tribal, aonde se produz, não para a troca, mas para o próprio consumo. Comeram literalmente quase tudo no país, sem comida, sem agricultura, sem serviços, sem nada. Mas a turma do MST e congêneres, estão pensando mesmo em roubar o estado, E, convenhamos estão conseguindo, vivendo dessa conversa mole. Que engorda muita gente sabida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário