segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Qual o tamanho do veto? Rafael Brasil

Resultado de imagem para lei de abuso de autoridade, charges


Bolsonaro terá que vetar, pelo menos em parte, o tal de projeto das caladas da noite, o de abuso de autoridade de Renan Calheiros e Roberto Requião. Como mais da metade do congresoso tem rabo preso, votaram sorrateiramente, depois da MP da modernização econômica. Forças terríveis agem em conjunto para acaber com a lava jato. É a velha fórmula, desde a chamada nova república, passando pelo PSDB com o plano real. Faz-se reformas econômicas para um  país há décadas estagnado, e matém-se a estrutura corrupta da política desde e sempre. Como disse muitas vezes Marco Maciel, o Brasil precisa de uma grande reforma política. Brasília corrompeu de vez o país, e claro, não quer largar o osso. 
Se não vetar, acaba com o combate à corrupção e pior: piora o combate à violência, que é nosso principal problema. E também Sérgio Moro sairia do governo, o que seria um desastre. Parece que o governo vai delegar a Sérgio Moro, em consonância com os anseios populares, a negociação dos vetos. Que, como um remédio, dependendo da dose pode curar ou matar o paciente. A conferir.
 Sérgio Moro é muito popular, e quanto mais atacado, o povo o defende, ótimo. O povo quer mudanças, afinal o próprio PT subiu com o discurso anti corrupção, claro, num passado agora longínquo. Afinal, recordar é viver. Vamos ver a dose do remédio, e acompanhar as reformas econômicas. Sérgio Moro está cercado, mas Paulo Guedes está atuando a todo o vapor, e com o aval do congresso, que cobra a contrapartida e até o protagonismo. Menos mal. A conferir.

Renan, um bandido competente - Rafael Brasil

Resultado de imagem para charges renan calheiros


Como muitos da chamada nova república, denominação esta , agora ridícula como vemos, Renan surgiu desta massa heterogênea que era a frente de oposições o então MDB, depois transformado em PMDB pela reforma política causuística do então presidente Figueiredo. Desde esntão, foi deputado estadual, federal por duas vezes, e senador quatro mandatos. Foi aliado de todos os governos, e é uma das maiores raposas políticas nacionais. Claro, foi aliado do petismo, quando a safadeza e a corrupção tornaram-se política de estado.
Conhecedor dos piores meandros do poder, mesmo derrotado por estreita margem de votos para a presidência do senado, pelo também aprendiz de meliante Davi Alcolumbre,  foi o arquiteto da malfadada lei de abuso de autoridade, que juntamente com a mídia, os altos escalões do judiciário e da apodrecida classe política, lutam diuturnamente para enterrar a lava jato. A lei, originalmente, um projeto do senador psolista Randolfe Rodrigues, foi direcionada,  para em tempo certo e na penumbra da noite, em voto por aclamação, ser aprovada, para a revolta da nação.
Resta saber se o presidente vai vetar,  total, ou parcialmente. Segundo o saite O Antagonista,   foi feito um acordão do presidente com Dias Toffoli, para efetivar este acordo, que significaria uma frente contra a lava jato, símbolo da luta contra a brutal corrupção no país. A conferir, se isto for verdade, será um desastre para o  presidente cuja bandeira foi justamente a luta contra a violência e a corrupção, que ademais andam juntas.
Na economia as coisas andam, o que é um alívio para o presidente e o sistema patrimonialista. Afinal quem faz parte do estamento burocrático do estado, de marajá a barnabé, deve rezar de joelhos para que se salve a galinha de ovos de ouro, justamente o estado. E o governo está fazendo isso com muita competência, através de Paulo Guedes. Ridículo é funcionário público ser contra. Muitos ignoram, o velho ditado de que é melhor perder os anéis do que os dedos. Vamos aguardar, que esta semana vai ser quente. Tem nomeação do procurador geral da república, e o povo vai se manifestar no dis 25. Só o povo afinal pode ser o fiel da balança. A ver.

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

TRIBOS E GANGS - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para violencia contra religiões afro brasileiras



A queda da cultura e dos valores civilizacionais, afeta o mundo, mas no Brasil, país de tradição de ignorância popular, e de queda violenta da alta cultura nas últimas décadas, a coisa é bem pior. Instigados pelo relativismo cultural reinante nas escolas e universidades, a "cultura" tribal, eufemisticamente chamada de cultura popular, virou uma moda que se tornou um dogma. 
É a vitória de Pirro, da tribo contra a universalidade da cultura e civilização. Afinal, "tudo é cultura", e se é assim, pra que estudar, ter conhecimentos mais aprofundados, daquilo que se convencionou chamar de cultura ocidental e cristã, tão vilipendiada pelos desconstrucionistas das nossas academias, estas, como sempre macaqueando o o mesmo lixo que se produz lá fora? Eis um dos eternos problemas das chamadas periferias do capitalismo. Em poucas palavras, o que existe é o culto à incultura, ou mesmo à ignorância pura a simples.
Existe, não só aqui, gangues de punks, das ditas minorias revoltadas, inclusive com injustiças bem pretéritas, de torcedores de futebol, o escambau. Pois não é que tem gangues ditas cristãs evangélicas, associadas com traficantes, para depredar com extrema violência adeptos de religiões afro brasileiras? Um absurdo, mas é o país com proeminência do lumpemproletariado, ou lumpesinato, o que Hannah Arendt chamava de sociedade sem classe. E é o lumpesinato, que serve de massa de manobra para as piores ideologias, que sangraram o mais do que tormentoso século XX, com suas guerras jamais superadas em crueldade e totalitarismo, comunista, fascista e nazista.
Ademais, é no cristianismo que surge a idéia de livre arbítrio, base civilizacional da democracia, que é o respeito ao indivíduo, que se torna cristão por uma decisão individual, interior. E é no respeito ao outro que se fundamenta o segundo mandamento cristão, cujo primeiro é amar Deus acima de todas as coisas. E o cristianismo e mais especialmente o católico, é muito, digamos, malemolente, historicamente falando, no Brasil. Aqui, muitos padres, bispos e até arcebispos pertenceram a maçonaria, e o sincretismo religioso sempre foi um problema para a Igreja Católica, mas são peculiaridades nossas, enfim.
Também tem o preconceito contra cristãos, sobretudo no anticristianismo pregado em nossas universidades, onde para muitos o simples fato de ser cristão é visto como fundamentalismo. Além do preconceito contra protestantes, enfim, tem que ter respeito e seguir o segundo mandamento, que é universal, e em todos os aspectos da vida. Preconceito e intolerância existe sobretudo em quem diz sempre defender as chamadas minorias. E lei e cadeia, para essas gangues, afinal, dura lex sed lex, a lei é dura mas é a lei. Alguém duvida?

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

O JOGO DO CONGRESSO CONTRA A LAVA JATO - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para charges sobre o centrão


Esta semana foi muito importante para a agenda liberal na economia. O congresso votou com ampla margem, as medidas que destravam as relações de trabalho e a burocracia no país, é o que conhecemos pelo chamado custo Brasil. Ótimo, o país precisa, há décadas do liberalismo econômico, ou seja, o velho e bom capitalismo, cujo principal entrave aqui por esta bandas é o estado patrimonisliata, como diria Raymundo Faoro.
Porém, como moeda de troca, o congresso aposta no fim da lava jato, dificultando o máximo às investigações. Afinal, a maioria dos congressistas, sobretudo os da esquerda, estão metidos em escabrosos casos de corrupção, endêmica na era petista. E claro, tem os outros que não ficam atrás, sobretudo os do chamado centrão. Ontem mesmo vortaram uma lei cmamada de abuso de autoridade para coibir a ação da polícia e da justiça contra maganos, sejam empresários, políticos e magistrados, estes ainda a serem pegos, daí a resistência dos chamados tribunais superiores. Não é por menos que esta lei foi copmandada por gente como renan Calheiros, o cangaceiro da corrrupção, há décadas no topo do p0der, em vários governos.
Agora a atenção da população deve ser no senado, onde está se formando um grupo para forçar a CPI da lava toga, com vários pedidos de impeachment contra ministros, mais do que simples meliantes. Afrontam toda  nação revoltada com medidas atenuantes para criminosos, sobretudo os que os colocaram nos seus respectivos postos. Aí é que deve entrar a população, não só através das redes sociais, mas nas ruas. 
Aliás só o povo nas ruas que tem mudado o jogo,  senão nem a reforma da previdência teria passado, ou mesmo o preço a ser cobrado pelo congresso seria a desmoralização total do governo com a volta do loteamento de cargos. Logo a reforma da previdência será ratificada pelo senado, que aponta para uma nova e necessária reforma, a tributária. Bem, menos mal, como as reformas são necessárias desde anteontem, bom para o país. E o povão nas ruas deve não só dar apoio à lava jato, mas ao pacote contra a violência do ministro, odiado pela cleptocracia, Sérgio Moro. Que Deus ajude o Brasil, mas o povo deve estar sempre atento. Afinal precisamos de muitas reformas ainda e depois da agenda econômica, precisamos de uma boa reforma política e partidária, mas isso é outro assunto. A conferir.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

A UNE SEMPRE FOI DE ESQUERDA, AGORA CADUCOU - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para une e pc do b


A UNE foi fundada no arvorecer da feroz ditadura do Estado Novo de Getulio Vargas, que foi um simpatizante do fascismo, em dezembro de 1938. A ditadura foi implantada em 1937. Logo depois a UNE rompeu com seu criador, e se tornou desde então uma entidade de esquerda. Aliás, o próprio Vargas, em seu último governo selaria um acordo com os comunistas, ferozmente perseguidos e torturados por ele na feroz ditadura do estado novo. Que ninguém fala, mas foi mais repressiva do que a dos milicos a partir de 64, quando os mesmos se apoderaram do movimento civil e implantaram uma ditadura, quando adiaram as eleições prometidas para o ano de 1966. Como depois da guerra , os comunistas pregavam a aliança com a chamada burguesia nacional contra o imperialismo, Prestes subiu no palanque de Getúlio, que chegava ao auge do seu populismo. É bom lembrar que Vargas cruelmente entregou a mulher de Prestes aos nazistas, a alemã Olga Benário, e como judia e comunista foi morta num campo de concentração na Alemanha, mas a mentalidade comunista de obediência cega aos ditames do partido eram um dogma, tudo bem, em nome da revolução. Ademais, se Olga voltasse para a URSS, muito provavelmente seria executada, mas isso é outra história.
Com o regime militar, a UNE foi, digamos, uma janela de contestação ao regime, apesar de ser posta na ilegalidade em 64. Foi uma escola de política, aliás o movimento estudantil sempre foi um celeiro fértil para arregimentar quadros políticos, como José Serra e José Dirceu, dentre muitos outros. Durante o regime militar, mesmo na ilegalidade, promoveu uma grande manifestação na época, a famosa passeata dos cem mil, em pleno governo Costa e Silva, e quando boa parte da esquerda, desiludida com o partido comunista e entusiasmada com revoluções como a cubana e chinesa, partiram para a luta armada e o terrorismo. Na pratica, estes grupos favoreceram o endurecimento do regime, com o AI-5 em dezembro de 1968, chamado de golpe dentro do golpe. 
Com a redemocratização, a UNE volta, e promove campanhas pela legalidade. O movimento estudantil foi importante na redemocratização, mas naquela época já estava sendo aparelhado pelo PC do B, que manteria um feudo sobre a entidade até a chegada ao poder pelo PT. E no governo, se corrompeu totalmente, juntamente com a organização criminosa que tomou conta do país, já quase todo aparelhado pela esquerda, no estado, da mídia às universidades. 
Foi esta desmoralizada UNE que convocou uma greve de alunos e professores ontem, uma vergonha. É óbvio que a esquerda, hoje com uma pauta não mais da classe operária, mas das chamadas minorias, perdeu todo o glamour. Em outras palavras, a moral. É bom lembrar que cacarecos políticos como o PC do B, apoiaram os piores facínoras da história, como Stálin e Mao Tsé Tung. Só aqui ainda querem posar de progressistas. Uma ova! Só um idiota ainda vai atrás dessa gente que quase acaba com o país, e sempre foi conivente com as piores ditaduras e tiranos da história. Alguém duvida?

terça-feira, 13 de agosto de 2019

As farras e mordomias do supremo - Rafael Brasil

Resultado de imagem para mordomias dos ministros do stf


Li no saite O Antagonista que ministros do supremo viajam de graça com as suas respectivas famílias, sob o pretexto de fazerem palestras no exterior. Tudo bancado com o dinheiro de Itaipu e também da Fundação Getúlio Vargas. 
Os ministros de alta toga, viajam e se hospedam com suas esposas e filhos nos melhores hotéis, e em época de férias. Além de jantares luxuosos e mordomias similares. Uma verdadeira farra, que Bolsonaro está cortando, diga-se de passagem. Hotéis de cinco estrelas, vôos em classe executiva, férias esticadas e palestras renumeradas. Deve ser porque o mundo jurídico precise desses gênios do direito que faz o Brasil uma "maravilha" na ética e claro, na justiça. Deve ser também porque eles ganham pouco, ora essa. 
Itaipu financia viagens de ministros do supremo tribunal federal, superior tribunal de justiça e tribunal superior do trabalho. Até o presidente da agora famigerada OAB, e muitos senadores e figurões da república desfrutam destes privilégios. Uma vergonha. Desde 2013, gastaram mais de 16 milhões com estas mordomias.
São estes figurões que querem acabar com a lava jato, claro, afinal tem que prestar serviço a quem os contratou, ou seja o PT e satélites. Infelizmente o Brasil ainda terá muito trabalho para se livrar destas práticas. Só o povo atento e mobilizado que pode barrar estas coisas, mas isso é um processo, e não pode parar. Na verdade TODOS estes pulhas deviam ser demitidos, processados, e dependendo dos caso presos. Em poucas palavras a lava jato tem que chegar ao judiciário. Quem discorda?

Argentina ladeira abaixo - Rafael Brasil

Resultado de imagem para peronismo, imagens



Até a primeira metade do sangrento século XX, a Argentina era um dos países mais ricos do mundo. No início do século, tinha uma expressão usada na Europa, que o sujeito podia ser rico como um argentino. Ainda no final do século XIX , uma famosa loja de departamentos a Harrods, abriu uma filial em Buenos Aires, a única filial da famosa loja no planeta. O país contava com a maior extensão de ferrovias da América Latina, tinha a população com maior escolaridade, e florescia a indústria, no bojo da substituição de importações das grandes guerras e do período entre elas. Depois da Segunda Guerra, era a sexta economia do mundo. Hoje perde para a Colômbia, e sua economia equivale a de Minas Gerais por exemplo. O que houve, como o país, qual sua desgraça? O velho populismo casado com o caudilhismo, tradição da América espanhola. Afinal nestas latitudes, tudo pode piorar.
Tudo começou co Perón em 1946, quando ele chegou ao poder, e governou começando o processo de destruição do país até 1955. De orientação fascistóide, tal qual Getúlio Vargas, guardadas as peculiaridades de cada país, Corrompeu completamente os sindicatos, combateu violentamente a Igreja,  ampliou benefícios a todos através do agigantamento do estado, fez políticas econômicas desastrosas, e o país mergulhou no caos, entre ditaduras, e brigas entre as mais variadas facções do peronismo, que, pasmem, ainda estão muito fortes. E as ditaduras também tiveram um caráter estatizante e nacionalista, e de uma crueldade sem par. A ditadura argentina matou no mínimo 15 mil pessoas, e surgiu com a volta do peronismo, com a  vinda do caudilho em 1973, quando se seguiu o caos e a feroz ditadura.
Em poucas palavras, a Argentina é o rico que virou pobre, e caminha celeremente para a miséria total. O presidente Macri, falsamente chamado de liberal pela turba peronista, não fez as reformas liberais que o país tanto precisava, como a da previdência, e dos amplos direitos sociais escandinavos, para uma economia sucateada e caminhando para celeremente para o buraco. O resultado é a volta do peronismo, com Cristina Kitchner no comando. Em poucas palavras, a Argentina pode caminhar para a venezuelização. Com a vitória do peronismo nas eleições primárias, o dólar subiu, as bolsas caíram, e os dólares dos argentinos migraram certamente mais para o exterior. Ademais os argentinos, dizem, tem bilhões de dólares no exterior, dada a permanente insegurança política no país. O peronismo no poder, significa mais assistencialismo, mais entraves para o desenvolvimento  e mais corrupção, inclusive de valores. Muito provavelmente vamos assistir a mais uma história triste na pobre América Latina, contaminada pelo esquerdismo e populismo. Afinal, nós ainda não somos governados de certa forma pelo getulismo? Mas isso é outra história, vamos acompanhar mais este drama continental, aliás um drama repetitivo e triste. Uma pena. Que isso não se repita por aqui. Vade retro!