sexta-feira, 16 de agosto de 2019

TRIBOS E GANGS - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para violencia contra religiões afro brasileiras



A queda da cultura e dos valores civilizacionais, afeta o mundo, mas no Brasil, país de tradição de ignorância popular, e de queda violenta da alta cultura nas últimas décadas, a coisa é bem pior. Instigados pelo relativismo cultural reinante nas escolas e universidades, a "cultura" tribal, eufemisticamente chamada de cultura popular, virou uma moda que se tornou um dogma. 
É a vitória de Pirro, da tribo contra a universalidade da cultura e civilização. Afinal, "tudo é cultura", e se é assim, pra que estudar, ter conhecimentos mais aprofundados, daquilo que se convencionou chamar de cultura ocidental e cristã, tão vilipendiada pelos desconstrucionistas das nossas academias, estas, como sempre macaqueando o o mesmo lixo que se produz lá fora? Eis um dos eternos problemas das chamadas periferias do capitalismo. Em poucas palavras, o que existe é o culto à incultura, ou mesmo à ignorância pura a simples.
Existe, não só aqui, gangues de punks, das ditas minorias revoltadas, inclusive com injustiças bem pretéritas, de torcedores de futebol, o escambau. Pois não é que tem gangues ditas cristãs evangélicas, associadas com traficantes, para depredar com extrema violência adeptos de religiões afro brasileiras? Um absurdo, mas é o país com proeminência do lumpemproletariado, ou lumpesinato, o que Hannah Arendt chamava de sociedade sem classe. E é o lumpesinato, que serve de massa de manobra para as piores ideologias, que sangraram o mais do que tormentoso século XX, com suas guerras jamais superadas em crueldade e totalitarismo, comunista, fascista e nazista.
Ademais, é no cristianismo que surge a idéia de livre arbítrio, base civilizacional da democracia, que é o respeito ao indivíduo, que se torna cristão por uma decisão individual, interior. E é no respeito ao outro que se fundamenta o segundo mandamento cristão, cujo primeiro é amar Deus acima de todas as coisas. E o cristianismo e mais especialmente o católico, é muito, digamos, malemolente, historicamente falando, no Brasil. Aqui, muitos padres, bispos e até arcebispos pertenceram a maçonaria, e o sincretismo religioso sempre foi um problema para a Igreja Católica, mas são peculiaridades nossas, enfim.
Também tem o preconceito contra cristãos, sobretudo no anticristianismo pregado em nossas universidades, onde para muitos o simples fato de ser cristão é visto como fundamentalismo. Além do preconceito contra protestantes, enfim, tem que ter respeito e seguir o segundo mandamento, que é universal, e em todos os aspectos da vida. Preconceito e intolerância existe sobretudo em quem diz sempre defender as chamadas minorias. E lei e cadeia, para essas gangues, afinal, dura lex sed lex, a lei é dura mas é a lei. Alguém duvida?

Nenhum comentário:

Postar um comentário