segunda-feira, 2 de setembro de 2019

HAJA PESQUISA - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para Paulo guedes, charges


Como de costume, os institutos de pesquisa não param, afinal eles tem que trabalhar. No último, do data folha, diz que o povo é conservador, e o conservadorismo vai perdurar na política nos próximos anos, óbvio ululante. E que o governo Bolsonaro só ganha dos anteriores, dentre os 16 ítens apresentados, no combate à corrupção e à violência. Bem, dentre outras pautas, ele foi eleito pra isso, não? Quando ao fato do povo ser conservador, aliás, saudavelmente conservador, lembre-mo-nos que a principal pauta do petismo entes de chegar ao governo era justamente a luta pela ética na política, e a luta contra a corrupção, já grande na época. 
A economia catapultou o lulismo, aliás economia sempre tachada pelos intelectuais esquerdistas como neo liberal, um eufemismo para nada, como sabemos, mas o petismo surfou no crescimento da economia mundial, com o Brasil vendendo muitas comodittes principalmente a China. Com a economia em alta e o estímulo ao consumo popular, Lula escapou do mensalão. Depois, como sabemos, estourou tudo, aumentando o tamanho e consequentemente o gasto do estado perdulário, com a esquerda no comando da economia, com Dilma, e Mantega, ambos esperando turbulências com a lava jato, que constatou que todas as instituições do estado estavam mais do que apodrecidas. Apodrecidas e falidas, diga-se de passagem. A recessão atingiu em cheio toda  população, pois se o país já vinha crescendo pouco, tivemos a maior queda da economia na república, e estamos sofrendo com ela.
Diante deste quadro desolador, a explosão da violência, o aparelhamento ideológico das escolas e universidades, a chamada política de minorias e o relativismo cultural fez e faz reavivar o conservadorismo da população. Afinal, bandido é bandido, ora bolas. E na violência tivemos a banalização e até glorificação do mal. Aliás, a glamurização da bandidagem já é regra mas artes, teatro, poesia, música e uma certa literatura marginal. Em suma, a cultura e a educação foram arrasadas, numa destruição célere e contínua ao longo de décadas. Enfim o povo acordou, e temos um país pra refazer. Como diria Lênin, o que fazer?
Novas pesquisas virão, mas os acertos na economia deixa o governo com boas perspectivas, dado que a agenda liberal finalmente está avançando. Todos sabem disso, daí o medo da oposição, em parte bandida, e do chamado centrão, que quer ser protagonista, afinal, não conseguiu os preciosos cargos, até agora o estado não foi loteado, em suma, foi quebrado o paradigma do tal de presidencialismo de coalisão. O executivo distribui os cargos, e os políticos votam, o povo é só um detalhe nessa história. Vamos ver até onde o governo vai avançar, e está avançando. Se as reformas capitalistas forem feitas o país vai bombar, como se diz no popular. Aliás, já está melhorando, saindo da inércia. Mas sem reformas, ficaremos como sempre, com vôos de galinha, longe do chamado desenvolvimento auto sustentado. Mas isso é outra história, o bom é que o governo vai bem. 
Vamos ver o pacote de Moro que é um dos sustentáculos do governo. O outro, a economia, e como vimos está funcionando. Menos mal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário