segunda-feira, 10 de junho de 2019

FORÇAS PODEROSAS CONTRA A LAVA JATO - RAFAEL BRASIL

Imagem relacionada

Como bem disse o jornalista Augusto Nunes, a lava jato é um processo, que não tem data pra acabar, é um patrimônio nacional. E tem muita gente contra, é o chamado sistema, o patrimonialismo nacional, como diria Raymundo Faoro, é a reação do estamento burocrático do estado, que luta e tem muitos poderes, para manter velhos privilégios. Claro, alguns deslizes podem acontecer, afinal, nada é perfeito, só Deus, mas essecialmente é uma questão meramente republicana e democrática, o clamor popular pelas reformas, democráticas e liberais, que o país tanto precisa. Afinal, o estamento burocrático do estado é o principoal empecilho para o desenvolvimento e mesmo sobrevivência do cartorial capitalismo nacional.
Nunca um presidente foi tão atacado pela mídia tradicional majoritariamente esquerdista. Afinal ninguém estava preparado para ter o "choque" de um presidente notadamente de direita, crescendo no bojo de um amplo, mas desordenado movimento conservador. Afinal a sociedade é conservadora, não tem canais de representatividade na mídia, no show buiseness e nas universidades. O Brasi não tem nenhum canal de televisão, rádio ou jornal, assumidamente conservador. E também no estado aí incluindo o judiciário. Foram décadas de ocupação de espaços, num país onde professor conservador sofre o diabo para exercer sua profissão com um mínimo de liberdade. Alunos militantes agem como cães raivosos, geralmente incitados por professores militantes, e como bons esquerdistas, com mentalidades totalitárias.
O governo enfrenta uma figadal resistência da parte mais corrupta e fisiológica do congresso nacional , além de uma esquerda raivosa, desmoralizada pela corrupção e pelo desmonte do estado que dizia defender, que perdeu o bonde da história, sem discursos, sem narrativas, ou melhor, suas narrativas envelheceram.
Bom que o presidente vem bravamenmte resistindo ao fisiologismo mais rasteiro, e tentando desmontar o estado patrimonialista com o liberalismo econômico e as reformas do estado. No caso da reforma da previdência, o governo conseguiu a assinatura de 25 governadores, inclusive os do nordeste, que sabem que seus estados estão quebrados, mas posavam de oposição ao governo e às reformas. Passando a previdência vem a reforma tributária e as privatizações. Enfim serão estas reformas que, se feitas, darão um boas perspectivas de melhria das condições de vida da polulação, com, mais renda e trabalho. É estranho que ainda tem liberal que reclama, fazer o quê?
Agora vem a propalada crise das gravações das falas de Sérgio Moro. Até agora nada comprometedoras, afinal a condenação de Lula está amparada em sólidas provas. E vem mais processos por aí. Erroneamente muitos esquerdistas tentam se salvar com o lema de Lula livre. Seria um reetrocesso estrondoso, e fator de instabilidaede política e institucional. O que ele teria a oferecer? Mais populismo e miséria? E com o acúmulo de processos ele ficará na história como o nosso maior bandido político. Eu pelo menos nunca me enganei. Sabia o que ía dar o populismo, estatismo e nacionalismo fulêiro, ou seja, em crise econômica a recessao.  Só não sabia que ía dar nesta tremenda roubalheira. A maior da história ocidental. E tem gente que ainda duvida. É isso aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário