sexta-feira, 24 de maio de 2019

É A PREVIDÊNCIA, IDIOTAS! - RAFAEL BRASIL

Resultado de imagem para marajás do estado charges


Certa vez, ao ser indagado sobre o sucesso do governo, um assessor de Bill Clinton disse de pronto: É a economia, idiota! Como diz o ditado popular, a parte mais sensível do corpo humano é o bolso. Em outras palavras, quem gosta de estar e ser liso? Estamos na pior recessão da história republicana, que aliás nunca foi tão republicana  com a economia. Aos trancos e barrancos, descemos ladeira abaixo, desde os anos 80 e sua tresloucada inflação. Veio o plano real e um pouco de racionalidade e abertura econômica, reencontramos o valor da moeda, isso durou sofregamente até o segundo governo Lula. A partir do final do segundo governo petista, já descoberta a ação criminosa da cleptocracia no governo com o mensalão, a esquerda tomou conta da economia, e aí afundamos como nunca antes no país. A queda quase fatal veio nos governos Dilma, o poste de Lula, e só ainda estamos respírando e por aparelhos graças a algumas medidas racionalizadoras do governo Temer.
Todos sabem da situação e a bola da vez é a reforma da previdência e concomitantemente do estado. A da previdência era para anteontem, eu mesmo já dizia isso há mais de uma década atrás. E nem precisa ser um analista de botequim para não saber da bomba previdenciária, e dos gastos excessivos do estado. Só um idiota, ou um maluco não sabe disso, além dos muito ignorantes mesmo, estes estão perdoados. E com a reforma da previdência, muitos sabem que o Brasil pode seguir por um caminho virtuoso na economia, claro, com outras mudanças como a tributária e do estado.
Estas mudanças mexem com muitas corporações, sobretudo as elites do funcionalismo público em todos os níveis. É muita mordomia nesta merda de república nababesca. Os marajás pululam em todas as instâncias da administração pública do país, e isso é um processo que deve continuar sendo combatido com a devida ajuda da sociedade, agora munida nas redes sociais. Ou seja, estas corporações e as oposições, aliadas ao lado mais fisiológico do congresso, tentam barrar às reformas, manter privilégios, encurralar o governo contendo seus ímpetos reformistas, sobretudo os muito metidos com corrupção. Outra frente governamental é a luta contra a corrupção, contida no pacote de Moro, daí a efervescência dos fígados mais do que ressentidos, inclusive os das altas cortes da justiça, estas caíram no ridículo malévolo de soltar diuturnamente criminosos de gola branca, como sempre. Em poucas palavras, o Brasil velho do estamento burocrático do estado resiste em todos os campos e com toda a força. Afinal essa gente domina o estado desde o império, aliás o Brasil foi, digamos, criado pelo estado, mas isso é outra história. A luta é do povo contra este estamento que sempre privatizou o estado segundo seus interesses, evidentemente.
Agora o povo está mais atento nas redes sociais, que tem muita merda, mas é de fundamental importância nos dias de hoje. São as redes que estão quebrando o monopólio da grande mídia, esta cada vez mais desmoralizada. O povo apareceu na cena desde as manifestações de 2013, passando pelas de 2015. Pode ser a primeira e verdadeira revolução democrática brasileira, mas temos muitas batalhas pela frente. Afinal precisamoes é de capitalismo. E a respeito, muitos liberais de merda ficam contra o governo, deviam mesmo ficar radicalmente com sua ótima agenda econômica, como muito bem o faz o Partido Novo. Mas isso é outra conversa. Vamos torcer para que a reforma não seja tão desidratada, como confessou Paulinho da Força, outro corrupto da nossa grande máfia sindical, também ressentida porque tem a perder com um Brasil apontando para a modernidade. Vamos acompanhar os acontecimentos e ficar com o governo e sua ótima agenda. Simplesmente não temos alternativa. Temos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário