segunda-feira, 5 de junho de 2017

Quadrilha | Ricardo Noblat

- O Globo

“João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili...” Carlos Drummond de Andrade

Políticos querem que Temer continue intocável. Se você acredita que Lula foi dono de um tríplex que desistiu de comprar e é dono de um sítio por meio de terceiros, também está obrigado a acreditar que Michel Temer incorreu em crimes ao receber às escondidas no porão do Palácio do Jaburu a visita de um empresário enrolado com a Justiça, admitido ali com nome falso, e que disse e gravou o que ouviu a salvo da lei e de eventuais constrangimentos.

SE VOCÊ TORCEU PELO impeachment de Dilma por acreditar que ela cometeu crime ao pedalar a Lei de Responsabilidade Fiscal, está igualmente obrigado a torcer para que a chapa Dilma-Temer seja impugnada, tal o volume de provas e de indícios de que abusou do poder econômico nas eleições de 2014. A Constituição não permite que se separem as contas do titular da chapa e do vice.

SEU COMPORTAMENTO em relação a Lula, Temer e Dilma só deveria ser diferente se você advogasse a tese de que a lei existe para os demais, não para os que compartilham suas ideias e pontos de vista. Lula está às vésperas de ser condenado no caso do tríplex do Guarujá. Dilma perdeu o mandato e corre o risco de perder os direitos políticos. Temer agarra-se à faixa presidencial empenhado em salvar a sua biografia.

NÃO APENAS A BIOGRAFIA, também o privilégio de só ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal. Embora finjam estarem dispostos a reduzir o foro especial que os protege, e a mais de 55 mil autoridades, os políticos querem, sim, que ele permaneça intocável. Os tribunais superiores são uma mãe para os poderosos. Demoram a julgá-los. E quando o fazem, dão um jeito de não puni-los.

É NISSO QUE APOSTARÁ Temer a partir de amanhã quando os sete ministros do Tribunal Superior Eleitoral começarem a se debruçar sobre as contas da sua e da campanha de Dilma. Se concluir que será cassado, acionará um amigo para que peça vista do processo, adiando o julgamento. Se for cassado, se valerá de recursos para ganhar tempo e evitar a palavra final da Justiça. É do jogo, infelizmente.

TEMER NÃO PENSA, e de resto poucos políticos pensam, no que é melhor para o país. Entre os seus e os interesses alheios, não hesitam. E só largam o osso quando esse lhes é arrancado com violência à custa de muitos dentes. Sempre sobrarão alguns para que possam voltar a morder, não se lhes importando o mal que produzam. O poder não é só afrodisíaco, ele escancara as portas para muitos negócios.

SE AMEAÇADOS, AS rotas de fuga são comuns. Lula se vê perseguido pelo procurador Rodrigo Janot. Temer diz que o perseguido é ele. Por medo, Lula desqualifica Sérgio Moro, o juiz. O pesadelo de Temer é cair no colo de Moro. Lula investe contra as delações por achar que um preso mente para ser solto. Temer, idem. Lula abomina a Lava-Jato. Temer atua para manietá-la, por enquanto sem sucesso.

ENSINOU-SE NO BRASIL do Segundo Reinado que nada se parecia mais com um conservador do que um liberal no poder. Aprende-se no Brasil de hoje que um político de esquerda acuado é igual a um político de direita nas mesmas condições. Em salas à prova de grampos, Temer não esconde sua admiração pela capacidade de luta de Lula. No último fim de semana, Lula elogiou Temer por resistir a se entregar.

SE JANOT NÃO MUDAR de plano, Temer e Lula terão uma semana infernal pela frente. Ele dispõe de farta munição para atenazar ainda mais a vida dos dois — inclusive novas gravações. E está decidido a dispará-la.

Nenhum comentário:

Postar um comentário