quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Salve o Corinthians, Odebrecht - com O Antagonista

Salve o Corinthians, Odebrecht


A Odebrecht delatou o deputado Andrés Sanchez.
Segundo a Folha de S. Paulo, os executivos Luiz Bueno e Benedicto Júnior denunciaram o pagamento de 2,5 milhões de reais em dinheiro vivo para a campanha do ex-presidente do Corinthians.
Diz a reportagem:
“André Luiz de Oliveira, o André Negão, vice-presidente do clube alvinegro e assessor parlamentar de Sanchez, é apontado como o responsável por ter recebido o dinheiro, pago em espécie.
Segundo a Folha apurou, a empreiteira apresentou documentos que comprovam o repasse de R$ 2,5 milhões”.

A propina virou um agrado

Andrés Sanchez recebeu do departamento de propinas da Odebrecht 2,5 milhões de reais em dinheiro vivo.
Segundo a Folha de S. Paulo, porém, em sua delação a empreiteira relatou que “não houve pagamento de propina para construir o estádio do Corinthians”.
Pior ainda:
“O sócio majoritário do grupo, Emílio Odebrecht, esclareceu que a empresa construiu a arena para agradar Luiz Inácio Lula da Silva”.
Alguém acredita que a Odebrecht ganhou um contrato de 1,2 bilhão de reais sem pagar propina? E quem ganhou o agrado: Lula ou a empreiteira contratada para fazer a obra?

Andrés Sanchez, Emilio Odebrecht e o amigo de Emílio Odebrecht

A meia-delação da Odebrecht

A Odebrecht contou tudo.
Mas contou tudo pela metade, aparentemente.
A Folha de S. Paulo, nesta quinta-feira, disse que a empreiteira pagou 2,5 milhões de reais em dinheiro vivo para a campanha do deputado Andrés Sanchez.
Segundo os delatores, porém, a Odebrecht não teria recebido contrapartidas. Como, por exemplo, o contrato para construir o estádio do Corinthians.
A PGR acreditou nessa história?
É nisso que dá excluir a PF dos acordos de delação.

Propina ou agrado?

A Odebrecht disse que não pagou propina no estádio do Corinthians e que a obra de 1,2 bilhão de reais foi apenas um agrado a Lula.
A Odebrecht disse também que repassou 2,5 milhões de reais em dinheiro vivo para o caixa dois de Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians.
Outro delator da empreiteira admitiu ter bancado a empresa de Luleco, a pedido de Lula.
O mesmo Luleco foi contratado pelo Corinthians durante as obras do estádio.
Para a PGR isso é propina ou agrado?



Nenhum comentário:

Postar um comentário