terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

"Os fatos a respeito do PT e de Lula são incontestáveis" - com O Antagonista

"Os fatos a respeito do PT e de Lula são incontestáveis"


O Estadão, em editorial, trata do desespero do PT, manifestado pela entrevista de Gilberto Carvalho ao Valor. O Seminarista prometeu uma "guerra", caso Lula seja condenado e não possa ser candidato em 2018.
Leia um trecho:
"O PT sabe que, se os processos contra Lula forem tratados somente no âmbito jurídico, a derrota do petista é certa, e não porque a Lava Jato 'persegue' Lula, mas sim porque, ao que tudo indica, sobram provas contra ele. Não é à toa que a equipe de advogados destacados para defender Lula, em vez de dedicar-se a refutar as acusações, foi até a ONU para denunciar a suposta perseguição política que estaria sendo empreendida pelo juiz Sérgio Moro contra seu cliente. Além disso, usa as audiências com Moro para irritar o magistrado, tentando fazê-lo sair do sério, o que daria argumentos para sustentar a tese de que ele age contra Lula por motivações pessoais.
Para essa gente, a democracia e suas instituições – especialmente a Justiça e a imprensa livre – são inimigas, pois trabalham com fatos, e os fatos a respeito do PT e de Lula são incontestáveis: o partido e seu demiurgo não apenas são os responsáveis pela pior crise econômica da história brasileira, mas também são as estrelas do maior escândalo de corrupção que já se viu no País. Logo, os petistas empenham-se em criar os chamados 'fatos alternativos' – nome que se dá a mentiras e distorções criadas para embaralhar a realidade."

Filhotes de Lava Jato pelo país inteiro

Cristiana Lôbo noticia no G1 que Rodrigo Janot deverá encaminhar nos próximos dias cerca de 200 pedidos relacionados à Lava Jato para o ministro Edson Fachin, relator da operação no STF.
Os pedidos vão desde a abertura de inquéritos para investigar políticos até a solicitação do fim do sigilo de delações feitas por dirigentes e ex-dirigentes da Odebrecht.
"A Lava Jato deverá gerar 'filhotes' no Judiciário em todo o país porque, segundo investigadores, as delações da Odebrecht envolvem obras em praticamente todos os Estados e citam ex-governadores, deputados estaduais ou prefeitos que devem ser investigados pelos tribunais estaduais", diz a jornalista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário