sábado, 21 de maio de 2016

​Meu lixo, minha vida - com O Antagonista



Desemprego em alta, renda definhada, endividamento recorde, inflação latente e um populismo insustentável.
No Brasil real, a economia em frangalhos arruinou sonhos e obrigou recomeços dolorosos.
Em plena capital da República, por exemplo, a atual crise arrastou uma multidão para o Lixão da Estrutural, a 15 km da Esplanada dos Ministérios.
Sem carteira assinada, sem "bicos" e sem esperança, o jeito foi buscar a sobrevivência no lixo dos outros.
O Antagonista esteve no local nesta manhã de sábado: encontrou famílias inteiras (muitas crianças), agora aleijadas das oportunidades até então apresentadas como salvação.
Entre montanhas de entulhos e restos de comida, escoltados por ratos e urubus, suportando sol a pino e um cheio horrível, homens e mulheres procuram sua dignidade de volta.
O descuido com o país nos últimos anos revela ali, tão perto do poder, uma de suas faces mais cruéis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário