sábado, 23 de abril de 2016

Existe uma ideologia petista? - BOLÍVAR LAMOUNIER*


O Estado de S. Paulo - 23/04

Um conjunto reconhecível de ideias o Partido dos Trabalhadores (PT) certamente tem; quanto a isso, não há dúvida. Mas é um conjunto que mereça ou deva ser chamado de ideologia?

Em diversas ocasiões, há cerca de 20 ou 25 anos, muita gente que não votaria no PT afirmava enfaticamente, em tom de crítica aos demais partidos: “O PT pelo menos tem uma ideologia”. Tal elogio (sim, era um elogio) era comum até no meio empresarial. Algumas vezes, cheguei a retrucar que era melhor não ter ideologia nenhuma a ter uma sem pés nem cabeça.

Agora que o PT atingiu a invejável marca dos 36 anos – a madureza, se coubesse aqui uma metáfora biológica –, parece-me oportuno indagar em que, exatamente, consiste o referido conjunto de ideias. Qual é o seu conteúdo? Como evoluiu em suas três décadas e meia de existência?

Nunca é demais lembrar que nos primórdios o PT se apresentava como um partido socialista, mas se apressava a explicar que seu socialismo era sui generis. Era um socialismo em aberto, “em construção”.

Devo confessar que essa definição me deixava embatucado. Na versão soviética, o conceito de socialismo sempre me pareceu de uma clareza meridiana.

1) A divisão da sociedade em classes sociais explica-se pela apropriação privada dos meios de produção: indústrias, fazendas, bancos etc;

2) atribuindo-se a missão de representar o proletariado, o Partido Comunista (PC) toma o poder e estatiza os meios de produção, extinguindo, por conseguinte, o fundamento da divisão em classes;

3) para consolidar a tão almejada sociedade sem classes o PC mantém férreo controle sobre o poder de Estado, exercendo-o como uma “ditadura do proletariado”.

O problema, retomando o fio do argumento, era que o PT queria rejeitava tal modelo, mas não sabia o que colocar no lugar dele. Sem a clareza do conceito soviético, substituído pelo “socialismo em construção”, os petistas pareciam estar pedindo um cheque em branco. Mas, por incrível que pareça, essa absoluta vacuidade não funcionou contra, e, sim, a favor da implantação do partido. Ajudou-o a angariar apoios, principalmente entre os jovens universitários, geralmente movidos pelo desejo romântico de acreditar que sua política não é deste mundo. Que agem por ideais – por motivos “elevados” –, sem sujar as mãos no crasso mundo dos meros “interesses”.

Com o tempo e o acúmulo de experiências práticas, muitas outras interpretações e imagens surgiram, trazendo mais calor que luz à discussão que ora nos ocupa. Numa pesquisa empírica sobre os eleitores do partido, André Singer julgou discernir entre eles um forte veio “conservador”. Com este conceito em si discutível, ele apenas acrescentou outra incógnita à equação: o que temos, então, é um partido que se diz radical, inclinado ao socialismo, que se apresenta como representante putativo de uma base social conservadora.

Marilena Chaui, num episódio célebre, declarou odiar a classe média por sua “ignorância” e sua tendência ao “fascismo”. Quando externou tal ponto de vista, “seu” governo – quero dizer, o governo Dilma Rousseff – proclamava aos quatro ventos um dos maiores sucessos de sua política econômica, graças à qual mais de 50% da população brasileira ascendera à classe média. Devo concluir que a celebrada professora titular da Universidade de São Paulo – ipso facto integrante da mais alta elite brasileira – empresta seu prestígio a um governo que tem entre suas principais metas criar uma camada social ignorante e intrinsecamente fascista?

E que dizer de Luiz Inácio Lula da Silva, o símbolo e chefe inquestionável do PT? Não há como falar de Lula sem antes falar do mito Lula: o imigrante iluminado que veio para São Paulo, venceu no sindicalismo e se transformou no líder carismático fadado a conduzir as massas à tão esperada redenção. O mito, como bem sabemos, foi em grande parte criado por uma parcela da elite cultural, quero dizer, por professores universitários, artistas, escritores, clérigos e jornalistas, coadjuvados, é claro, pelo outrora rebelde sindicalismo do ABC. Esse segmento da elite cultural “construiu” (para usar o verbo da moda) e ainda hoje cultiva o mito Lula como um líder “de esquerda”. Ora, mesmo quem não se define como esquerda, mas algo leu de História e aprecia o bom debate de ideias, haverá de se sentir desconfortável ao ver o conceito de esquerda, cuja densidade histórica ninguém de bom senso haverá de negar, associado ao populismo – essa aberração endêmica que Lula personifica num grau poucas vezes igualado na América Latina.

O que de fato importa é a fala dualista do PT: a divisão maniqueísta do mundo, o povo contra a “zelite”, o “nós contra eles”, etc. Isso é um pensamento de esquerda que intelectuais lidos e viajados possam honestamente endossar? A íntima associação que o governo Lula e, depois, Lula como pessoa física estabeleceram com o chamado “grande capital financeiro” e com as maiores empreiteiras do País são mais do que suficientes para demonstrar que o “nóis contra a zelite” nunca passou de uma fulgurante mistificação.

Trata-se, na verdade, de um maniqueísmo desprovido de conteúdo, uma persistente propensão a acirrar e dividir a sociedade em termos de “nós contra eles”. Na história das ideias, quem melhor expressou essa percepção do universo político foi o jurista alemão Carl Schmitt, um precursor do nazi-fascismo, para quem a essência de toda política é a contraposição amigo x inimigo. Fariam um bom uso de seu tempo os adeptos do mito Lula e do lulopetismo se relessem seu ensaio O Conceito do Político.

*BOLÍVAR LAMOUNIER É CIENTISTA POLÍTICO, SÓCIO-DIRETOR DA AUGURIUM CONSULTORIA, É AUTOR DO LIVRO ‘TRIBUNOS, PROFETAS E SACERDOTES: INTELECTUAIS E IDEOLOGIAS NO SÉCULO 20

Um comentário:

  1. Eu li atentamente o artigo acima escrito sobre o Brasil,LULA e o PT com sua ideologia.

    Cada um focaliza suas opiniões em fatos e fenômenos,mas às vezes faltam aquela visão de chamar a realidade atual em comparação com o passado.O que fez o Lula ser uma unanimidade? Toda a direita brasileira que correu para o palanque do Lula e Dilma para consagraram disso e daquilo.

    Até 2010 o Lula fazia muito medo na gente.Venceu a reeleição sem regra nenhuma criada e comprada por FHC e que permitiu o Lula ser reeleito.Em 2014 a reeleição sem regra eleitoral nenhuma,o que levou FHC, Lula e Dilma serem reeleitos usando a máquina pública ao seu bel prazer, isto é, todos usaram e usam as máquinas públicas municipais, estaduais e federal para se reelegerem.

    Foi assim com Bush,FHC,Lula e Dilma e ambos deixaram os seus países em maus lençóis.E o que faz o PSDB passa a votar contra a tudo o que ele mesmo criou: reeleição,CPMF,fator previdenciário,proposta de emenda constitucional legando todas as doações empresariais aos partidos e aos políticos,o que é a causa principal de todas as corrupções do Brasil, mas Eduardo Cunha do PMDB vota a favor da corrupção.

    O que levou o PT com Lula e Dilma a permanecerem no poder por 13 anos foram alguns itens que eu vou citar abaixo:

    1) juros de 25,95% a.m.enm 2002 baixou para menos de 12% a.m. em 2012 taxa selic.
    2) reservas cambiais de 57 bilhões de dólares para os atuais 374 bilhões de dólares.
    3)construção de 19 Universidades federais.
    4)expansão de 100 universidades federais em todo o país.
    5)aprovação do piso nacional de salário do magistério de R$ 210,00 para R$ 950,00 e hoje de R$ 2.135,00.
    6) mais de 60 milhões de pessoas foram as portas de um banco fazer algum tipo de operação bancária.
    7)as bolsas famílias criadas por Sarney e FHC saíra de 3,5 milhões de famílias para 12 milhões.
    8) o pobre nunca teve vez e passou a comprar alguns bens de consumo o que somente o rico poderia ter.
    9) a polícia federal elevou de 7.000 homens para 15 .000 para fiscalizar os seus e dos outros também.Quem golpeou a Dilma foram exatamente os 367 deputados federais que falaram tanto em corrupção e ética que, no outro dia, a deputada que disse que seu maridão era honesto é preso por corrupção na saúde de Montes Claros em Minas Gerais.
    10)foi a valorização do salário mínimo em dólares.
    11)foi a criação do prouni,sesu,pronatec,etc.Filho de pobre e negro entraram nas Universidades federais.
    12)as exportações do Brasil eram em 2002 de 65 bilhões de dólares e foram para 140 bilhões de dólares.
    13)o pronaf em 2002 foi de R$ 3,5 bilhões e passou a R$ 12 bilhões gerando assim emprego e renda ao homem do campo.
    14) apoio total a criação de todas as CPIs para fiscalizar todo o dinheiro público.São mais de 200 bilhões de reais que são roubados pelos políticos de todos os partidos e de todas as esferas de governo,municipal ,estadual e federal.
    15) as operações sanguessugas,vampiros,castelo de areia,mensalão,operação lava jato todas criadas depois de 2005,pois de 1994 a 2002 tudo era engavetado para debaixo do pano e do tapete pelo PSDB E PFL.Foram 16 delas engavetadas.
    16) hoje a Dilma, o Lula estão sendo expulsos e golpeados por uma direita corrupta e ladrona.O golpe de 17 de abril de 2016 ainda vai cair nas cabeças do PMDB e PSDB E PFL quando estarão administrando a operação lava jato e tentando darem um golpe na justiça brasileira para que todos os empresários continuem doando bilhões aos 367 picaretas e corruptos que proclamaram ao microfone,voto pela ética,contra a corrupção,pelos meus filhos,netos,bisnetos,meu avô e minha avó e pelo meu marido prefeito honesto e exemplo de competência;no outro dia o cara foi preso.Bonita e ordinária, a esposa do prefeito de Montes Claros!!!!!!
    17) Lula e Dilma pagam hoje pelo conjunto da obra: Eduardo Cunha, o psicopata e corrupto com o velho PMDB do Michel Temer,conspirador,traidor e GOLPISTA.

    ResponderExcluir