sábado, 13 de dezembro de 2014

COMISSÃO DA VERDADE OU DA MENTIRA? - RAFAEL BRASIL

Todas as ditaduras são essencialmente nefastas. Sejam de direita ou de esquerda, passando pelas religiosas fundamentalistas, que estão dentre as piores. Uma vida tirada por motivações políticas ou ideológicas, é sempre uma coisa terrível para qualquer democrata. TODOS OS TORTURADORES DE QUALQUER SISTEMA SÃO PSICOPATAS E SÃO OS MAIS COVARDES. Assim como os terroristas, que se recusam ao debate político e democrático, que matam, sequestram, e fazem justiçamento sem quaisquer direito à defesa, NÃO PASSAM DE ASSASSINOS E TAMBÉM PSICOPATAS SOCIAIS. Matam sem sentimento algum, em nome da revolução dita como redentora da sociedade. Matam pelo partido e pela suposta revolução futura. Não passam de fundamentalistas, porém laicos, auto proclamados iluministas, matam em nome da "razão". 
Na dita comissão da verdade,  só foi considerado as vítimas da esquerda, inclusive àquelas que foram mortas supostamente em combate, como no caso da chamada guerrilha do Araguaia, capitaneada pelo stalinista, então maoísta PC do B. Já as vítimas do terrorismo não conta para estas pessoas auto denominadas "donas da verdade".  Ademais, em termos absolutos os mortos pela ditadura foram não mais do que 425. Nada comparado com as ditaduras de direita dos nossos vizinhos da América do Sul, incluindo o pequenino Uruguai. Isso sem falar dos mortos e presos políticos de Cuba, ou mesmo como acontece hoje com os assassinados pelo governo Venezuelano.. 
Na verdade, esta comissão quer rever a história. Para isso quer sobretudo rever a lei de anistia. A anistia foi bastante ampla, e o número de desaparecidos e mortos pela ditadura nunca se transformou numa grande ferida nacional, dado o relativamente exíguo número de mortos e desaparecidos na fase mais dura do regime, que foi durante o governo Médici.
Aliás o terrorismo alimentou a repressão dos setores mais duros do regime, afastando os moderados. Tanto os setores repressivos do regime se beneficiaram do terrorismo , como também os terroristas se beneficiavam do endurecimento do regime. E os verdadeiros liberais e democratas, entraram no rol das vítimas da repressão, assim como os comunistas que lutavam pela luta democrática de massas rumo ao socialismo, ou seja a ditadura proletária. Isso é história e o resto é conversa fiada. 
Claro, digo e repito que  É INADMISSÍVEL QUE UMA PESSOA SEJA ASSASSINADA POR MOTIVAÇÕES POLÍTICAS. Mas números são números. Graças a Deus nunca tivemos algo parecido com um regime totalitário. Também nunca vi este povo de esquerda que se acha democrata, falar sobre os mortos e a repressão em Cuba, só para ficarmos no contexto latino americano. Para eles só contam os mortos da esquerda. Os inocentes mortos pelos terroristas, que somam cerca de 200 pessoas, não contam. Para eles estas pessoas não tem nenhuma importância. E para vosmecês, leitores?   

Nenhum comentário:

Postar um comentário