terça-feira, 18 de novembro de 2014

A destruição das nossas estatais – Parte 2 - POR RODRIGO CONSTANTINO


Comentei aqui sobre a destruição de nossas duas principais estatais. Outra forma de ver o mesmo fenômeno é comparar o valor de mercado das estatais quando Dilma assumiu e hoje, levando em conta o que aconteceu com as principais empresas privadas negociadas em bolsa. O resultado é impressionante:
Fonte: Bloomberg
Fonte: Bloomberg
Em outras palavras, as três maiores estatais com capital aberto valiam praticamente meio trilhão de reais no final de 2010, valor similar ao de sete das principais empresas privadas do Ibovespa, de setores diferentes. Após os quatro anos de gestão Dilma, as três estatais valem menos da metade do que valiam, enquanto as privadas se valorizaram 40% no total, ultrapassando os R$ 700 bilhões de valor.
Dito de outra forma ainda, as três maiores estatais “compravam” quase a totalidade das sete grandes empresas privadas quando Dilma assumiu, e hoje não “comprariam” nem um terço das mesmas sete empresas:
Fonte: Bloomberg
Fonte: Bloomberg
A destruição de valor de nossas empresas estatais é impressionante. A politização de suas gestões, o grau de interferência do governo, a roubalheira, o uso delas para fins eleitorais, a incompetência administrativa, a falta de transparência, tudo isso tem feito o valor de nossos ativos derreter nos mercados. Quem investiu sua poupança nas empresas estatais sob o comando de Dilma colheu apenas tragédia. E ainda vem mais quatro anos disso pela frente…
PS: E ainda tem gente que condena a privatização?
Rodrigo Constantino

Nenhum comentário:

Postar um comentário