segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Antônio Ermírio de Moraes, gigante do empresariado brasileiro, é velado em São Paulo - VEJA.COM


Antônio Ermírio de Moraes, gigante do empresariado brasileiro, é velado em São Paulo

Empresário Antonio Ermírio de Moraes (Foto: Mário Rodrigues /VEJA)
O empresário Antonio Ermírio de Moraes, do Grupo Votorantim, faleceu neste domingo (Foto: Mário Rodrigues /VEJA)
Cortejo sairá às 16 horas rumo ao Cemitério do Morumbi, onde o corpo será enterrado. Em nota, presidente Dilma lamenta morte de empresário
Do site de VEJA
O corpo de Antônio Ermírio de Moraes, presidente de honra do Grupo Votorantim, um dos maiores colossos empresariais do Brasil, está sendo velado desde 9 horas da manhã no Salão Nobre do Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo, do qual o empresário também era presidente de honra — e ao qual, durante décadas, dedicou-se trabalhando gratuitamente todas as manhãs. O cortejo sairá às 16 horas rumo ao Cemitério do Morumbi, onde o corpo será enterrado.
Ele morreu na noite deste domingo, aos 86 anos, em São Paulo, vítima de uma insuficiência cardíaca. Passaram pelo velório familiares e amigos para se despedir do empresário. Ele deixa a mulher, Maria Regina Costa de Moraes, com quem teve nove filhos.
Em nota, a presidente Dilma Rousseff (PT) lamentou a morte do empresário. ”Foi com tristeza que recebi a notícia da morte do empresário e presidente de honra do Grupo Votorantim, Antônio Ermírio de Moraes. Líder nato, Antônio Ermírio sempre acreditou no desenvolvimento do Brasil. Aos familiares e amigos, meus sentimentos por esta perda.”.
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou, também em nota, que Antônio Ermírio de Moraes “encarnava o que há de melhor no povo brasileiro”. Segundo Alckmin, “ele era um homem empreendedor e de coração generoso, que expandiu seu grupo empresarial para mais de 20 países, em inúmeras áreas de atuação”.
O Grupo Votorantim também emitiu nota sobre a morte do empresário. “Com o falecimento do Dr. Antônio Ermírio de Moraes, o Grupo Votorantim perde um grande líder, que serviu de exemplo e inspiração para seus valores, como ética, respeito e empreendedorismo, e que defendia o papel social da iniciativa privada para a construção de um país melhor e mais justo, com saúde e educação de qualidade para todos”, diz o comunicado.
A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) disse que lamenta, com profundo pesar, a morte de “um dos mais importantes líderes empresariais do país”. “Perdemos um parceiro, mas seu nome sempre foi e sempre será inestimável referência à história da indústria”, afirmou a entidade.
O Hospital Beneficência Portuguesa também disse que lamenta o ocorrido e diz que “perdemos um grande líder e um grande empresário, alguém dedicado à família, à sociedade e que prezava pelo investimento e apoio às ações na área de saúde”.
Dono de um dos mais tradicionais grupos industriais do Brasil, Antônio Ermírio de Moraes sempre figurou em posições destacadas nas listas anuais das maiores fortunas do país – e às vezes até do mundo. No último levantamento da Forbes, o empresário ocupava a 9ª colocação no ranking de bilionários brasileiros, com uma fortuna estimada em 3,1 bilhões de dólares.
Liderança – Mais importante do que seus bilhões, contudo, era o seu talento para comandar o Grupo Votorantim. Antônio Ermírio assumiu a liderança da empresa ao lado do irmão, José Ermírio de Moraes Filho, em 1973, após a morte do pai, José Ermírio de Moraes.
Em quase três décadas à frente do conglomerado, que atua entre outros nos setores metalúrgico, de cimento, papel e celulose, o empresário adotou um estilo conservador, avesso a riscos, e sobreviveu a graves crises econômicas, consolidando a posição do grupo como um dos principais do país.
Ao mesmo tempo, tornou-se a maior liderança empresarial do Brasil: uma referência de sucesso e boa gestão a seus pares e uma das vozes mais ouvidas e respeitadas no debate público sobre o progresso nacional.
Crítico ferrenho da burocracia estatal e dos obstáculos colocados pelo governo ao crescimento das empresas, Antônio Ermírio se orgulhava de dizer que seu grupo nunca tinha sido favorecido pelo poder e repudiava medidas assistencialistas do governo como já deixou claro em entrevistas a VEJA. ”Acho péssimo quando vejo que a prioridade do governo é dar esmola, e não acabar com os entraves à criação de empregos”, disparou em 2003.
Biografia – Nascido em 4 de junho de 1928, em São Paulo, Antônio Ermírio cursou engenharia metalúrgica no Colorado. Ao voltar para o Brasil, em 1949, teve como primeiro emprego um estágio não remunerado na Siderúrgica Barra Mansa, uma das empresas da família.  Em 1955, foi o responsável pela instalação da Companhia Brasileira de Alumínio.
Em 2001, aos 74 anos, deixou o conselho de administração do Grupo Votorantim e passou para os filhos o comando do conglomerado. Nos últimos anos, o empresário começou a sofrer do mal de Alzheimer.
Também dedicou boa parte de sua vida à filantropia, contribuindo com a Sociedade Beneficência Portuguesa e a Cruz Vermelha. Apesar de sua fortuna, Antônio Ermírio adotava uma estilo simples de vida que, entre outras coisas, incluía sua preferência por não utilizar automóveis zero quilômetro.
(Com agência Reuters)

Nenhum comentário:

Postar um comentário