domingo, 23 de junho de 2013

ILIMAR FRANCO: LIÇÃO DAS RUAS


A lição das ruas - ILIMAR FRANCO

O GLOBO - 23/06
Dirigentes partidários e cientistas políticos estão prevendo uma grande renovação nas eleições de 2014. O sentimento que embalou os protestos afetará a todos. Mas os partidos sem identidade definida, marca reconhecida e militância sofrerão mais. A despeito da perplexidade geral, ficou claro que a rejeição aos governos, ao Legislativo e aos partidos é maior, e mais relevante, do que se imaginava.

Nasce um novo Brasil
A maioria dos políticos está empenhada, nestas horas, em enquadrar os fatos às suas vontades. Mas os analistas políticos estão procurando ir além do superficial perde-ganha. O cientista político Jairo Nicolau chama a atenção para um fato novo: "Pela primeira vez, nos últimos 20 anos, a população sai às ruas sem o predomínio do PT." Sua leitura é que os protestos refletem a existência de "uma nova classe média, novas formas de comunicação e um novo Brasil que olha políticos e partidos e não se vê neles". Pelo fato de o movimento ser heterogêneo e se voltar contra o establishment, ele ainda não vê uma força política capitalizando tal descontentamento.

"No mundo político, não tem ganhador. Mas, se tiver, é quem está mais fora do contexto. E a única pessoa nessa posição se chama Marina Silva"
Saulo Queiroz Secretário-geral do PSD 

Ctrl+C, Ctrl+V
Um ministro do STF está sendo processado por uma das maiores editoras de livros jurídicos do país. O digníssimo teria plagiado um texto relacionado ao processo civil. A ação corre no Tribunal de Justiça do Distrito Federal.

Ação orquestrada?
O partido de Marina Silva, a Rede, está sofrendo com o rigor dos cartórios eleitorais na checagem das fichas de filiação. Centenas estão sendo rejeitadas porque no nome do partido está escrito apenas "Rede".
Os funcionários argumentam que deveria ser usado o nome completo do partido: "Rede Sustentabilidade". Com essa Marina não contava.

Rui Falcão e a crise
Diante da conjuntura atual, o presidente do PT, Rui Falcão, adiou o lançamento de sua candidatura na quinta-feira. "Prefiro continuar concentrando minha atenção e a da militância do meu partido no acompanhamento do momento político nacional".

Cartão amarelo
A desordem e a falta de segurança provocadas pelos protestos dos últimos dias deixaram a Fifa apreensiva. Seu secretário-geral, Jérôme Valcke, reclamou ao governo da falta de competência das forças policiais. Relatou que as empresas patrocinadoras estão chocadas, pois, se há dificuldades de segurança para a Copa das Confederações, o que dirá na Copa do Mundo.

Destrinchando o protesto
No Rio, 67% das pessoas que andam de ônibus usam vale-transporte, 10% têm gratuidade, e só 23% pagam o preço cheio da passagem. O custo do VT para o empregado é de 6% do valor de seu salário. O que passar disso é pago pelo patrão.

Correndo atrás do prejuízo
Depois de ser pego de surpresa com a votação da bolsa-estupro na Comissão de Finanças da Câmara, o governo Dilma agora trabalha para impedir que vá para a Comissão de Direitos Humanos e que seja aprovada no plenário.

FIM DA PEC 37. O governo quer que o Congresso enterre a PEC 37 e que o debate entre Ministério Público e polícia recomece do zero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário