domingo, 7 de abril de 2013

ESCOLA TRADICIONAL E SOCIALISMO - Rafael Brasil


O pensador italiano marxista Antonio Gramsci, advogava a tese de que a escola ideal para a classe operária seria o modelo da escola burguesa, inclusive ensinando os pilares da cultura clássica e universal, desde os gregos antigos. Que a escola socialista não seria de formação técnica, mas universal. E como tal, como era no seu tempo, uma escola rígida, com professores altamente preparados, tal qual as melhores escolas da burguesia.
Uma das poucas coisas que funcionaram nos regimes socialistas, com exceção da obscura China de Mao, foi a educação. Que sempre foi rígida, assim como as escolas tradicionais. Inclusive Cuba. Nestes países, ninguém nunca deu bola para monstruosidades como o construtivismo. Para Paulo Freire e seu "método" nunca deram uma pelota. Aliás, o tal método Paulo Freire, nunca funcionou em lugar algum. O que existe em tal método é a doutrinação ideológica, e de baixo nível diga-se de passagem. Ganha uma cocada quem descobrir aonde tal "método" funcionou.  Na França, nem se fala no método Piaget. O sistema é tradicional, com as crianças quietas , assistindo e aprendendo, com professores bem pagos e bem formados. E escolas devidamente boas e equipadas. O resto é conversa de ignorante ou ideólogo do atraso.
Aqui, todo mundo brinca de educar, porém ninguém aprende e não se ensina, sobretudo pela má formação dos professores, que vão para as faculdades receberem doutrinação ideológica, e das mais fulêiras. É preciso mudar tudo, sobretudo a concepção, isto é fundamental. Nas nossas reuniões e nas chamadas capacitações profissionais, nunca se fala do Freyre, o Gilberto, mas, infelizmente, citam o charlatão marxistóide o Paulo , como os evangélicos citam a Bíblia. Tudo muito bom, depois vem os auto elogios, e todos se sentem revolucionários da educação brasileira. Seria melhor rir do que chorar. Fazer o quê? Enquanto escrevo os professores são humilhados e agredidos fisicamente nas salas de aula. O estado trata-os como marginais.  É o Brasil!

Um comentário:

  1. Professor, obrigado por ter sido meu mestre.
    O mundo prova a cada dia que o senhor estava certo, sempre esteve!

    ResponderExcluir