segunda-feira, 31 de outubro de 2011

EDUCAÇÃO E DESINDUSTRIALIZAÇÃO


O Brasil cresce, tem atraído investimentos importantes no setor produtivo, e tem superávit nas contas correntes. Ou seja, apesar dos problemas institucionais que entravam o desenvolvimento, com uma complicada estrutura tributária e uma  gigantesca e inútil burocracia ,  Brasil anda. Só que puxado pelas comodittes, produtos agropecuários e minerais. Como no passado, a agricultura e os minerais nos sustentam, sobretudo nestes tempos de ascensão chinesa aonde mais de quatrocentos milhões de bocas entraram no mercado nos últimos vinte anos, e com tendência de aumentar. Já no setor industrial, o Brasil vem se desindustrializando.  Sobretudo no filé da nova industrialização, de materiais leves, conectados pela internet e agregados. Ainda mais observando-se a questão ambiental, sobretudo com a busca de novas fontes de energia. Em outras palavras, o Brasil fabrica produtos, digamos, mais da segunda revolução industrial, produtos de menor valor agregado, tecnologicamente falando.  Ou seja, mais rudimentares, digamos assim.
Para reverter este quadro, faz-se necessário, fazer a educação do país funcionar. Se adequar a esta nova realidade de crescimento das forças produtivas como diria Marx. Sem educação ficaremos sem mão de obra e castrados em força criativa. Temos que fazer a educação realmente funcionar. Acabar de vez com a politicagem no setor, pagar bem aos professores, treinando-os, e sobretudo implementando a disciplina nas salas de aula, restituindo a autoridade, não só intelectual do professor, bem como a rigidez hierárquica que uma instituição de ensino precisa. Claro, que no bojo destas mudanças, cada vez mais serão usados novos instrumentos para a melhora da educação como a internet e a informática, sobretudo com o uso de novos equipamentos. O resto é conversa fiada. E entra ano e sai ano, e o professor é cobaia das mais díspares “novidades  pedagógicas” de plantão, de pacotes de novidades vendidas a peso de ouro a governos que acreditam em mágicas no setor. Não existe mágica. Mas que se dê pelo menos continuidade àquilo que vem dando certo. Ademais as medidas serão para médio e longo prazos. Todo imediatismo é tolo na educação. Assim como a inércia. Do jeito que está, não vamos a lugar algum. Alguém duvida?
Já dizia o economista e sociólogo alemão Joseph Schumpeter, que as crises são momentos criativos no capitalismo. Novas formas de produção, bem como novos serviços surgem depois de um longo e duradouro processo de recriação das novas estruturas industriais, ou seja, novos realinhamentos industriais, recriando o capitalismo e os setores produtivos da sociedade. Se educação estaremos definitivamente fora 

domingo, 30 de outubro de 2011

CÂNCER

        

Quando se fala nesta doença todo mundo fica meio arrepiado, pois durante muito tempo foi associada à morte. Sobretudo antigamente, quando o progresso na medicina era , para os padrões de hoje, primitivos. Quando era detectada, a doença já estava em estado terminal. Hoje, é muito comum pessoas se tratarem e viverem por um bom tempo ainda, mesmo convivendo com a doença. O câncer de Lula deve ser curável, vamos ver o desenrolar dos acontecimentos. Espero que seja, pois, apesar de tudo, muitos brasileiros ainda o amam. Mas pelo menos o ex presidente nos poupará de ouvir muitas besteiras, como a de que a saúde no Brasil é excelente. Se fosse, o presidente deveria se tratar no SUS. Meu sogro, um senhor de setenta anos, camponês desde a meninice, está tratando de um câncer linfático, e para fazer o exame de biópsia em Recife, realizou pelo menos sete viagens à capital. Atualmente faz tratamento em Garanhuns. Seria interessante o presidente refletir muito sobre o sofrimento do povo que  diz tanto amar. Como até as pedras sabem, centenas morrem em filas de hospital, e médicos realizam quase diariamente a eutanásia  sobretudo pela falta de leitos. Mas que deus proteja o ex presidente, e que ele volte logo à política. Mais humilde, de preferência, afinal, graças a Deus, os mitos também morrem. E uma boa dose de humildade não faz mal a ninguém.


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O DIPLOMADO


Para o amigo Roberto Almeida, o fato de Lula ter sido diplomado com o título de “doutor honoris causa”em inúmeras universidades, sobretudo as estrangeiras, o torna imune de suas falcatruas, mentiras contumazes e conivência com a corrupção ,  que no Brasil estamos acostumados a ver. Pelo menos quem é minimamente informado, ou como no meu caso,  sou oposição, desde longa data ao populismo de plantão. Com muita honra, aliás. Se as universidades aconselham pular em um abismo, irei junto? Ironicamente, quem salvou Lula foi o velho capitalismo e a globalização, com o exponencial aumento de valor das comodittes no mercado global, sobretudo depois da expansão chinesa pós Mao, e do crescimento global durante o seu governo, e a manutenção das reformas dos governos Fernando Henrique. No momento em que escrevo, ele luta para manter os corruptos que “nomeou”, no governo de sua indicada. Será que muita gente realmente não vê essas coisas? São cegos, ou não querem ver? Que coisa!


ARGENTINA

País estranho a Argentina. Estranho e masoquista. Era um dos países mais ricos do mundo no pós guerra. Talvez o sexto. Sua economia, equivalia a duas  do Brasil. Perón e o populismo estragaram a festa, e ao longo de décadas de instabilidade política, o populismo colhe o que plantou. Agora realmente a Argentina tem muitos pobres para os políticos populistas fazerem proselitismo. Atualmente tem uma economia mais ou menos do tamanho da de Minas Gerais. Quem sustenta o populismo são as comodittes, que tiveram substancial alta nos mercados internacionais, sobretudo com a entrada da China. Como no Brasil, os setores primários carregam o barco, se bem que a nossa economia é bem mais diversificada, e o mercado interno é bem maior. O peronismo foi a  pior praga política do século XX para o país vizinho. Ainda continua fazendo estragos. Até quando?
   

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Mais uma cerveja RICARDO NOBLAT




Vocês têm que resistir. O ministro tem que resistir . (Lula, aconselhando o PCdoB e o ministro do Esporte)

Estava tudo encaminhado por Dilma - foi o que ela imaginou. Orlando Silva, ministro do Esporte, pediria para deixar o cargo. O PCdoB, que manda no ministério há quase nove anos, indicaria o sucessor dele. E a "faxina ética" avançaria mais um degrau com a demissão do quinto ministro em dez meses. Um recorde! Mas aí... aí o cozido desandou.

Por culpa de quem? De Dilma, que mandava com mão de ferro no seu governo até que esbarrou em outra mão, antigamente dócil, e que também se fez de ferro. Aconselhado por Lula, o PCdoB decidiu mostrar a Dilma que não queria ser tratado como o foram o PR, o PMDB e o PT no caso das demissões dos ministros da Casa Civil, dos Transportes, da Agricultura e do Turismo. Comigo não, violão!

O PCdoB é o único partido que apoia o PT desde que Lula foi candidato pela primeira vez a presidente da República, em 1989. Se em algum momento se vê em rota de colisão com o PT, sai da frente. Contenta-se em seguir à sombra do PT. Em troca, espera ser aquinhoado com tenras fatias do poder. Nada capaz de criar problemas, de fazer falta ou de aborrecer o seu aliado.

Que bala de prata guardava o PCdoB? Anote o nome dela: Agnelo Queiroz, governador do Distrito Federal eleito pelo PT. Durante o primeiro governo de Lula, ainda na condição de membro do PCdoB, Agnelo foi ministro do Esporte. O secretário-executivo do ministério era Orlando Silva. Pois bem: se Orlando fosse tragado pela lama que escorre do ministério, Agnelo também o seria. Palavra do PCdoB.

Então pensando melhor, Dilma preferiu deixar Orlando onde ele está. Se até o fim do seu governo, se até a reforma ministerial que ela pretende promover no próximo ano ou se até esta semana, não se sabe. E a levar- se em conta o estilo centralizador de Dilma e o pavor que ela tem de vazamento de informações, é possível que não saibam nem os seus auxiliares de maior confiança.

Lula! Sim, Lula talvez saiba. Afinal, se dependesse dele, Orlando só deixaria o ministério quando Dilma descesse a rampa do Palácio do Planalto. Foi ideia de Lula manter Orlando no ministério Dilma era contra. E tinha razões de sobra para ser. Como chefe da Casa Civil da Presidência da República, conhecia o que se passava no Ministério do Esporte desde a época de Agnelo. E não gostava nem um pouco.

O ministério virou um aparelho do PCdoB, onde ele emprega militantes que não podem ficar ao desamparo. O ministério virou uma incubadora de organizações não governamentais (ONGs) ligadas ao PCdoB e favorecidas com dinheiro público. O ministério virou um dos órgãos do governo mais crivados por suspeitas de envolvimento com irregularidades e roubalheira. Quer alguns exemplos?

Problema de gestão: o Tribunal de Contas da União (TCU) descobriu que o Ministério do Esporte deixou de analisar 1.493 prestações de contas de uso de recursos federais em convênios do ano passado, avaliados em R$ 801 milhões. Em 2009, de 160 convênios firmados com ONGs, 105, no valor de R$ 88,3 milhões, não foram vistoriados. Foram encontradas fragilidades nos 55 convênios vistoriados (R$ 68,8 milhões).

Suspeita de roubo: a Controladoria Geral da União pediu a devolução de R$ 12,5 milhões repassados pelo ministério às ONGs Universidade do Professor, do Paraná, e Rumo Certo, do Rio. A primeira está fechada há quatro meses. A segunda, desde 2009. Sumiram R$ 2,5 milhões injetados em 2006 pelo ministério na Associação dos Servidores do TCU na época presidida por um militante do PCdoB.

A oposição no Congresso cobra a demissão de Orlando, mas torce para que ele fique no ministério o maior tempo possível. Aposta, é claro, no desgaste do governo. Com a saída de cena dos ministros vítimas da faxina ética , o governo foi dispensado de dar explicações para os malfeitos produzidos por eles. Com a permanência de Orlando... Baixa outra cerveja. Toca mais uma música. Segue a festa.

domingo, 23 de outubro de 2011

BARBARISMO




Foi chocante o assassinato de Kadhafi na Líbia. Um exemplo de tribalismo que não deve nem deveria ser seguido, sobretudo para quem quer substituir um tirano no poder há mais de quarenta anos, e queira implantar um regime minimamente condizente com os  preceitos democráticos e civilizados . Claro, Khadafi foi um assassino e um temível tirano, que devia pagar até com a pena de morte por seus crimes, mas que lhe fosse dado um tratamento e um julgamento dignos. Não se supera tirania com atos violentos, bem condizentes com os do tirano que se deseja afastar. Na verdade o perigo é que os substitutos sejam piores do que ele. Aliás, dentre seus opositores estão os fundamentalistas islâmicos, estes os verdadeiros autocratas, pois matam e torturam em nome de deus. É mais uma vitória do tribalismo contra a civilização. Uma pena.

LINDOLFO

Boa a entrevista de Lindolfo retificando o acordo das oposições que poderão desaguar em sua candidatura. É bom lembrar que a oposição tem bons nomes, caso sua candidatura não aconteça. Neguinho é um deles, além da advogada Gisele, ou mesmo Armando Duarte ou o Gordo de Zé de Sinhozinho. As oposições cresceram no bojo do descalabro administrativo e financeiro do município. O abandono do município é alarmante. As estradas municipais estão intransitáveis, a saúde e a educação sucateadas e impregnadas do mais abjeto clientelismo político. Um verdadeiro republicano e democrata não se vende a essa turma. A não ser que seja um reles áulico desta turma que saqueia o município há mais de vinte anos. Quem se vender não passa de mais um rato em torno das ratazanas que corroem há anos o dinheiro público deste pobre município. Que tem um dos piores índices de desenvolvimento humano do estado. Os que estão no poder só fizeram  e fazem para piorar a situação. É PRECISO MUDAR, E JÁ. 

INGENUIDADE?

Mao_Tse_Tung_imitator_1.jpg (252×341)

Meu amigo Roberto Almeida procura onde estão os corruptos da ex ARENA, ou mesmo PDS, oriundos da ditadura militar.  Estão com o PT, caro Roberto, só você não vê? E o que você diz de Lula insistir para o ministro dos esportes resistir  a possibilidade de demissão, apesar das graves provas de corrupção apresentadas? E o mensalão do PT, como diz Lula , nunca existiu? Aliás, a direita está desarticulada há tempos.  Qual o partido, liberal e democrático de peso que existe neste país? E na oposição?  Na  ditadura, era fácil, digamos, ser maniqueísta. Os bons estavam do nosso lado, os ruins na ditadura. Com a democracia, sabemos que as coisas não podiam ser simples assim. E se existem muitos corruptos e corrupção, é que as nossas instituições ainda são frágeis e não consolidadas. É preciso aperfeiçoá-las, não? O que fez Lula e o PT neste sentido? Nada, nadinha. Ou você sabe de alguma que não sabemos? Com a palavra, Robertão, um dos milhões de defensores incondicionais do Lulismo.

COMUNISTAS E CORRUPÇÃO

Antigamente, muitos esquerdistas partiam para a briga quando chamados de corruptos. Lênin, quando exilado em Paris, dormia sem calefação com a véia Krupskaia, e bebia chá numa lata de ervilha, Já gasta pelo uso. Isso era orgulho dos comunistas, sobretudo os biógrafos oficiais ou não, de Lênin. No Brasil, os comunas viviam ou de emprego público, inclusive na ditadura militar, ou quando eram importantes quadros do partido, com os minguados dólares enviados pelos soviéticos. Era o famoso “ouro de Moscou”, tão alardeado pelos anticomunistas e oprtunistas de plantão, os famosos adesistas de sempre, que hoje se encontram no PT, que aliás está no poder. Hoje o centro das atenções é justamente o velho stalinista PC do B, um dos maiores cacarecos ideológicos da América Latina. Esta gente ainda sobrevive no Brasil. “Só no Brasil mesmo”, diria meu tio velho e falecido Austerliano , o Nenem,  irmão de vovô. O mesmo era anticomunista, minoria na minha família, por isso mesmo chamado de reacionário. Mesmo assim ajudou meu tio, Rildo Souto Maior, comunista histórico em Pernambuco  , a fugir das garras da repressão durante o golpe de 64. Claro, nada a ver com os comunistas no poder, quando se tornam os maiores corruptos da paróquia. Na ex União Soviética, a ex nomenklatura, do PCUS, tornou-se a máfia que, juntamente com a ex KGB domina a economia do país. Esta cleptocracia roubou os russos e povos a eles vinculados por mais de setenta anos. Ainda hoje, não largaram o osso.

PC DO B, UM CACARECO IDEOLÓGICO

O PC do B, surgiu a partis de 1956, quando Nikita Kruthev denunciou, em parte, os crimes de Stálin. Naquela época já ficaram do pior lado que era Stálin. Depois transformaram-se em maoístas, foi quando fizeram a tresloucada “guerrilha” do Araguaia, jogando na fogueira da morte  mais de uma centena de jovens militantes. Como  Mao, queriam fazer uma revolução do campo para a cidade. Como o Brasil não era a China, deram com os burros n’água. Depois romperam com a China com a morte de Mao, e aderiram a Albânia, o mais fechado e stalinista dos países europeus. Quando derrubado, o regime de Hever Rodja revelaria ao mundo uma população esfomeada, e que no país existiam mais casamatas do que casas propriamente ditas. O PC do B, arregimenta seus quadros militantes no movimento estudantil, que domina há mais de duas décadas. No governo Lula o partido se destaca por ser um dos principais parteiros ideológicos do governo. Agora mostra que são parceiros na roubalheira também. É o comunismo pós-moderno, digamos assim.

LEITOR PECDOBERISTA

Meu caro amigo leitor do PC do B diz que Hobsbawn é positivista.É o comunista mais heterodoxo que já conheci, e se proclama como sendo um dos últimos comunistas remanescentes do século XX. Compará-lo à fukuyama é brincadeira, pelo menos o velho historiador nunca decretou o fim da história, mas do comunismo do século XX. Do sangrento século XX, como gosta de referir-se. Ao me referir que essencialmente todas as tendências do PT eram leninistas, falo programaticamente. Quase todas repetiam a cantilena revolucionária e a ditadura do proletariado, divergindo assim mais nas questões táticas ou estratégicas, embora não fossem diretamente ligados à terceira internacional. Basta ver nos documentos dos congressos do PT, e suas inúmeras tendências. Essa história de que o PT surgiu a partir exclusivamente das lutas operárias no ABC é balela. Surgiu isto sim, da união de sindicalistas com muitos comunistas desencantados com a política de apaziguamento da deténte levada a cabo pela ex União Soviética  nos anos sessenta, o início do processo de estagnação econômica do modelo autoritário e estatista soviético. Além de muitos integrantes da chamada igreja progressista, em ascensão. A maioria dos comunistas do PT, eram , digamos, ferrenhos defensores do chamado “modelo cubano”.



quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Comunistas corruptos.

Ser comunista com o capital alheio é fácil. Principalmente no Brasil.
Refiro-me aos desvios de dinheiro público por ONG's ligadas ao PC do B. Soube hoje que o comunista Orlando Silva, Ministro dos Esportes, pode ser demitido ainda esta semana. Antes, será chamado ao Palácio do Planalto para se defender das denúncias de fraude envolvendo o programa Segundo Tempo, de seu ministério, que usava ONG's e empresas fantasmas para desviar muitos milhões dos cofres públicos. Um horror. O chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, irá recebê-lo e embora se diga que a presidente Dilma Ducheff estaria propensa a mantê-lo no cargo, vai ser difícil engolir suas justificativas. Na verdade, o rolo no qual o ministro se meteu é dos grandes. As denúncias foram feitas pelo jornal “ O Estado de S. Paulo”, mostrando que o projeto do Ministério do Esporte, só em 2010, distribuiu R$ 30 milhões à ONGs de dirigentes e aliados do partido. As obras realizadas com esse montante só existem no papel. Todos os dirigentes das ONG's, é bom lembrar, são do PC do B. Orlando Silva é um fruto da UNE (escrevi sobre a peleguice dessa entidade, dia desses aqui), como também o cara-pintada Lindbergh Faria, senador carioca, hoje amigaço do Collor e bulldog do PT no Senado. Passa-se o tempo, mas o comunismo ainda é o que sempre foi: nefasto, corrupto, mas com cara de salvação. Sempre que esse pessoal fala em socialismo, tome cuidado. É no seu bolso que eles querem realmente fazer mudanças.

Republiquei esse texto que havia escrito numa quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011, aqui mesmo nesse blog. Basta buscar no arquivo que lá estará ele. Parece uma profecia.

sábado, 15 de outubro de 2011

MARX, DIREITA, ESQUERDA


Recebi  comentários de alguns petistas contestando alguns tópicos de questões abordadas. Resolvi responder, dentre outros fatores, para esquentar o debate. Quando coloco o SE na discussão histórica, estou falando na chamada história contra factual, tão apreciada por historiadores para a discussão tão elementar na história, do presente com o passado.  Aliás, conheci o termo “história contra factual “ lendo Hobsbawm, quando ele coloca a questão. Ele é de direita?  Por que não o SE na história? Se Lênin tivesse vivido, a chamada revolução, teria colorações, mais, digamos, social-democrata?  Ou a NEP* teria sido apenas uma questão tática ou estratégica para a efetivação da coletivização em massa realizada por Stálin na década de trinta sob os auspícios do terror de estado? Aliás, Trotski defendia fundamentalmente o mesmo, mas essa turma precisa  estudar mais um pouco, sobretudo História. Quando me refiro a Segunda Internacional, não seria mais interessante sua influência na política do século XX do que a nefasta política externa do totalitarismo stalinista? Aliás, prefiro os social-democratas, é o que muitos petistas ainda esquerdistas nunca se acostumaram.  Ainda continuam leninistas, uns cacarecos ideológicos e políticos. O PT nunca foi leninista?  É só observar os debates e programas de seus congressos. Todas as tendências são essencialmente leninistas, algumas ate com umas horrendas colorações católicas, coisa de fazer cristão tremer nas bases. Ademais, todas as tendências petistas estavam à esquerda dos clandestinos partidos comunistas. Mas o chique mesmo era ser “castrista ou guevarista”. Mais dois cacarecos políticos e ideológicos. É só ler os documentos, e não ficar apenas com raiva de mim. Mas se ficarem, acho bom. É sempre bom ter opositores burros. Ou pelo menos mais burros que nós. Saravá.
NEP = Nova Economia política, implantada por Lênin em 1921, adotando métodos capitalistas no campo para aumentar a produção agrícola, então com produtividade inferior a 1921, e a fome matando milhões.

O SE NA HISTÓRIA
Se Lula tivesse ganhado as eleições para Collor, como teria sido o seu governo? Aliás, o que seria do lulismo ou do petismo sem a estabilização econômica feita por Fernando Henrique? Se não fosse SUAPE , o que seria do governo Eduardo Campos? E se Collor não se posicionasse contra o congresso? Teria sido eliminado? São inúmeras questões da história contrafactual que instigam as discussões. Vocês podem fazer suas perguntas, por que não?

CRESCIMENTO DE PERNAMBUCO
É bom lembrar que o crescimento do estado deve-se essencialmente a obras estruturadoras iniciadas há mais de quarenta anos. Houve uma época, li nos jornais, em que a avaliação da SUDENE acerca de Suape, era de que o projeto visava “manter a hegemonia econômica e política da oligarquia canavieira no estado”. Hoje jorram empresas em Pernambuco, sobretudo pela posição estratégica de SUAPE, bem como a duplicação da BR 232. Aliás, Arraes foi o único governador que não colocou um derréis de mel coado por lá.

INTERPRETAÇÕES MALUCAS
Aliás, uma vez li nos jornais que um historiador de renome no estado, disse que a obra de Gilberto Freyre servia aos interesses de manutenção no poder da oligarquia canavieira no estado. Ou o sujeito estava doido, ou bêbado e narcotizado.  Hoje a obra de Freyre é cada vez mais lisa e estudada. São traços absurdos da hegemonia esquerdista nas universidades. Que continua até hoje, em pleno século XXI.

HEGEMONIA ESQUERDISTA
Aliás, talvez seja pela hegemonia esquerdista nas universidades, sobretudo as públicas, é que a produção acadêmica está em baixa. Na educação ainda trabalham com os conceitos de Antônio Gramsci, e Paulo Freire, este tido como um santo. Ainda discutem coisas como “pedagogia do oprimido” e “os intelectuais e a organização da cultura” de Gramsci. Por essas e outras, estamos parados na educação. 

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

REVOLTA DE POLITICOS



Pelo que parece, os políticos de Garanhuns ficaram brabos com a possível indicação pelo governador de um político de Lajedo para a prefeitura municipal. Se ele fez tal indicação é que não confia em ninguém da cidade. Nem no prefeito, aliás uma figura meio obscura e apagada, nem Izaías, aliado de Armando Monteiro, possível candidato a governo, independente da vontade do governador, nem tampouco Zé da Luz o candidato da corrupção, o Maluf da cidade. Todos queriam seu apoio, e morrem de medo de ficar sem o governo. Será que o governador tem uma grande carta na manga para eleger um poste na cidade? Se tenta tal lance, vai ver que tem mesmo, daí o medo da politicalha. Também quem manda ser adesista de carteirinha? É bom lembrar que todos estavam com Jarbas, com exceção de Zé da Luz, então preocupado em saquear Caetés. Político tem que ter posição, esteja no governo ou na oposição. E não aderir sempre ao governo, seja ele qual for. Melhor para Aurora, que pode falar porque pelo menos está na oposição. Mas com Sérgio Guerra comandando o PSDB, é uma oposição, digamos, meio de mentirinha. Veremos o que vai dar esta zoada toda. Não se espantem se todos os que se indignaram, apoiem o poste governamental. Cara lisa é o que não falta a essa turma.


EDUARDO CAMPOS
De certa forma o governador está certo em tentar colocar homens de confiança nas prefeituras. O adesismo é grande, e boa parte dos políticos como vimos, são adesistas de carteirinha. Ainda tem o PT, que nunca foi de confiança para ninguém. Eles querem agora o governo do estado, e Eduardo deu o troco, com a possível indicação de um candidato à prefeitura do Recife, feudo dos petistas por mais de uma década. Eduardo não é besta. Não vai criar cobras para elas lhe morderem. Já me dizia o finado grande amigo meu Júlio Verçosa, grande conhecedor da política estadual, que Eduardo gosta muito mais de voto do que seu avô, Arraes, gostava. Se for para ser contra o PT todo cuidado é pouco. Eles se acostumaram com o poder, e montaram uma cleptocracia nacional. O que fariam com Eduardo? 

sábado, 8 de outubro de 2011

REVOLTA DE ADESISTAS




O caso do apoio do governador ao seu ungido candidato em Garanhuns, está causando revoltas em, digamos “suas” bases políticas. Estão revoltados porque El governador quer importar um candidato de outra cidade,  colocar na prefeitura um fiel guardião de seus interesses, já que na cidade não confia em ninguém . Assim parece, pois a falta de consistência ideológica na cidade, é um fato a ser registrado. Ele não gosta de Silvino, pois acha que o mesmo foi infiel ao seu avô Arraes, fazendo corpo mole na cidade em sua derrotada campanha para governador contra Jarbas. Não gosta de Izaías, por questões um tanto quanto obscuras e talvez impublicáveis. Não vai com Zé da Luz, porque o mesmo é muito corrupto, tramitando nos tribunais muitos processos por improbidade administrativa, desde quando foi prefeito de Caetés. Para ele, a solução seria mesmo um candidato de fora. É bom lembrar que a eleição é municipal, sendo difícil qualquer governador impor um candidato, embora todos queiram seu apoio. Por essas e outras, a gritaria é grande. Menos para Aurora, que assume  caráter oposicionista de sua candidatura, embora como aliada de Sérgio Guerra, não seja tanto assim de oposição ao governo do estado. Vamos ver no que dá essa zoada toda.

INFLAÇÃO VOLTANDO
É o que indica as projeções econômicas. Nenhuma novidade. O governo não fez o ajuste fiscal, nem aponta para reformas. Nem o fará, até por questões ideológicas, pois para essa gente isto é coisa de “Neo-liberal”. Reforma do estado, nem pensar. Nada, nadinha. Estamos no período mais medíocre da nossa já atribulada história política. Alguém duvida?

                             

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Educação em parafuso.


O Ministério da Educação defende agora a ampliação do número de horas-aula por dia nas escolas do país. No mês passado, o ministro Fernando Haddad anunciou o plano de aumentar a jornada obrigatória dos estudantes. No entanto, o ministério defendia com mais afinco a ideia de ampliar o número de dias letivos (de 200 para 220), sem mexer na carga horária. Esse ministro é uma piada pronta. O cara não fala nada com nada. Muda de opinião conforme alguém sussura algo em seus  ouvidos. Coleciona fracasso após fracasso em sua estadia nesse malfadado ministério que não serve para nada, apenas para espalhar o caos.  Educação não é quantidade, é qualidade! Poderiam ser apenas 100 dias letivos ou 365 que o modelo não vai funcionar. Do que adianta ampliar aquilo que não presta? Em 9 anos de governo petista, a educação só andou para trás. Filhos de políticos deveriam  estudar em escolas públicas. Iriam provar da falida escola que os pais proporcionam à massa.