sábado, 14 de maio de 2011

GETULIO VARGAS



Como sabemos, Lula andou , como pôde, querendo se comparar a Getulio Vargas. Ridículo. Getúlio Vargas fez o que fez, sabendo mais ou menos o que estava fazendo. Industrializou o país, aproveitando-se muito da conjuntura internacional do período entre-guerras (1914/1945), com uma política, digamos de substituição das importações, e a, formação de uma sólida indústria de base (siderurgia). Mobilizou o que existia da burguesia nativa e começou o processo de cooptação oficial dos movimentos trabalhistas, com os sindicatos atrelados ao estado. Um modelo fascista , baseado na “carta del lavoro’, as leis trabalhistas da Itália fascista, mas, na falta de nenhum, por essas e outras, ficou conhecido, sobretudo com farta ajuda  oficial como o “pai dos pobres”. Teve em seu encalço uma oposição ferrenha liderada por Carlos Lacerda, um jornalista influente porque sobretudo , dono de jornal, corajoso, de um populismo teatral mas violento. Ainda mais tinha os militares que com o próprio movimento que colocou Getúlio no poder começou a ter uma influência maior e tutelar a política brasileira, sobretudo nos tempos da guerra-fria. Aio falecer, em 1954, o Brasil, segundo o IBGE, tinha mais gente nas cidades do que no campo. Com o processo de industrialização, o Brasil começa a assumir definitivamente seu lado urbano. Responsável principal: Getúlio.
DEMOCRACIA
Foi um frio e brutal ditador, e lançaria as bases do chamado nacionalismo brasileiro durante a ditadura autodenominada “estado novo”, de inspiração notadamente fascista, mais na propaganda do que na práxis, felizmente. Também o fascismo estava na moda, assim como o culto à personalidade do lado socialista, que aliás, já estava experimentando o sistema totalitário do terror stalinista da década de trinta. Porém, tudo parecia bem, mas as torturas e perseguições políticas eram comuns. Vargas, ruim que era, mandou a mulher de Prestes para a gestapo, como um presente a Hitler. Foi mesmo que a condenar à morte, pois era judia e comunista, duas atribuições mortais na Alemanha nazista. Depois fez uma frente com os comunistas quando foi eleito de novo, quase por aclamação popular. Fizeram um movimento, o “queremismo” pela sua volta, muito bem arquitetada por ele em seu suposto retiro em sua fazenda em São Borja, Rio Grande do sul, sua terra natal. Ou seja, a época era outra, mas Getúlio enfrentou duros e figadais inimigos. Seu suicídio foi também um frio ato político, adiando por cerca de uma década a subida de seus inimigos ao poder. Entraram com o golpe, mas depois também perderam para a ditadura, quando quase todos perdem. Logo depois do golpe de 64, Lacerda também viria a ser cassado pelos militares.
O  LEGADO VARGUISTA
Podemos dizer que Lula é um filhote do legado varguista. Dirigente sindical de sindicatos atrelados ao estado, na presidência aumentou significativamente os laços de dependência dos sindicatos pelo estado. Ou sejam descaradamente cooptou através de dinheiro oficial não só os sindicatos, mas as confederações sindicais e as grandes centrais, como a CUT pertencente ao partido do governo o PT. Boa parte da estrutura administrativa do país ainda faz parte do legado varguista, bem como a estrutura federativa, cada vez mais descaracterizada pela centralização herdada essencialmente do estado novo. Bem ou mal, ainda vivemos na era Vargas, e é preciso desmontá-la. Se ela serviu para o Brasil do século passado, hoje sob inúmeros aspectos é no mínimo obsoleta. O que Lula e  PT fizeram para desmontar esta pesada herança? Nada. Ademais, o que ele mesmo fez? 

2 comentários:

  1. Lula com sua política de meia tijela só nos lançou num papel ridículo em relação ao resto do mundo, Celso Amorim foi o que de pior já existiu na diplomacia brasileira que teve homens do porte do Barão do Rio Branco e Ruy Barbosa, Enfatizo sua pergunta: - O que ele mesmo fez? em resposta respondo: - Papel do verdadeiro idiota latino-americano.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela aula getulista.
    Escreva mais sobre o Carlos Lacerda.

    ResponderExcluir