sábado, 18 de dezembro de 2010

Zé Dirceu e o Governo.


Ele, que segundo o MPF é o '' chefe da quadrilha do mensalão'', continua com livre tráfego no Planalto, como sempre teve e, segundo o próprio, '' de onde nunca saiu''.
Um dos corleones do petismo, Dirceu é um artista. Já foi líder estudantil, guerrilheiro com diploma na fazenda de Fidel, deputado federal, ministro fortíssimo do lulismo e um dos grandes influenciadores do governo até hoje. Dizem os jornais que tem até poder de indicar ministros no próximo governo. Não é de se duvidar, afinal sob Dirceu, o PT elevou a corrupção no Brasil à estratosfera, transformando em amadores os políticos de até então. Daí o fato de ele ainda ser tido, dentro do petismo, como um Richelieu, possuindo então, grande voz e poder decisivo.
Em uma cerimônia realizada no início da semana em Brasília onde foram apresentados os feitos do governo em oito anos( teve até registro em cartório de obras que estão ainda no papel, como Belo Monte e o medonho trem-bala), Dirceu usou da sua desenvoltura para circular na cúpula do governo e até recebeu elogios de Lula, que o classificou de '' companheiro de luta e um dos responsáveis pelos feitos do governo''. Nada mais justo pra quem sempre fez tanto pelo presidente, que o citou no discurso três vezes. Quem sabe Dirceu ainda não engata uma cadeira de ministério? Há tempo. O próprio diz que agora é consultor de empresas. Sempre que um petista se diz consultor de alguma coisa, vc leitor, é quem paga a conta.
Fica a conclusão de que Zé ainda é muito influente, tem carta branca no governo e nos maiores escalões deste, cujo Luís XlV o tem como conselheiro e até nega a existência do mensalão.
No fundo, Dirceu é só mais um '' companhero'', não é mesmo?

Um comentário: